Seis atrações do festival É Tudo Verdade

Em sua 22ª edição, o evento espalha 82 títulos de trinta países por sessões grátis em quatro salas da cidade

Conheça seis atrações do festival internacional de documentários que, na 22ª edição, espalha 82 títulos de trinta países por sessões grátis em quatro salas da cidade até domingo (30).

No Intenso Agora.

(Reprodução/Reprodução)

Preciosas imagens em movimento que a mãe do cineasta João Moreira Salles registrou durante viagem à China feita há mais de meio século levam o espectador a revisitar episódios de grande agitação social no fim dos anos 60. Entre duas histórias, a pública e a familiar, o diretor sugere oportunas reflexões sobre causa e consequência em torno dos movimentos sociais do século XX. Direção de João Moreira Salles (2017, 127min). Quarta (26), 22h. Espaço Itaú de Cinema 3. Quarta (26), 21h. Espaço Itaú de Cinema 6.

Laerte-se.

(Reprodução/Reprodução)

Trata-se de um retrato filmado do cartunista que decidiu viver como mulher a partir de 2009. Diante das câmeras, Laerte abre o jogo, contando causos, como o do neto que a chama de “vovô”, refletindo sobre o impacto da escolha em sua vida e em seu trabalho e manifestando, com a coragem de sempre, suas opiniões sobre política e costumes. Direção de Lygia Barbosa da Silva e Eliane Brum (2017, 101min). Terça (25), 22h. Espaço Itaú de Cinema 3. Sexta (28), 19h. Espaço Itaú de Cinema 6.

Maria – Não Esqueça que Eu Venho dos Trópicos.

Escultora, gravurista, pintora, desenhista e escritora, a brasileira Maria Martins (1894-1973) foi uma mulher que desafiou o conformismo. Na Europa, aproximou-se do surrealismo. Casada, radicada nos Estados Unidos, encontrou Marcel Duchamp, com quem manteve intensa relação amorosa e artística. Direção de Francisco C. Martins (2017, 80min). Quinta (27), 21h. Espaço Itaú de Cinema 6. Sábado (29), 17h. Espaço Itaú de Cinema 6.

Permanecer Vivo — Um Método.

(Reprodução/Reprodução)

Michel Houellebecq, autor do romance Submissão (2015), já provocava em 1991, quando publicou o ensaio Permanecer Vivo, inspirado por histórias de pessoas com distúrbios psiquiátricos. No filme, o autor francês encontra outro outsider, o roqueiro americano Iggy Pop. Direção de Erik Lieshout (Holanda/Bélgica, 2016, 70 min). Terça (25), 13h. Espaço Cultural BNDES.

Perón, Meu Pai e Eu.

Escritor argentino, autor de Santa Evita, Tomás Eloy Martínez (1934-2010) entrevistou o ex-presidente Juan Domingo Perón há 45 anos. No longa, seu filho, Blas Eloy Martínez, recupera a gravação histórica para abordar acontecimentos em sua vida e seu país. Direção de Blas Eloy Martínez (Argentina, 2017, 80min). Domingo (23), 22h. Espaço Itaú de Cinema 3. Terça (25), 17h. Espaço Itaú de Cinema 6.

Tudo É Irrelevante.

Helio Jaguaribe. Em produção com direção da filha, Izabel (realizadora do documentário Meu Tempo É Hoje), o cientista político brasileiro, aos 94 anos, tem sua longa trajetória levada à tela. Direção de Izabel Jaguaribe e Ernesto Baldan (2017, 83min). Domingo (23), 19h. Espaço Itaú de Cinema 6. Segunda (24), 18h. Espaço Itaú de Cinema 3. Sexta (28), 17h. Espaço Cultural BNDES.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s