Histórias Cariocas

Coletivo reúne cantores profissionais e amadores em shows pela cidade

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

infografico
(Foto: Infográfico)

Cantos do Rio

Tem gente à beça na foto, mas no duro nem coube todo mundo. É o coletivo Cavalo Preto, de cantores e compositores, formado há seis meses, após uma oficina no Sesc Copacabana. São 32 artistas no total, que vêm se apresentando em palcos como o do Aqua Bossa Lounge, em Ipanema (no dia 15 haverá show). Metade amadores, metade profissionais, eles começaram a trajetória fazendo saraus em apartamentos e bares. Há quem já tenha participado de programas como o The Voice Brasil, outros ganharam festivais no interior e algumas meninas trabalham no Carnaval, cantando, por exemplo, no Mulheres de Chico e no Monobloco. Confira acima se já conhece alguém.

Mesa para a conciliação

luis-philippedivulgaçÃo
(Foto: Luis Philippe/Divulgação)

Não é um móvel qualquer. Fabricado, no início do século XIX, de carvalho, com pernas em goivados e pés de garra e bola, esteve na Rio 92, conferência sobre o meio ambiente, na sala destinada aos chefes de Estado, no Riocentro. Exemplar do neoclassicismo francês, há três semanas passou a enfeitar a biblioteca do Instituto Luiz Gouvêa, organização localizada no Edifício Chopin, em Copacabana, que faz mediação entre pessoas que optam por resolver pendências ou promover conciliações fora da Justiça.

380 quilômetros

É o total, bastante respeitável, das faixas cicloviárias em funcionamento na cidade — é certo que às vezes precárias e até perigosas. Pois, para pedalar melhor por elas e, antes de tudo, saber onde se encontram, está sendo lançado o Mapa Digital das Ciclovias do Rio, iniciativa do Instituto Pereira Passos (IPP). O aplicativo, parceria da autarquia com a Secretaria de Meio Ambiente, gestora do programa Rio Capital da Bicicleta, traz dados e mapas tanto acerca de caminhos já existentes como sobre os futuros, mostrando ainda se há pontos de integração com o transporte público. A ideia da prefeitura é ampliar essa malha cicloviária, até 2016, para 450 quilômetros.

O Maraca aos seus pés

Tenis
(Foto: Divulgação)

O que este par de tênis tem a ver com o novo Maracanã? O tecido usado no calçado é o mesmo das cadeiras de arquibancada ali instaladas após a reforma feita para a Copa de 2014. Foi justamente vendo uma partida do torneio que o empresário François Ghislain tirou os olhos do que se passava em campo para ficar vidrado no encosto colorido dos assentos do estádio. Pesquisou e encontrou o fornecedor do tecido, um PET reciclado — um par de tênis consome quinze garrafas. Em dezembro, Ghislain deu início à linha de montagem na fábrica e batizou o produto como Holiday. No Rio, o pisante é encontrado apenas na multimarcas Dona Coisa, no Jardim Botânico. Está saindo por 420 reais.

Vice de novo...

infografico
(Foto: Infográfico)

A pequena Gramado venceu e o Rio ficou em segundo lugar na pesquisa recém-divulgada pelo site TripAdvisor, sobre os destinos favoritos dos turistas, uma seleção feita em quarenta países (na lista mundial, quem teve a vitória foi Marrakesh, no Marrocos). A avaliação leva em conta a opinião de usuários a respeito das atrações dos lugares, seus hotéis e restaurantes. No ano passado, as mesmas três cidades compuseram o pódio nacional, mas em outra ordem: São Paulo na frente, Rio depois e Gramado em terceiro. Desta vez, pelo menos passamos os paulistas.

Fonte: VEJA RIO