Clique e assine por apenas 4,90/mês

Ana Furtado revela técnica para não perder os cabelos com a quimioterapia

A apresentadora do É de Casa já começou as sessões do tratamento para combater o câncer de mama

Por Redação VEJA RIO - 13 jun 2018, 18h49
Ana Furtado - cabelo - câncer de mama
Divulgação/Divulgação

Vítima de um câncer de mama, a apresentadora Ana Furtado tem revelado a rotina de tratamento da doença em sua página oficial no Instagram. Após cirurgia para a retirada do tumor, que estava em estágio inicial, ela vem fazendo agora sessões de quimioterapia. “Ontem fiz minha segunda sessão. E a sensação é de que essa foi menos difícil do que a primeira. Volto a dividir detalhes com vocês porque, ao mesmo tempo em que me fortaleço com as palavras de carinho que recebo, acredito que posso também encorajar pessoas que estejam passando por situações tão difíceis quanto o diagnóstico de um câncer”, escreveu. E explicou como tem feito para evitar a queda dos cabelos, um dos efeitos colaterais da quimio.

A técnica chamada crioterapia consiste em resfriar o couro cabeludo através de uma touca com gel térmico atingindo temperaturas negativas. “Esse resfriamento é muito doloroso, mas reduz a quantidade de quimioterápicos que chegam até os bulbos capilares, diminuindo a queda de cabelos. Antes, é preciso encharcar a cabeça para depois colocar a touca. Foram 4 horas e meia com o equipamento na cabeça: meia hora antes do início da quimio e 2 horas após o término dela. É difícil, mas, até agora, eficiente. Só tenho a agradecer a todos os médicos pelas orientações, apoio e carinho comigo”, explicou a mulher de Boninho.

View this post on Instagram

Ontem fiz minha segunda sessão de quimioterapia. E a sensação é de que essa foi menos difícil do que a primeira. Volto a dividir detalhes com vocês porque, ao mesmo tempo em que me fortaleço com as palavras de carinho que recebo, acredito que posso também encorajar pessoas que estejam passando por situações tão difíceis quanto o diagnóstico de um câncer. Na foto, estou sendo preparada para a crioterapia. Trata-se de uma técnica que utiliza uma touca recheada com gel térmico, atingindo temperaturas negativas (-10º, no meu caso). Esse resfriamento no couro cabeludo é muito doloroso, mas reduz a quantidade de quimioterápicos que chegam até os bulbos capilares, diminuindo a queda de cabelos. Antes, é preciso encharcar a cabeça com água para depois colocar a touca. Foram 4 horas e meia com o equipamento na cabeça: meia hora antes do início da quimio e 2 horas após o término dela. É difícil, mas, até agora, eficiente. Só tenho a agradecer a todos os médicos pelas orientações, apoio e carinho comigo.🙏

Continua após a publicidade

A post shared by Ana Furtado (@aanafurtado) on

 

 

Publicidade