Retrato da Semana

Canal do Leblon volta ao projeto original dos anos 20

O degradado curso d’água que une a Lagoa Rodrigo de Freitas ao mar passará por um programa de revitalização para recuperar as características 

Por: Lula Branco Martins

Canal
Árvores imponentes e pontes graciosas não escondem as mazelas do córrego: sujeira, cheiro de esgoto e muros rachados incomodam moradores do bairro nobre (Foto: Divulgação)

Um cenário comumente estranho à Zona Sul, reunindo mau cheiro, esgoto clandestino a céu aberto, muros depredados e calçadas com buracos, pode estar com os dias contados. A esperança dos moradores da Avenida Visconde de Albuquerque, uma das principais artérias do “bairro de novela” que é o Leblon, foi reavivada com o recente informe, feito pela Secretaria Municipal de Obras, que dá conta da conclusão de um plano de reformas para o canal que divide aquela via em duas. No bairro onde se cobra o mais caro imposto predial e territorial urbano (IPTU) da cidade, aquele trecho costuma conviver com problemas típicos de regiões mais pobres, causados pela má conservação dos bens públicos e pela inércia quanto à proibição de tubulações sanitárias irregulares. Em quase nada (com exceção das árvores e de pontes centenárias) o canal hoje em dia lembra uma área de passeio, muito menos um lugar apropriado ao mergulho, imagens comuns em seus primeiros tempos, na década de 20 do século passado.O projeto de revitalização a ser implementado pela prefeitura levará em conta que algumas muretas e passagens de pedestres são tombadas e devem ser mantidas como estão. A reforma tem como marco inicial o combate à sujeira, para depois se ater a detalhes estéticos. Trata-se de um esforço louvável, e espera-se que as obras não atrapalhem ainda mais a vida dos moradores, que sofrem há anos com as escavações do metrô, realizadas naquela mesma rua,na parte mais próxima da praia.

Fonte: VEJA RIO