Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Leandro Hassum: “Ser engraçadinho não é o bastante para fazer comédia”

Ator estrela filme Tudo Bem no Natal que Vem, especial de fim de ano da Netflix, que estreia no dia 3 de dezembro em 190 países

Por Marcela Capobianco 26 nov 2020, 18h17

Todo mundo sabe que assistir a um filme de Leandro Hassum é garantia de risadas, certo? Porém, neste tão virado do avesso 2020, o ator, conhecido por comédias escrachadas, também pode fazer chorar.

O filme Tudo Bem no Natal que Vem, com roteiro de Paulo Cursino e direção de Roberto Santucci, dupla que tem outros cinco longas estrelados por Hassum, é uma comédia, sem dúvida, mas traz momentos de pura emoção, mostrando um outro lado de atuação do celebrado humorista.

+ Parque Lage lança curso on-line com bolsa mensal de R$ 600,00

“Estudei teatro e dei aula por muito tempo, então acredito que a comédia e o drama são separados por uma linha tênue, por mais que isso não fique claro para o público. Para fazer rir, é preciso calcular o tempo da piada a todo momento. Há uma técnica. Não basta ser um cara engraçadinho”, analisa Hassum.

No especial de fim de ano da plataforma de streaming, ele interpreta Jorge, um rabugento pai de família de meia-idade que, depois de levar um tombo na véspera de Natal, desmaia e acorda um ano depois sem lembrança dos 364 anos que se passaram. Ele logo percebe que está condenado a continuar acordando em vésperas de Natal – data que detesta – e ainda tem que lidar com as consequências do que seu outro “eu” fez nos demais dias do ano.

+ Pandemia: festas de Réveillon são cercadas por incertezas

A ideia surgiu na cabeça de Cursino há muitos anos, a partir da batida frase “eu nem vi o ano passar”, usada geralmente em dezembro. Há, no filme, diversas referências a filmes natalinos de Hollywood, mas Santucci quis imprimir a cara do Natal brasileiro: bem calorento, com barracos em família e palavrões.

Continua após a publicidade

“Aprendi que algumas pessoas conseguem falar palavrão sem doer no ouvido dos outros. E o Hassum tem esse poder. Ele tem total liberdade para improvisar no set, e o vocabulário que ele usa é muito natural, traz uma humanidade que faz todo mundo se identificar”, avalia o roteirista.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

No filme, o personagem de Hassum acorda no ano de 2021, o que acabou, sem querer, trazendo uma mensagem positiva para um ano de pandemia, em que muitas celebrações natalinas ficarão desfalcadas. Hassum reconhece a (in)feliz coincidência. “Seria ótimo se a gente pudesse realmente passar uma borracha em tudo de ruim que aconteceu este ano, mas como não podemos, o filme acaba sendo um gesto de carinho neste Natal tão atípico”, conclui.

+ Depois do Papai Noel virtual, Bom Velhinho é posto em ‘vitrine’

Tudo Bem no Natal que Vem estreia na Netflix no dia 3 de dezembro – no Brasil e em mais 189 países – e conta com nomes no elenco como Louise Cardoso, Elisa Pinheiro, Miguel Rômulo e Danielle Winits. Assista ao trailer:

Continua após a publicidade

Publicidade