Pintura rara bicentenária do Campo de Santana ilustra livro

Gravura do austríaco Franz Joseph Fruhbeck está no lançamento D. Leopoldina — A História Não Contada, de Paulo Rezzutti

Este raro registro do Campo de Santana feito em 1817 é obra do austríaco Franz Joseph Fruhbeck, que chegou ao Rio na comitiva da imperatriz Leopoldina, por ocasião de seu casamento com dom Pedro I. Menos conhecido do que outros pintores viajantes, como seu conterrâneo Thomas Ender e o francês Debret, Fruhbeck retratou a região em desenvolvimento, com uma arena de touros ainda em construção. Pertencente ao acervo da Sociedade Hispânica de Nova York, a gravura ilustra o recém-lançado livro D. Leopoldina — A História Não Contada (Editora Leya; 431 págs.), de Paulo Rezzutti.

LEIA MAIS HISTÓRIAS CARIOCAS:

+ Real aparência de arcos da Casa N. Senhora das Dores é revelada

+ Obra de arte restaurada é impedida de voltar ao local de origem

+ Mais de 90% dos escritórios do Porto Maravilha estão vagos

+ Briga judicial entre Maracanã e Rio-2016 afeta mosaico do Flamengo

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s