EDIÇÃO DA SEMANA

Beira-mar

Histórias e novidades sobre celebridades e personalidades do Rio

Por: Carla Knoplech - Atualizado em

O retorno de Odete Roitman

Nana / Revista Shape
(Foto: Redação Veja rio)

A vilã imortalizada por Beatriz Segall já tem data para retornar à telinha (pelo menos na versão século XXI). Na série Pé na Cova, que estreia em janeiro, o autor Miguel Falabella decidiu batizar com o nome da personagem de Vale Tudo o papel de Luma Costa. As semelhanças entre as duas por aí. Luma será uma stripper gay que vai morar numa funerária e se apaixonará pela cantora Mart?nália. ?Nos bastidores a gente comenta que nesse seriado é um personagem mais estranho que o outro?, diverte-se a atriz. Para que sua performance convença, ela vai começar a fazer aulas de pole dance.

Trégua no mundo fashion

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Os estilistas cariocas já estão cansados de saber que Eloysa Simão e Paulo Borges não se bicam. Carlos Tufvesson, no entanto, resolveu ignorar a desavença entre os organizadores do Fashion Business e do Fashion Rio, os dois principais eventos do mercado. Recém-empossado no cargo de presidente do Conselho Municipal de Moda, ele vai convocar os dois concorrentes para discutir a três o calendário das semanas de moda. ?Nosso setor precisa se unir e deixar os problemas pessoais de lado para o próprio bem?, diz. O objetivo de Tufvesson é estabelecer datas fixas para os eventos, como já acontece lá fora, e assim conseguir organizar a cadeia produtiva da moda na cidade.

A dama do luxo

Fernando Frazão
(Foto: Redação Veja rio)

Com a chegada do Village Mall, que abre as portas em novembro com grifes como Gucci, Prada e Cartier, o Fashion Mall já começou a se armar para enfrentar a concorrência. A primeira providência da direção foi trazer de São Paulo Jini Nogueira, a nova superintendente do shopping de São Conrado. Ex-gerente de qualidade da Daslu, ela morou anos em Nova York e vive uma fase de ambientação no Rio. ?Estou estudando quem são as socialites cariocas, correndo na areia fofa todo dia pela manhã e até vendo novela para bater papo por aqui?, diz. Mas, quando o assunto é a estratégia de marketing para driblar o futuro adversário, ela faz questão de esnobar: ?Nossas clientes podem até fazer visitas pontuais ao Village, mas não vão precisar ir até a Barra para achar o que querem?.

Big Brother de geniozinhos

Marcos Torres
(Foto: Redação Veja rio)

Ele foi um dos quatro brasileiros escolhidos pela Nasa e pelo Google para participar de um grupo de estudos avançados. O objetivo dessa colônia de férias para mentes brilhantes era criar soluções capazes de facilitar a vida da sociedade no futuro. Durante três meses, o gaúcho Tiago Mattos, de 32 anos, sócio da escola Perestroika, na Gávea, ficou confinado no câmpus da Singularity University, no Vale do Silício, na Califórnia. Por dia eram mais de dez horas de aulas e palestras, além dos trabalhos de casa. ?Pensei em desistir várias vezes. É um nível de exigência muito grande?, conta. Ao final, os participantes tiveram de desenvolver um projeto capaz de impactar 1 bilhão de pessoas, o equivalente a um sétimo da população mundial. A turma, composta de oitenta geniozinhos, decidiu-se por algo não tão original: a invenção de mais uma rede social, desta vez voltada para divulgar a criatividade.

Negócio em família

Nicolas Martin / Revista Vip
(Foto: Redação Veja rio)

Se na próxima novela das 8, Salve Jorge, Letícia Spiller viverá uma ex-modelo falida, na vi­da real a atriz desempenha o papel de empreendedora ? e com louvor. Há cinco meses, ela abriu uma produtora de vídeos e já fez dois curtas, que contaram com a participação do filho Pedro, de 15 anos (do casamento com o ator Marcello Novaes), e do atual marido, o diretor de fotografia Lucas Loureiro. ?Nosso café da manhã virou a hora da reunião. Definíamos ali as tarefas de cada um ao longo do dia?, conta a atriz, que em dezembro começa a dar vida a seu projeto mais ambicioso. Letícia está produzindo a comédia O Casamento de Gorete, e também estará no elenco, interpretando um travesti.

Fonte: VEJA RIO