MEMÓRIA DA CIDADE

Um escrete com sotaque carioca

Anúncio de fósforos em site chama atenção para o número de craques que eram daqui

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Fernando Lemos
(Foto: Redação Veja rio)

Um lote com curiosas caixinhas de fósforos foi posto à venda há duas semanas no bomnegocio.com ? até a última quinta-feira (25), ainda estavam disponíveis. Na forma daqueles antigos brindes de hotel, elas reúnem, cada uma, doze palitos de cabeça azul. Foram fabricadas em 1958, após a vitória da seleção na Copa da Suécia. Atrás vinha o nome do patrocinador, um aparelho de barba. Na frente, o rosto dos 22 jogadores, entre eles doze de times cariocas ? ou seja, mais da metade do grupo que foi ao Mundial (veja no quadro abaixo). O pacote completo, com sessenta unidades, está saindo por 450 reais. São objetos que rodaram bastante. Hoje pertencem a uma moradora do bairro de Anchieta. Ela recebeu as caixinhas de um sobrinho de Nova Iguaçu, que por sua vez conseguiu as raridades em sua época de porteiro na Tijuca ? eram de um condômino gentil, que por um serviço extra as cedeu gratuitamente. No anúncio do classificado on-line (que funciona de forma gratuita, como era o jornal Balcão, adquirido em 2011 pela empresa), a desapegada vendedora diz que também aceita propostas de troca: por exemplo um smartphone, ou um processador de alimentos de última geração.

memoria-da-cidade-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO