Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Dose dupla: Clarice Niskier volta aos palcos com um drama e uma comédia

Atriz faz nova temporada de 'A esperança na caixa de chicletes Ping Pong', que celebrou seus 40 anos de carreira, e 'A alma imoral', seu grande sucesso

Por Kamille Viola Atualizado em 1 nov 2021, 17h02 - Publicado em 1 nov 2021, 17h01

Clarice Niskier está de volta aos palcos cariocas em dose dupla. A atriz estreia nesta quarta (3), no Teatro Casagrande, o espetáculo A Esperança na caixa de chicletes Ping Pong e, nesta sexta (5), no Teatro PetraGold, seu sucesso A alma imoral, as duas em curta temporada.

+ Roda de samba no Salgueiro reúne Xande de Pilares e Pretinho da Serrinha Leia 

Ela vem de uma temporada mais longa de uma terceira peça, Coração de campanha, e explica que está exercitando um repertório. “Isso me traz muita esperança de que o teatro retome com força total as suas atividades. Eu estou apostando que o público, aos poucos, vai voltar para o teatro. E que nós possamos, num futuro próximo, estar todos juntos dentro de um teatro sem medo da transmissão do vírus É por isso que eu torço, então eu tenho trabalhado para manter viva essa esperança desse reencontro e dar vida longa ao teatro”, explica Clarice.

+ Parque infantil do Jardim Botânico será revitalizado; veja fotos

A atriz conta que o que busca fazer é dar continuidade à história do teatro no país. “Sou de uma geração que recebeu um legado muito lindo das anteriores, um legado de vida teatral muito bonito. Então eu estou aqui, mantendo a estrada aberta e, se Deus quiser, vamos também deixar, é nossa responsabilidade agora também deixar um legado bonito e com as portas e o caminho bem aberto para todos nesse país em relação ao teatro e à cultura”, afirma.

+ Oi Futuro recebe instalação com os sons da Amazônia

Continua após a publicidade

Inspirada na obra de Zeca Baleiro, A esperança na caixa de chiclete Ping Pong foi o espetáculo com o qual a atriz comemorou seus 40 anos de carreira, em 2020. Com texto e interpretação de Clarice, o trabalho é uma declaração de amor à cultura popular brasileira e um roteiro de suas memórias político-sociais. Na peça, a atriz desenhando um painel social do país e, ao mesmo tempo, de seu mundo individual, mostrando suas razões para abraçar o Brasil, em vez de deixá-lo.

+ Trem do Samba e Feira das Yabás: o samba de volta a Madureira

A alma imoral é uma adaptação de Clarice Niskier do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. O monólogo tem supervisão de Amir Haddad e já foi apresentado em mais de 24 cidades brasileiras, para mais de 500 mil espectadores. A atriz conta histórias e parábolas da tradição judaica, desconstruindo e reconstruindo temas como corpo e alma, certo e errado, traidor e traído, obediência e desobediência.

A esperança na caixa de chicletes Ping Pong. Teatro Casagrande. Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon. Qua. e qui, 20h. R$ 25,00 (meia-entrada) a R$ 80,00. 100 min. Livre. Até 18 de novembro.

A alma imoral. Teatro PetraGold. Rua Conde de Bernadotte, 26, Leblon. Sex., 20h.R$30,00 (meia-entrada) a R$ 60,00. 80 min. 18 anos. Até 26 de novembro.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade