O dono do poder

Costa-Gavras usa o diretor de um banco para criticar o capitalismo no drama O Capital

O cineasta grego Costa-Gavras tem uma vistosa filmografia escorada em pulsantes trabalhos políticos, como Z (1969), Estado de Sítio (1972) e Missing (1982). Meio fora de forma aos 80 anos, o realizador volta às raízes para fazer uma crítica ao capitalismo por intermédio do personagem Marc Tourneuil (Gad Elmaleh). Ele é o braço-direito do diretor de um banco francês e, por isso, escolhido para suceder-lhe após uma grave doença. De desmedida ambição, Tourneuil passa por cima dos conselheiros. Entre suas primeiras medidas está a demissão em massa de funcionários. Fica, porém, à mercê do representante dos acionários americanos (papel de Gabriel Byrne), que exige a compra de um banco falido japonês para uma fraude financeira. Há um pouco de ironia no registro e um tanto de situações em economês, o que tira da trama a proximidade com o grande público.

✪✪ O Capital, de Costa-Gavras (Le Capital, 2012, 114min). 12 anos. Cinestar Special ? Laura Alvim 3, Espaço Itaú de Cinema 4, UCI New York City Center 9.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s