Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Gerald Thomas: “Teatro on-line não é resistência, é necessidade”

Em tempos de pandemia, o diretor e dramaturgo decidiu revisitar, pela web, o espetáculo Terra em Trânsito, quinze anos após a estreia

Por Marcela Capobianco Atualizado em 14 abr 2021, 20h54 - Publicado em 16 abr 2021, 07h00

Aclamado pelo estilo de dramaturgia intenso e até mesmo caótico, o diretor e dramaturgo Gerald Thomas decidiu, em tempos de pandemia, revisitar o espetáculo Terra em Trânsito, 15 anos após a estreia. A versão em cineteatro, com Fabiana Gugli, faz duras críticas à política atual e está disponível gratuitamente no YouTube.

+ Cinco peças de teatro on-line que flertam com o cinema

Muitos artistas dizem que o teatro on-line veio para ficar. Concorda?

Eu enxergo esse movimento como uma medida provisória e antipática. A grande magia do teatro é a troca entre o ator e o espectador. A tela reduz tudo isso a uma relação estéril, sem graça. Nos ensaios eu usava um binóculo para me sentir mais perto da atriz.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Por que, então, você decidiu entrar na ribalta virtual?

Porque é a única forma de trabalhar atualmente. Num momento de guerra, em que não dá para fazer uma refeição completa, você precisa se virar com o feijão enlatado. Se não fosse essa possibilidade, eu morreria de inanição. Não é nem uma questão de resistência, não vamos romantizar uma necessidade.

+ Com talento e ambição, Maxwell Alexandre conquista espaço no panteão das artes

E quais são as perspectivas? Vamos ter de decidir, como sociedade, se o teatro vai voltar a existir. Tem uma questão prática nisso aí: menos gente na plateia significa prejuízo para as produções. Nem todo mundo vai conseguir se manter. O teatro vai sofrer uma reconfiguração.

+ Teatro para ouvir: projeto lança peças infantis em formato de podcast

Grátis. Acesso pelo canal Terra em Trânsito do YouTube.

Continua após a publicidade
Publicidade