Rio tem recorde de chuva em junho e inundações em 15 bairros

O prefeito Marcelo Crivella acompanhou o início dos trabalhos da remoção de entulhos na manhã desta quarta (21)

No Jardim Botânico, a chuva causou estragos (Leticia Antunes Teich/Divulgação)

No mesmo condomínio da Zona Sul, a piscina amanheceu repleta de lama (Leticia Antunes Teich/Divulgação)

Já em estágio de atenção desde às 23h45 de segunda (19), a capital carioca registrou recorde de volume de chuva num único dia para o mês de junho nos últimos 20 anos, com 247 milímetros no Alto da Boa Vista. Depois de chover mais que o esperado para o mês inteiro, quinze bairros estão inundados, o que causa transtornos e dificuldades na locomoção para pedestres e veículos. De acordo com o Centro de Operações Rio (COR), quatorze sirenes em comunidades cariocas foram acionadas nesta primeira madrugada de inverno.

A Tijuca voltou a alagar com o transbordamento do Rio Maracanã pelo segundo dia seguido. Desta vez, a região mais atingida foi a Zona Sul do Rio. Só no Jardim Botânico a chuva acumulada chegou a 130 milímetros, 60% a mais que o esperado para o mês.

Um trecho de mais de um quilômetro da Rua Jardim Botânico, a principal do bairro, ficou totalmente alagado. O ponto mais crítico foi na altura do cruzamento com a Rua Pacheco Leão. O trânsito foi interrompido nos dois sentidos e o trânsito ficou bastante complicado na região, com reflexos na Gávea, Leblon, Lagoa, Humaitá e Botafogo.

Outro ponto de alagamento foi na Lagoa Rodrigo de Freitas, com situação crítica na Avenida Borges de Medeiros, na altura do Parque do Patins. Na Rua Cosme Velho, no bairro do mesmo nome, a queda de uma barreira durante a noite interditou uma faixa da pista sentido Laranjeiras na altura do Corcovado.

As sirenes do Sistema de Alerta de risco de deslizamento foram acionadas em sete comunidades do Rio: Borel e Formiga (Tijuca), Prazeres, Escondidinho e Vila Elza (Santa Teresa), Santa Alexandrina (Rio Comprido) e Guararapes (Cosme Velho).

Nesta manhã, há alagamentos na Avenida Borges de Medeiros, altura do Parque dos Patins, na Lagoa, e o trânsito tem congestionamento. Equipes da Prefeitura usam uma bomba para tentar tirar o acúmulo de água. A Rio Águas informou que a Lagoa Rodrigo de Freitas está com alerta de transbordo desde às 5h05. As comportas do Jardim de Alah foram abertas à noite, porém, devido ao grande volume de chuva, há a possibilidade de transbordo. A Epitácio Pessoa, que também registrou alagamento, já teve a água escoada.

Na Avenida Brasil, havia bolsões d’água que prejudicaram ainda mais o trânsito, no sentido Centro, com lentidão ao longo da via expressa. Na Linha Vermelha, o panorama é o mesmo desde o início da manhã, as retenções desde a Baixada, em direção ao Centro do Rio.

Na manhã desta quarta (21), os aeroportos Santos Dumont, no Centro, e o Galeão, na Ilha, operaram com o auxílio de instrumentos para pousos e decolagens em função do mau tempo na cidade. Ainda não há informações sobre atrasos ou cancelamentos. No entanto, apesar da chuva intensa na cidade, os transportes públicos, como trens, metrô, barcas, BRT e VLT funcionam normalmente até o momento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Rio de Janeiro é a cara dos governantes, um LIXO!