COMIDA

Chia é a semente da vez

Depois da linhaça, um novo ingrediente rico em fibras e ômega 3 é o queridinho de cariocas que buscam uma vida saudável. Conheça os benefícios da chia

Por: Louise Peres - Atualizado em

chia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Foi-se a era da ração humana, o composto de cereais integrais e sementes que virou febre entre os cariocas que desejavam enxugar medidas e turbinar a dieta. A linhaça, outro ingrediente celebrado pelos adeptos de uma vida saudável, também já não é mais o hit do momento. O posto de aliado poderoso da vez é ocupado pela chia, uma semente rica em fibras e ômega 3, capaz de auxiliar a redução do colesterol, melhorar a saúde intestinal e prolongar a sensação de saciedade de quem a ingere. ?Ela desacelera a absorção de gorduras e açúcares e ajuda na perda de peso já que, por ser rica em fibras, retarda o esvaziamento gástrico. Com isso, controla o apetite?, explica Bia Rique, nutricionista da clínica Ivo Pitanguy e representante no Brasil da American Overseas Dietetic Association (AODA). Também conhecida como Salvia hispânica (seu nome científico), a chia teve suas propriedades descobertas em estudos recentes, mas está longe de ser novidade na alimentação humana. Cultivada principalmente no México e na Colômbia, ela já integrava o cardápio de civilizações antigas, por volta de 2.600 a.C..

Algumas colheres de sopa diárias bastam para inserir esse ingrediente milenar no seu dia a dia. ?Dá para misturar com iogurte, leite, cereais, suco ou até nas refeições, com o arroz e o feijão?, ensina a nutricionista funcional Andréa Santa Rosa Garcia, uma das profissionais que aderiu à semente, recomendando-a com frequência aos pacientes que atende em seu consultório. Segundo ela, os ocidentais consomem hoje uma proporção de vinte porções de ômega 6, um ácido graxo que contribui para inflamações na célula, para apenas uma de ômega 3. ?Com a chia, fica muito fácil diminuir essa proporção e aumentar a ingestão de ômega 3, um elemento que melhora a fluidez da membrana celular, melhora a comunicação entre as células e o meio externo e diminui o nível de substâncias inflamatórias que o organismo produz?, explica ela. Assim, o organismo funciona melhor e os lipídios são usados como fonte de energia. Isso evita o acúmulo de gordura e proporciona, além do emagrecimento, a prevenção de doenças crônicas, como problemas cardiovasculares e o diabetes.

Apesar de todos os benefícios, o consumo da chia deve ser moderado. A semente tem alto valor calórico e, ingerida em excesso, pode provocar ganho de peso. Vale lembrar ainda que, embora seja um alimento funcional e benéfico para o organismo, ela deve fazer parte de uma dieta balanceada, em conjunto com outras fontes de nutrientes saudáveis. Não existem alimentos milagrosos nem poderosos que possam realizar sozinhos grandes transformações. Somente alimentação e atitudes saudáveis formam uma alquimia eficaz para a prevenção de doenças e busca da longevidade. ?É preciso dormir bem, meditar, beber moderadamente, praticar exercícios regularmente, não se estressar... Para a ciência, está muito claro hoje que não é só um alimento que vai fazer a diferença?, alerta Bia Rique.

Grão de ouro

Conheça as propriedades da chia

- Especialistas recomendam o consumo de 1 colher de sopa antes das refeições (ou misturadas a elas). Armazene as sementes em potes de vidro, na geladeira, ou em local fresco e seco.

Poderosa anti-inflamatória

Por contribuir para reestabelecer o equilíbrio e as trocas entre os meios intra e extracelular, a chia ajuda a diminuir substâncias inflamatórias produzidas pelo organismo. Sua ação deixa o sangue ?mais limpo?.

Fonte de fibras

Em 100 gramas de chia, 40% são fibras. Na linhaça, esse percentual é de 20%.

Rica em ômega 3 e proteínas

A chia possui o dobro de ômega 3 por grama em relação à linhaça, além de ser absorvida mais facilmente pelo organismo. Uma porção de 100 gramas de chia tem 20% de proteína - mais do que trigo, milho, cevada, arroz e até quinua.

Antioxidante

São considerados antioxidantes alimentos que inibem a oxidação das células. No marcador internacional total antioxidant capacity (capacidade antioxidante total), o índice da chia é de 8000 micromols por 100 gramas. Para outros alimentos com potencial antioxidante elevado, como a castanha do pará, esse número é de 1200. Já o alho tem 5000.

Alto valor calórico

Não pense que os benefícios da chia são uma carta branca para usá-la como bem entender. A semente possui muitas calorias, e recomenda-se o uso limitado a uma colher de sopa em cada refeição.

Fonte: VEJA RIO