Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Novo clipe de Ana Vilela cutuca feridas e dá recado sobre empatia. Veja!

Música Tanta Gente propõe uma reflexão sobre as relações efêmeras pós-modernas

Por Marcela Capobianco 30 abr 2021, 12h29

Esqueça as palavras de carinho e conforto do fenômeno Trem Bala.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Ana Vilela mantém a voz doce, mas agora faz questão de cutucar feridas como o preconceito e o abandono parental além de criticar hábitos pós-modernos, como o uso de drogas para “sentir alguma coisa”. Os recado estão na música Tanta Gente, composta por Gugu Peixoto, cujo clipe foi lançado nesta sexta (30).

+ Comuna reabre na Lapa com drinques e os famosos hambúrgueres

O vídeo começa com Ana dentro de um carro, sendo tatuada no braço. A partir daí, imagens de sucedem, propondo reflexões sobre o cotidiano neste estranho mundo em que vivemos. A música aborda a falta de empatia e de confiança, fazendo uma crítica às relações efêmeras. No fim, Ana mostra a tatuagem pronta, a palavra “frágil”.

Continua após a publicidade

+ Com talento e ambição, Maxwell Alexandre conquista espaço no panteão das artes

A cantora paranaense – radicada no Rio – tem apenas 23 anos, está inserida na roda-viva voraz do show business, mas não tem vergonha de mostrar as próprias fragilidades. “Quero que a canção seja um alerta. Acredito que, para termos relações saudáveis e empáticas com os outros, é preciso, primeiro, olhar para dentro de nós mesmos. É isso que proponho com o novo trabalho”, confidencia a cantora.

+ Maria Ribeiro: Deseja recomeçar?

Assista ao clipe aqui:

Continua após a publicidade
Publicidade