Agora vai

Aulas do CAP-Uerj devem começar em abril, diz diretor

Reitoria não concordou com adiamento do início do ano letivo

Por: Agência Brasil

cap uerj
Alunos vão começar aulas sem a grade completa (Foto: Divulgação)

Sem professores para completar a grade de disciplinas, o Colégio de Aplicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), deve iniciar as aulas de todas as turmas até o dia 13 de abril, informou o diretor da instituição, Lincoln Tavares Silva. Os estudantes do 1º ao 5º anos do ensino básico começaram o ano letivo hoje (31), após a chegada de professores para formar uma grade mínima.

Os alunos começam as aulas sem a grade completa, mas com a garantia da oferta das disciplinas que fazem parte do núcleo comum, como língua portuguesa, matemática e ciências.

A Reitoria da Uerj não concordou com o adiamento das aulas decidido pela diretoria do Colégio de Aplicação. Na semana passada, a Comissão Permanente de Carga Horária e Avaliação Docente da Universidade anunciou medidas administrativas contra o diretor do colégio. Lincoln Tavares disse que não havia condições para retomar as aulas, diante da redução do número de professores.

“De 2 de março [data em que as aulas começariam] até hoje, esse processo foi acompanhado pelos pais e pela comunidade escolar. Vários professores chegaram, mas não davam conta do que temos de currículo”, disse Tavares.

No ano passado, a instituição tinha 210 docentes, entre efetivos e contratados. Este ano, mesmo com a chegada de professores que prestaram concurso público, o número de docentes não chega a 140. O principal impacto na redução do quadro foi a proibição da permanência dos professores contratados.

De acordo com o Colégio de Aplicação, a expectativa é que as turmas do 1º e 2º anos do ensino médio tenham aulas a partir do dia 7 de abril. Os alunos do 3º ano já iniciaram o período letivo. Os estudantes mais prejudicados pela falta de professores são os  alunos das turmas do 6º ao 9º anos do ensino básico. A previsão é que as aulas comecem no dia 13 de abril, mas, para isso, o colégio depende da contratação de professores concursados ou temporários.

Fonte: Agência Brasil