DIVERSÃO

Verão além da praia

Listamos 28 programas para quem quer curtir os dias ensolarados da estação em lugares mais fresquinhos ou simplesmente longe da areia

Por: Daniela Pessoa - Atualizado em

Alexandre Macieira/Riotur
(Foto: Redação Veja rio)

Sol, mar, água de coco. O trio é a cara do verão carioca, mas, se você não está a fim de curtir a temporada no calor escaldante da areia, a cidade também oferece ótimas opções à sombra, como parques, cachoeiras, centros culturais - alguns pouco conhecidos, porém imperdíveis - e mais. A lista a seguir é um oráculo para quem quer curtir os dias ensolarados da estação em lugares fresquinhos. Tem outras dicas bacanas? Deixe na caixa de comentários no pé da página!

Curtir uma manhã ou tarde em Santa Teresa. Tem uma porção de bares e restaurantes espalhados pelo bairro, inclusive de alta gastronomia, como o Térèze, localizado dentro do Hotel Santa Teresa. Isso além das lojinhas para os fãs de arte, moda e design. Um dos destaques é o Ateliê Carlos Vergara, do grande artista que teve Iberê Camargo como mestre. Suas telas são ricas em texturas e contrastes cromáticos (Rua Progresso, 70, tel. 2508-9169. As visitas devem ser agendadas. www.carlosvergara.art.br). Outra boa pedida é o Museu Chácara do Céu, com seu belo jardim externo e obras de artistas como Marcoussis, Di Cavalcanti, Matisse, Dalí, Miró, Picasso e Portinari, além das aquarelas e desenhos de Debret (Rua Murtinho Nobre, 93, Santa Teresa, tel. 3970-1126. www.museuscastromaya.com.br). Para ver um belíssimo pôr-do-sol, vá até o Parque das Ruínas, que tem uma das mais belas vistas panorâmicas da cidade, além de exposições itinerantes e café com cardápio criativo gostoso (Rua Murtinho Nobre, 169, tel. 2224-3922 e 2215-0621).

Visitar as galerias de arte da Gávea, um dos bairros mais arborizados e, portanto, frescos da cidade. Em seus três andares, a Anita Schwartz Galeria de Arte expõe fotografias, pinturas e videoarte. Trabalha com artistas de renome, como Gonçalo Ivo, Angelo Venosa, Nuno Ramos, entre outros (Rua José Roberto Macedo Soares, 30, tel. 2274-3873. www.anitaschwartz.com.br). Dedicada à arte contemporânea, a Galeria Silvia Cintra + Box 4 ocupa um prédio projetado especialmente para ela. Em anexo funciona a Box 4, que é da filha de Silvia e apresenta novos talentos (Rua das Acácias, 104, tel. 2521-0426.

www.silviacintra.com.br).

Clique aqui e conheça cantinhos secretos de arte, moda e design imperdíveis na cidade

Experimentar o voo livre, para ver o Rio lá do alto com o vento batendo no rosto. Contrate uma aula, também chamada de voo de instrução, e, se gostar, feche um pacote. Há 17 anos, a Asa-delta Brasil realiza voos de instrução diariamente a partir da rampa da Pedra Bonita, em São Conrado (agendamentos: tel. 7841-1348 / 9694-7323 ou 2422-8586 id 46*1780 www.asadeltabrasil.com.br). Se quiser ainda mais adrenalina, voe um pouco mais alto: a bordo da aeronave Cessna 182, que sai do Clube da Aeronáutica, na Barra, quem se arrisca é levado a 10 000 pés de altura para ser lançado e permanecer em queda livre por 40 segundos até o paraquedas der acionado (Skydive Rio Paraquedismo. Agendamentos: tel. 7845-7119/ 3410-4599 www.skydiverio.com.br).

Passear no parque. Espalhados pelo Rio, refúgios verdes fresquinhos e com bastante sombra oferecem desde trilhas e espaços para a prática de esportes e piquenique até atrações culturais - muitas vezes gratuitas -, playground para a criançada se divertir e mais. Além, é claro, de paisagens deslumbrantes como a do Aterro do Flamengo. Para encontrar o espaço que mais tem a ver com você, clique aqui.

Clique aqui e conheça 10 motivos para ir ao Parque Madureira

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Tomar um banho de cachoeira. Não é preciso ir à praia para se refrescar. Dentro da Floresta da Tijuca, onde o termômetro marca, em média, 3°C a menos do que fora da mata, há opções de cascatas limpas e refrescantes, super acessíveis. Outras ficam mais isoladas, ideais para os aventureiros. Clique aqui e veja como chegar às principais quedas d?água da cidade.

Conhecer um museu curioso. Já pensou em passear pelo Museu da Justiça e ver o famoso tribunal do júri, onde foram julgados casos como o do assassinato da atriz Daniela Perez e do jornalista Tim Lopes? Ou que tal observar, no Museu da Pediatria, a cadeirinha que os médicos usavam até os anos 50 para sentar as crianças e retirar suas amígdalas? Listamos aqui os acervos mais curiosos da cidade, para quem estiver a fim de fugir da mesmice e se surpreender.

Visitar museus pela internet, sem sair de casa. Se o calor não encoraja ir à praia, muito menos sair do conforto do lar, faça um tour virtual pelo Museu da República. Sede do poder executivo brasileiro durante a República, onde Getúlio Vargas cometeu suicídio, o acervo localizado nesse belo palácio no Catete está disponível para navegação online e ainda através de áudios informativos em quatro idiomas. O internauta consegue aproximar imagens e conferir, em 360 graus, detalhes de objetos expostos. É possível ver de perto, por exemplo, a marca da bala no pijama usado por Getúlio na noite de sua morte. Na web, é possível viajar também pelos acervos do MoMA, em Nova York, da National Gallery, em Londres, e do Reina Sofia, em Madri. Clique aqui e escolha qual visita deseja fazer primeiro.

Se divertir em um clube. Há clubes que permitem a entrada sem que seja preciso pagar pelo título (ou joia), mediante pagamento de pequenas taxas e mensalidades bem mais em conta. Na Sociedade Hípica Brasileira, por exemplo, não-sócios podem se matricular em aulas de equitação ou de pônei (para crianças a partir de 18 meses até 12 anos de idade). No Clube de Regatas do Flamengo, tem aulas de basquete, futebol, vôlei, tênis, natação, nado sincronizado, jazz, balé, ginástica olímpica, judô, polo aquático, entre outros esportes. O mesmo vale para o Fluminense Football Club e para o Tijuca Tênis Clube. Clique aqui para saber mais detalhes.

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Apreciar a arte no corredor cultural carioca. Ele é formado pelo Centro Cultural Correios, com três andares de atrações variadas de teatro, música, dança, cinema e vídeo, além de exposições (Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, tel. 2253-1580), pela Casa França Brasil, primeiro edifício em estilo neoclássico no Rio, erguido em 1819 pelo arquiteto Grandjean de Montigny, integrante da Missão Artística Francesa (Rua Visconde de Itaboraí, 78, tel. 2332-5120) e pelo Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), inaugurado em 1989 com seus 17 000 metros quadrados e arte permanentemente em cartaz (Rua Primeiro de Março, 66, Centro, tel. 3808-2020).

Clique aqui e veja 10 motivos para visitar o CCBB

Visitar o CADEG. O Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara, em Benfica, é um misto de shopping e supermercado a céu aberto, perfeito para quem procura itens de decoração, artesanato, azeites, bebidas, temperos, bem como frutas, legumes e verduras fresquinhos. O local tem também um dos maiores mercados de flores do Rio, onde grandes hotéis, restaurantes e cerimonialistas encontram espécies de todos os tipos para arranjos mais em conta. Restaurantes formam ainda uma espécie de complexo gastronômico com quitutes tradicionalmente portugueses a preços super acessíveis. O Cantinho das Concertinas, por exemplo, tem entre as opções do cardápio deliciosos bolinhos de bacalhau (R$ 2,20 a unidade) e bacalhau na brasa com batata cozida (R$ 75,00). O prato, bastante farto, serve duas pessoas, se não mais. Enquanto o pedido não chega, canções folclóricas tocadas ao vivo entretêm os comensais que aproveitam para descansar das compras (Rua Capitão Felix, 110, Benfica, tel. 3890-0202 e 3526-5717. www.cadeg.com.br).

Passar o tempo em uma livraria. Além de vender livros, CDs e DVDs, casas como a Travessa e a Livraria Cultura promovem palestras, encontros entre autores e até mesmo espetáculos de teatro. Comidinhas saborosas também estão à disposição nos cafés das filiais. Na Travessa da Barra, por exemplo, tem até pizzaria. O menu de pizzas é da Fiammetta. As redondas são preparadas no forno à lenha em mais de 15 sabores (Avenida das Américas, 4666, loja 220, 2º piso, Barra Shopping, tel. 2430-8100. www.travessa.com.br). Na Cultura, que vende ainda exclusividades como produtos do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) e vinis, além de oferecer workshops de culinária, o Figaro Café, comandando pelo francês Cristophe Lidy, garante doces e salgados gostosos entre a consulta de um livro e outro (Estrada da Gávea, 899, lojas 201, 202 e 204, tel. 2730-9099). Vale ainda uma visita à nova unidade gigantesca do Centro, construída no prédio do antigo Cine Vitória, de 1939, com letreiro, granitos e mármores preservados em estilo Arte Déco (Rua Senador Dantas, 45, tel. 3916-2600. Fechada para balanço exclusivamente no dia 20/01/13. www.livrariacultura.com.br).

Prefere biblioteca? Clique aqui e conheça as seis melhores da cidade

Aproveitar um dia à beira da Lagoa. Além da extensa ciclovia e dos parques com atrações como arvorismo e tirolesa (Lagoa Aventuras. Avenida Epitácio Pessoa, 3000, Parque da Catacumba, tel. 4105-0079 e 7870-9162), a região conta com um moderno pólo gastronômico no Complexo Lagoon, onde também funcionam salas de cinema e uma casa de shows. Restaurantes como Gula Gula, Pax Delícia, Quadriffloglio Café e Giuseppe Grill Mar oferecem quitutes com uma bela vista como cenário. E tem ainda os tradicionais quiosques no entorno do espelho d?água (Avenida Borges de Medeiros, 1424, Lagoa). O Palaphita Kitch, por exemplo, vai além da gastronomia. A casa oferece um dia inteiro de prática de esportes náuticos na Lagoa, com aulas de stand-up paddle, vela e passeios guiados de bicicleta elétrica até o Forte do Leme. O pacote de aulas com degustação de delícias inclusa sai a 150 reais (Avenida Epitácio Pessoa, s/n, quiosque 20, Parque do Cantagalo, tel. 2227-0837 e 7841-7843). No Espaço Encontro das Águas, patrocinado pela EBX, é possível ainda apreciar a exposição permanente Lagoa Limpa, que conta a história da Lagoa Rodrigo de Freitas de forma interativa. O local também é palco de iniciativas socioambientais e educativas, com atividades abertas ao público adulto e infantil (Avenida Borges de Medeiros, 1444, ao lado do Parque dos Patins, tel. 2334-9442 / 9444).

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Conhecer o Sítio Burle Marx. A chácara onde morou o paisagista Roberto Burle Marx de 1973 a 1994 tem mais de 800 000 metros quadrados com flora brasileira exuberante. Além da natureza, o visitante pode apreciar ainda a arquitetura, o atelier de pintura, o salão de pedras e as coleções de plantas do paisagista, uma das mais importantes do mundo, com 3 500 exemplares que vão de espécie de manguezal e restinga à mata atlântica (Estrada Roberto Burle Marx, 2019, Barra de Guaratiba, tel. 2410-1412. As visitas acontecem de terça a sábado, exceto feriados, das 9h30m e 13h30m, são guiadas e tem duração de uma hora e meia. É necessário agendar por telefone de segunda a sexta, das 8h às 16h).

Assistir a um filme no cinema geladinho, pagando menos. A rede Cinemark escolhe um filme para ser exibido na sessão das 15h, diariamente, com ingressos promocionais a R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Na rede UCI, o ingresso sai a R$ 7,00 (inteira) ou R$ 3,50 (meia) às segundas, exceto em feriados, véspera de feriados e para filmes em 3D. Além disso, todos os sábados, domingos e feriados o ingresso sai mais barato para sessões iniciadas até às 13h55. No cinema do New York City Center, a entrada inteira sai a R$ 13,00 e a meia a R$ 6,50. No NorteShopping, a inteira custa R$ 11,00 e a meia, R$ 5,50.

Clique aqui para conhecer os indicados ao Oscar 2013 e os filmes que estreiam até o fim de fevereiro

Usufruir um dia de day-use num hotel. Não é preciso ser hóspede para curtir as comodidades do Copacabana Palace ou do JW Marriott, por exemplo. Você pode relaxar à beira da piscina, nadar, malhar na academia e até mesmo curtir uma massagem num spa mediante o pagamento de uma taxa. Dura só um dia, mas pode ser uma ótima opção de programa para o verão! Clique aqui para conhecer os hotéis que oferecem pacotes de day use.

Curtir a vista dos mirantes da cidade aproveitando os dias limpos de verão. A cidade conta ainda com deques e píeres com vista privilegiada. Isoladas após anos de descaso e violência, essas regiões foram reformadas e voltaram ao roteiro turístico com paisagens deslumbrantes, como a da laje do Morro Dona Marta. Clique aqui e veja uma lista dos mais bonitos.

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Tomar café da manhã no Parque Lage ou no Clube Campestre. O farto e apetitoso desjejum do D.R.I. Café (R$ 32,00) é oferecido em meio à exuberância arquitetônica do Parque Lage com chá, chocolate ou café com leite, suco natural, pães artesanais, frutas frescas, queijo branco, ricota com ervas, geleia caseira, manteiga, bolo caseiro, minimisto no pão manteiga e iogurte com mel e granola (Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, tel. 2226-8125). Já no Clube Campestre, no Alto Leblon, a pedida é saborear o farto desjejum de sabor nordestino do Café do Alto, servido nos fins de semana e feriados, das 9h às 13h. São quase cinquenta itens no bufê, como aipim cozido, queijo de coalho, cuscuz de milho, ovo mexido com carne-seca, bolo de rolo e pé de moleque, entre outros, além de queijos, frios, sucos, pães e iogurte natural (R$ 38,50 por pessoa). Também merece destaque o menu de tapiocas. Há quinze variações de recheio, a exemplo da engenhoca, com queijo de coalho e melado de cana (R$ 8,00). (Rua Alberto Rangel, 71, Leblon, tel. 2512-0096. www.cafedoalto.com.br).

Patinar no gelo. Com capacidade para 100 patinadores, a pista Fun On Ice, no Shopping Barra Garden, tem som computadorizado, iluminação especial, equipamentos de segurança (capacete, cotoveleiras, joelheiras e luvas de proteção) e instrutores. Além da patinação livre (R$ 35,00 a hora), permitida para crianças a partir de 5 anos, há ainda a escola de patinação artística e hóquei no local (Avenida das Américas, 3255, tel. 3388-5810. www.funonice.com.br)

Apostar corrida no kart. O Point Kart Indoor oferece pista com curva inclinada, indumentária de segurança completa, karts especiais para crianças (os pequenos precisam ter a partir de 8 anos e altura acima de 1,45 m) e portadores de deficiência, painel eletrônico e cronometragem informatizada, além de vídeo explicativo antes de cada corrida. A corrida de 20 minutos sai a 50 reais por pessoa (Rua José Higino, 115, Tijuca, estacionamento do supermercado Extra Maracanã, 2° Subsolo, tel. 2268-5863 e 9134-1971).

Jogar uma partida de paintball. Localizado no Clube da Aeronáutica, na Barra, o Barra Paintball Park dispõe de campo com mais de 1200 metros quadrados e material importado, além de vestiários, cantinas e estacionamento grátis. Uma hora de jogo para até 20 jogadores sai a 40 reais por pessoa, com roupa, colete, máscara e marcador inclusos, bem como 100 bolinhas de tinta iniciais. A recarga extra de 50 ou 100 bolinhas custa 10 e 16 reais respectivamente (Rua Raquel de Queiroz, s/n, entrada ao lado do Bosque da Barra, tel. 2431-5596, 8861-2692, 7711-0221 e 98*55519. www.barrapaintball.com.br).

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Caminhar ou pedalar nas Paineiras e se refrescar nas bicas à beira da estrada. Cercada de Mata Atlântica, a via é fresquinha, especialmente à noite, e de lá se tem uma vista belíssima de boa parte da Zona Sul, principalmente da Lagoa, do Jardim Botânico e das praias de Ipanema e Leblon com as Cagarras ao fundo. Clique aqui e conheça outras trilhas imperdíveis.

Explorar o Paço Imperial. O que hoje conhecemos como antigo palácio da família real portuguesa foi na verdade a primeira casa nobre do Rio, destinada ao governador da Capitania antes de se tornar residência da corte. Transformado em Paço Real em 1808, com a chegada da coroa portuguesa ao Brasil, foram anexados à construção os prédios do Convento do Carmo e da Cadeia Velha. O palácio se tornou o centro dos acontecimentos políticos, festas reais e cerimônias de afirmação do poder, como o Dia do Fico e a assinatura da Lei Áurea. Historiadores contam ainda que, em 1757, aconteceu no Paço o que seria o primeiro baile gay da cidade, com homens vestidos de mulher. Hoje, o local é um importante centro cultural da cidade (Praça Quinze de Novembro, 48, Centro, tel. 2533-4359).

Andar em um barco da I Guerra Mundial. O mais antigo navio em operação do mundo está no Rio. Trata-se do rebocador Laurinda, que operou durante batalhas no primeiro conflito mundial para a marinha brasileira. Atualmente, ele pertence ao Espaço Cultural da Marinha, na Praça XV, e realiza passeios pela Baía de Guanabara por apenas 10 reais por pessoa. As saídas acontecem de quinta a domingo, às 13h15 e 15h15 (Avenida Alfredo Agache s/n, Praça XV, Centro, tel. 2233-9165).

Ir ao Forte do Leme. Lá está uma das antigas fortalezas do Rio, da década de 20, já desativada: o Forte Duque de Caxias. Para chegar, são 30 minutos de caminhada no meio da Mata Atlântica. Mas, aos domingos, acontece a visitação motorizada: paga-se 10 reais para ir de van até o forte e de lá contemplar a incrível vista da entrada da Baía de Guanabara, o Pão de Açúcar, a orla de Copacabana, o relevo da Floresta da Tijuca, o Dois Irmãos, o Cristo Redentor e a Pedra da Gávea (Praça Almirante Júlio de Noronha, s/n, no final da Avenida Atlântica, tel. 3223-5076/5000).

Dar um pulo no Palácio Gustavo Capanema. Trata-se de uma verdadeira galeria de arte a céu aberto, com pinturas, afrescos, painéis e azulejos de Cândido Portinari nos jardins desenhados pelo paisagista Roberto Burle Marx, bem como obras de outros artistas. Além disso, o prédio que marcou o início da carreira de Oscar Niemeyer abriga ainda exposições itinerantes e peças de teatro. Clique aqui e conheça 10 motivos para visitar o local.

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Se deixar levar por uma visita guiada nos museus da cidade. Entre museus e centros culturais, a cidade conta com opções ecléticas de arquitetura para ser admirada, acervo artístico de dar inveja a capitais europeias e relíquias que pertenceram à única família imperial das Américas. Para explorar melhor os segredos escondidos em corredores de prédios como o Museu de Arte Moderna (MAM) e o Museu Nacional de Belas Artes, participe de uma visitação guiada em que a ajuda de historiadores e guias turísticos deixa o passeio muito mais rico. Clique aqui para saber mais.

Degustar vinhos estupidamente gelados. Populares em Paris, os bares à vin reúnem apreciadores da bebida em um ambiente intimista com carta que contempla desde pequenos e grandes produtores até rótulos raros, além de pratos saborosos para harmonizar com a taça (ou garrafa) escolhida pelo freguês. No Rio, também se foi o tempo em que a cerveja reinava absoluta nos balcões da cidade. Os bares de vinho têm brotado por aqui conforme a bebida se populariza no país e cai no gosto do carioca, inclusive no verão para refrescar. Clique aqui e conheça os melhores wine bars da cidade.

Cair no samba. Toda segunda, Moacyr Luz comanda o Samba do Trabalhador, considerado por muitos a melhor roda de samba da cidade. A batucada acontece no Clube Renascença, reduto do movimento negro carioca. A roda conta com treze músicos que tocam durante cinco horas. O evento começa cedo, ás 16h30, e vai até às 21h (Rua Barão de São Francisco, 54, Tijuca). Clique aqui e conheça ainda o roteiro de ensaios das escolas do Grupo Especial para o Carnaval 2013.

Fonte: VEJA RIO