Clique e assine por apenas 4,90/mês

Cinco práticas populares de ioga

Escolha de acordo com o seu objetivo

Por Fernanda Thedim - Atualizado em 5 dez 2016, 10h55 - Publicado em 19 nov 2016, 00h00

A quantidade de tipos disponíveis hoje é realmente numerosa e pode confundir os não iniciados. “Existem metodologias mais indicadas para quem gosta de se desafiar fisicamente, por meio de sequências vigorosas, e para aqueles que buscam a prática por questões terapêuticas. Tudo depende do seu objetivo”, diz a professora  Joyce Berndt, que dá aulas nos estúdios Hot Yoga One e Na.salona. Idealizadora do movimento #MaisYogaPorFavor, ela detalha abaixo cinco práticas populares por aqui.

HATHA  

“Metodologia mais praticada no Ocidente, tem um ritmo mais lento, focado na permanência das posturas físicas aliada a exercícios respiratórios e a técnicas meditativas. Pelo ritmo mais tranquilo, é uma ótima pedida para iniciantes.”

VINYASA 

 “Opção bastante exigente fisicamente, propõe um ritmo fluido e vigoroso, baseado nas posturas do hatha, só que não segue um padrão predefinido de sequências. Para quem não gosta de monotonia, a inovação das séries a cada aula é mais um chamariz.”

ASHTANGA

 “É baseada em séries predeterminadas, nas quais o praticante vai avançando. Trabalha a coordenação entre a execução das posições e a respiração, promovendo uma espécie de ‘meditação em movimento’. É ótima para quem busca uma prática mais enérgica.”

IYENGAR  

“O foco principal é o alinhamento e a execução das posturas, o que ajuda a despertar a consciência corporal. Indicada para iniciantes ou não, utiliza materiais de apoio, permitindo que o praticante aprimore as posturas de forma mais eficaz.”

YIN

 “A permanência mais longa em posturas, aliada ao foco em pontos específicos do corpo, faz com que a energia vital circule com maior espaço e liberdade. Promove um grande mergulho interior, além  da liberação de nós energéticos e emocionais.” 

+ Campanha estimula a doação de cabelos a mulheres em tratamento de câncer

+ Estudo conclui que noite maldormida deixa mais suscetível resfriado

Publicidade