BARES

Gim, o retorno

O destilado volta com força em criativas sugestões de drinque

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Leo Feltran / Sergio Pagano / Renato Antunes / Berg Silva
(Foto: Redação Veja rio)

O destilado à base de cereais marca presença em clássicos da coquetelaria, a exemplo do dry martini, e ganhou fama nas taças de ícones como Frank Sinatra. Depois de seu ápice nos anos 80, ele volta com força em criativas sugestões de drinque.

1 - No Astor, o tradicional gim- tônica ganha releitura com infusão fria de chá de frutas vermelhas, frutas frescas e anis estrelado (R$ 25,00).

2 - Waldeck Rocha prepara, no San Remo, o blue martini, de curaçao blue, xarope de romã e suco de lichia, e o double g, com gim, xaropes de gengibre e romã, além de suco de tangerina.

3 - O etoille (R$ 28,00), criação de Alex Mesquita, do Paris Bar, leva gim, angostura, suco de limão, tangerina, hortelã e soda aromatizada.

4 - Além do gim, o redentor (R$ 21,00), no Paxeco Bar, tem vodca, pepino e uva verde.

Fonte: VEJA RIO