DIVERSÃO

A Alemanha é aqui

O Rio é um dos destinos que receberão as celebrações do ano da Alemanha no Brasil. Antes mesmo que os festejos comecem, preparamos um roteiro germânico em terras cariocas. Aproveite!

Por: Louise Peres - Atualizado em

Em 2013 a já antiga parceria estabelecida entre Brasil e Alemanha extrapola as fronteiras da diplomacia e, sem mesmo sair do país, os brasileiros terão a oportunidade de viver uma imersão na rica e diversificada cultura germânica. É o Ano da Alemanha no Brasil, que a partir de maio traz um intenso calendário dedicado a dar visibilidade à atuação do país europeu nas mais diversas áreas: economia e tecnologia, ciências, cultura, meio ambiente, educação, esporte e estilo de vida.

Entre as cidades que vão receber essa programação, é claro, está o Rio. Antes mesmo de o ano festivo começar, o carnavalesco Paulo Barros já levou à Sapucaí uma homenagem ao país com o enredo Desceu num raio, é trovoada! O deus Thor pede passagem para mostrar nessa viagem a Alemanha encantada. Em setembro, um dos principais acontecimentos culturais do ano, a Bienal do Livro, também abre espaço para celebrar a cultura alemã e sua importância na história da humanidade.

Para quem quiser começar desde já os trabalhos festivos, preparamos um roteiro carioca em que a Alemanha é a grande estrela. Passeie por apetitosos pratos da culinária típica, aprecie saborosos rótulos das celebradas cervejas e saiba onde aprender o idioma do país. Pronto para embarcar?

Adega do Pimenta

adega-do-pimenta.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Ex-mestre cervejeiro da Brahma, o alemão Holf Pfeffer criou o restaurante. Em 1995, três anos depois da morte do fundador, um antigo frequentador da casa, William Guedes, comprou-a para preservá-la. Hoje ele cuida também da filial, no Centro, e do Herr Pfeffer, outro desdobramento da empreitada. No salão apertado da matriz, separado da rua por uma cerca alta de madeira é possível provar porções fartas de pratos como steak tartare acompanhado de cinco tipos de pão de centeio, mix de salsichas do pimenta e uma feijoada alemã, de feijão-branco, legumes, kassler (costeleta suína), lombo, linguiças e salsichas. O strudel de maçã fecha a refeição.

Rua Almirante Alexandrino, 296, Santa Teresa, tel. 2224-7554. 12h/22h (sáb. até 20h; dom. até 18h).

Bar Brasil

Eleito, ao lado de outros botequins históricos, como patrimônio cultural do Rio de Janeiro no fim de 2011, o bar mantém um raro exemplar da torre de chope sobre o balcão - de onde sai um dos melhores exemplares da bebida na cidade. É um bom acompanhamento para pratos da culinária alemã e petiscos em geral. Fazem sucesso o bolinho de bacalhau e o croquete de carne. O mix de salsichas (de vitela, suíça, tradicional e tipo frankfurt) e o suculento kassler, a bisteca suína, alimenta duas pessoas, podendo vir com salada de batata ou arroz de lentilha com batatas coradas.

Avenida Mem de Sá, 90, Lapa, tel. 2509-5943, tel. 11h30/0h (fecha dom.)

Bar Lagoa

bar-lagoa.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Onipresente no deslumbrante salão art déco, onde saltam aos olhos as composições geométricas e os revestimentos de mármore de Carrara, o chope é tratado com esmero por ali, desde a chegada do barril até ser levado à mesa. Não à toa foi eleito o melhor da cidade pelo guia VEJA Rio Comer & Beber 2012. Os tonéis metálicos são armazenados em câmaras frigoríficas e já chegam gelados à chopeira. Essa baixa temperatura é mantida por uma fina camada de gelo que envolve os 50 metros de serpentina. Na ponta final do processo, os encarregados de tirar a bebida são verdadeiros mestres no ofício, com uma média de vinte anos no comando das torneiras. O chope, então, jorra na caldeireta com colarinho alto, como deve ser. Sua espuma, inclusive, é usada na receita da elogiada salada de batata, que serve de guarnição para os pratos alemães. Entre eles, o par de salsichões, o rosbife e o steak tartare, em que a mistura da carne crua cuidadosamente temperada com uma gema é feita diante do cliente, à moda antiga.

Avenida Epitácio Pessoa, 1674, Lagoa, tel. 2523-1135. 18h/2h (sáb. e dom. a partir das 12h)

Bar Luiz

bar-luiz.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Um dos doze bares da cidade tombados pela prefeitura como patrimônio cultural carioca, fundado na segunda metade do século XIX, foi o primeiro endereço carioca a servir chope. Mudanças na marca da bebida, após o fim da centenária parceria com a Brahma, deram o que falar. Restam o charme retrô do ambiente e o sotaque alemão do cardápio. Por lá brilham o croquete de kassler, costeletas, salsichões (bock ou branco), joelho de porco e, de sobremesa, apfel­strudel.

Rua da Carioca, 39, Centro, tel.2262-6900. 11h/23h (seg., ter. e sáb. até 22h; fecha dom.)

Casa Urich

Inaugurada na Rua Sete de Setembro por um legítimo alemão, Edmmund Urich, a casa migrou em 1950 para o ponto onde permanece até hoje. Conserva o climinha de Rio Antigo nos azulejos brancos que revestem as paredes e colunas do salão, nas mesas e cadeiras de madeira e nos garçons engravatados. Dois hits locais são o suculento kassler grelhado com salada de batatae o salsichão de vitela acompanhado de salada de batata, aipo e roquefort.

Rua São José, 50 - loja A, Centro, tel. 2220-2224. 11h30h/23h (fecha sáb. e dom.)

Herr Pfeffer

herr-pfeffer.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O nome deste estabelecimento na movimentada galeria do Teatro do Leblon é uma homenagem ao primeiro dono da Adega do Pimenta, hoje administrada por William Guedes. Entre as delícias servidas, croquete de carne acompanhado de três tipos de mostarda, lentilha à garni (uma espécie de feijoada feita com o grão), kassler (costeleta suína salgada e defumada), salsichas alemãs, joelho de porco desfiado e linguiça. Na carta de cervejas, marcas populares na Alemanha, como Paulaner e Erdinger, fazem a festa dos amantes da bebida. As Weihenstephaner também fazem sucesso.

Rua Conde de Bernadotte, 26 - loja D, Leblon, tel. 2239-9673, tel. 12h/0h (qui. a sáb. até 2h).

Goethe Institut

O Instituto Cultural oficial da República Federal da Alemanha para divulgação da língua e cultura alemãs está no Rio desde 1957 e faz parte de uma rede de 149 institutos e representações espalhados por 91 países. Por lá, além de aprender a falar alemão com quem realmente domina a língua, você pode fazer cursos de literatura, tradução, gramática, conversação e cultura alemã, entre outras, em diversas modalidades e horários.

Rua do Passeio 62, 1° e 2° andares, Centro. Há cursos também em Botafogo, na Barra e em Jacarepaguá. Mais informações no site do Goethe Institut. http://www.goethe.de/ins/br/rio/ptindex.htm

Landhaus

landhaus.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Verdadeira embaixada alemã na cidade, o restaurante , preparada sob os cuidados da proprietária, Érika Meiswinkel, natural de Munique. Todos os dias, ela recebe a clientela vestida em trajes típicos. Sem alterar a estrutura da casa, antiga sede de uma fazenda de café, ela transformou os cômodos em pequenos salões, decorados com objetos trazidos da Alemanha. Uma sugestão para o prato principal é o assado de porco com molho de cerveja escura, guarnecido de bolinho de batata e chucrute. Se a ideia for compartilhar o prato, o landhausteller serve duas pessoas com fatias de joelho de porco, kassler e bolo de carne, salsichão e bolinho de pão. Boa pedida: no primeiro domingo do mês, há shows de música típica.

Avenida Geremário Dantas, 615, Jacarepaguá, tel.2425-4683 e 3392-0107. 18h/22h30 (sáb. 13h/23h; dom. 12h/16h; fecha de seg. a qui.)

Fonte: VEJA RIO