Aniela Jordan

Com uma sólida carreira nos bastidores de grandes musicais como Noviça Rebelde e Um Violinista no Telhado, ela encarou o desafio de comandar um complexo cultural de primeira linha no bairro do Méier, na Zona Norte da cidade

Habituada a produzir espetáculos grandiosos, Aniela Jordan enfrentou neste ano um desafio compatível com sua experiência. Ela teve sessenta dias para transformar a antiga casa de shows Imperator, fechada há dezesseis anos, no Méier, Zona Norte, em um polo cultural que fosse referência para toda a cidade. A empreitada tem sido um sucesso. Desde junho, mês da inauguração, 48 atrações levaram 290?000 pessoas ao Centro Cultural João Nogueira, o nome oficial do complexo. Com quatro andares, as instalações abrigam um teatro que se converte em arena de shows, uma galeria de arte e três salas de cinema, além de comodidades como terraço e cafeteria. A programação eclética assinada por Aniela junta desde espetáculos consagrados até shows alternativos, passando por peças infantis e eventos destinados à terceira idade e também apresentações de astros internacionais, como Stevie Wonder, que tem show agendado para 23 de dezembro. “A ideia foi criar um espaço que atendesse a todo tipo de arte, com a premissa da qualidade”, explica. A reabertura do antigo Imperator coincidiu com outros projetos já em andamento. Enquanto corria com os planos para a nova casa, Aniela conduzia a montagem de O Mágico de Oz, o décimo musical produzido pela Aventura, empresa que tem em parceria com o empresário Luiz Calainho.

Aos 49 anos, essa carioca de origem aristocrática, filha de banqueiro e que passou boa parte da infância na Europa pode se orgulhar de ter sido uma das forças motrizes que levaram os musicais ao lugar de destaque que têm na indústria do entretenimento do Rio. Ela participou da reforma do teatro Oi Casa Grande e produziu, em 2008, a versão brasileira de A Noviça Rebelde. A peça foi vista por quase 400?000 pessoas, entre Rio e São Paulo. De lá para cá, Aniela esteve envolvida na montagem de espetáculos como Hair e Um Violinista no Telhado. Formada em administração, costuma dizer que a sua escola foi o Theatro Municipal, onde permaneceu por vinte anos e chegou a ser diretora de produção. “Trabalho não falta. Além de coordenar a agenda do Imperator, tenho cinco peças encaminhadas”, anuncia. Entre os novos musicais estão Rock in Rio e Tudo por um Popstar, ambos com estreia em janeiro.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s