Continua após publicidade

Grátis: intervenção artística de Raul Mourão ocupa orla do Leblon

Obras de arte foram instaladas onde, até meados do ano passado, havia a última casa da Avenida Delfim Moreira. Prédio de alto luxo será erguido no local

Por Marcela Capobianco
28 jan 2021, 12h09

À primeira vista, pode parecer um canteiro de obras, já que no local, na orla do Leblon, será erguido um prédio de alto luxo.

+ Coronavírus: idosos cariocas já têm data para receber vacina

Mas, enquanto a construção não sobe, cariocas e turistas podem conferir duas esculturas cinéticas inéditas e uma instalação temporária do artista Raul Mourão.

A intervenção, batizada de Viva Rebel, ficará na Avenida Delfim Moreira, número 558, até o dia 21 de março. A entrada é gratuita, mas há restrição da capacidade de público no local. O uso de máscaras é obrigatório.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

As duas esculturas cinéticas de grande escala foram projetadas durante a pandemia, em 2020, e são desdobramentos da série Grades, remetendo aos conceitos de proteção, segurança e isolamento em ruas do Rio de Janeiro, presentes nas fotografias do artista há três décadas.

Cada peça pesa cerca de 1,5 toneladas, mas a ideia de Mourão não é explorar a brutalidade, mas sim o equilíbrio, a possibilidade de movimento e o cuidado. “Basta um pequeno gesto do espectador para que toda a massa se movimente, permitindo que as linhas da estrutura de aço se cruzem e criem um embaralhamento visual”, explica o artista.

+ Exposição no CCBB revista obra de artista japonesa ChiharuShiota

Além das esculturas, há uma instalação de setas em bandeiras hasteadas a seis metros de altura na entrada do terreno, demarcando a ocupação de um território e sinalizando que algo pode estar acontecendo ali. Estes elementos são resultado de uma série de fotografias que Mourão realizou entre o fim dos anos 1980 e o início dos anos 1990, presentes até hoje em sua obra e que retratam tapumes brancos com setas vermelhas usados pelo poder público para indicar desvios no espaço urbano em virtude de obras.

Continua após a publicidade
Bandeiras em branco e vermelho, tremulando num céu azul
Raul Mourão: bandeiras fazem alusão a fotos clicadas pelo artista entre os anos 80 e 90 (Vicente de Mello/Divulgação)

+ Mangueira ocupa o MAM com oficinas paralelas a homenagem a Hélio Oiticica

A exposição acontece no local em que havia, até meados do ano passado, a última casa da orla do Leblon. Consta que o terreno foi vendido para a construtora Gafisa por cerca de R$ 20 milhões.

O título Viva Rebel, escolhido por Mourão, chama atenção para o estúdio Audio Rebel, espaço fundamental para a cena musical carioca, que, como todos, tem sofrido os efeitos da pandemia. Como parte do movimento para manter a casa funcionando, o artista plástico está produzindo e dirigindo um documentário sobre a história do estúdio.

Continua após a publicidade
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.