EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre a sociedade carioca

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

A bela do vinho

beira-mar-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Para alegria dos bons bebedores, parece que a turma de sommelières bonitas, estilosas e, claro, eficientes está se multiplicando pelos restaurantes cariocas. Depois de Cecília Aldaz, do Oro, a atual queridinha dos enófilos é Maíra Freire, responsável pela adega do Zazá Bistrô, em Ipanema. Surpreendidos pelas boas garrafas indicadas pela especialista, a atriz Alinne Moraes, o artista plástico Vik Muniz e a família Metsavaht, da Osklen, recorrem a ela sempre que querem lembrar o rótulo que degustaram ou experimentar um novo. "Não me guio só pela comida. Presto atenção no clima e procuro vinhos que se adéquem a cada situação, seja um aniversário, seja uma comemoração mais intimista", conta Maíra, 33 anos.

beira-mar-03-bolinha.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

"A prefeitura diz que a culpa é do proprietário, mas, se a prefeitura não fiscalizar,

o proprietário não vai consertar a calçada."

Beatriz Segall, após tropeçar em um buraco na Gávea no domingo (21) e cair de cara no chão

Jim Morrison não morreu

beira-mar-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Para quem nunca se impressionou muito com as atuações de Eriberto Leão na TV, o ator tem surpreendido o público da peça Jim, em cartaz no Leblon. O comentário é geral no fim do musical. No papel principal, ele sobe ao palco acompanhado de uma banda ao vivo e repete de forma impecável os trejeitos e expressões do astro, falecido em 1971. O segredo de entrega tão efetiva ao personagem? Desde os 18 anos (atualmente ele tem 41) Leão é fã de carteirinha do cantor da banda The Doors. "Até hoje sou influenciado pelos mestres que guiaram o Jim. Fui ler a obra de William Blake e Arthur Rimbaud só por causa dele. Queria entender como pensava", explica Eriberto, que, em cena, ficou a cara do seu ídolo no auge da carreira.

Elas não querem marcas

beira-mar-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Pelos próximos dois meses, a dermatologista Juliana Neiva não tem mais vaga para atender novos clientes. Seu consultório anda lotado por causa dos modernos equipamentos que ela comprou exclusivamente para tratar manchas de sol na pele, um problema muito comum entre as cariocas que não abrem mão da praia no fim de semana. O primeiro, importado da Coreia, agradou às socialites por retirar as imperfeições com um laser superpotente. O segundo realiza um lifting que levanta a aparência do rosto em apenas 45 minutos. "O que elas gostam é que não ficam marcas. Dá para sair da clínica e ir direto a uma festa", diz Juliana, responsável pela cútis de beldades como as atrizes Bruna Marquezine, Paolla Oliveira e Carol Castro.

Abraçando árvore

beira-mar-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Depois de anos dedicados a obras de ficção, a roteirista Adriana Falcão está ansiosa para ver nas telas seu primeiro texto baseado em fatos reais. Trata-se de O Patuá Tamarindo, longa que conta a história do percussionista Bira Presidente, fundador do bloco Cacique de Ramos. "É um desafio escrever sobre personagens de verdade, principalmente sobre uma figura como o Bira", diz. No filme, que começa a ser gravado no início de 2014, ganha destaque a tamarineira, árvore em torno da qual o sambista deu início às famosas rodas de pagode no bairro. "Não é que senti uma energia especial quando abracei aquela tamarineira? Ela é mesmo mágica", afirma, toda encantada.

Fonte: VEJA RIO