Clique e assine por apenas 4,90/mês

Cais do Oriente

(Desde 2001)

Tipos de Restaurantes: Cozinha contemporânea

Veja Rio:

Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 8 - - Centro - Rio de Janeiro - RJ ver no mapa

Telefone: (21) 22332531 / (21) 22030410

Site: http://www.caisgourmet.com.br

Horário:

segunda-feira 11:30 - Último cliente

terça-feira 11:30 - Último cliente

quarta-feira 11:30 - Último cliente

quinta-feira 11:30 - Último cliente

sexta-feira 11:30 - Último cliente

sábado 11:30 - Último cliente

domingo 11:30 - Último cliente

Faixa de preço: De R$106.00 a R$175.00

Informações adicionais: Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (350), Comida (couvert) (R$ 15.00), Levar vinhos (permite) (R$ 50.00), Almoço executivo

Resenha por Fabio Codeço

Desde que, em 2013, passou para as mãos de Antônio Rodrigues, dono da rede Belmonte, o endereço foi rebatizado — virou Cais —, ganhou nova decoração e mudou de chef duas vezes. A volta ao nome original e a chegada de Damien Montecer sinalizam um promissor movimento no rumo certo. Lançado há menos de um mês, o cardápio do cozinheiro francês une técnicas de sua terra natal a um toque tropical. Surgiram nas receitas ingredientes típicos brasileiros, como cumaru, cupuaçu, queijo de coalho e pequi. Nas entradas, o queijo de cabra empanado em castanha-do-pará, com vinagrete de rapadura e molho à base de palmito e agrião (R$ 34,00), é um hit tão eficiente que ainda permanece em cartaz no Térèze, o restaurante do Hotel Santa Teresa, inaugurado por Montecer e comandado por ele durante seis anos. Outra nova pedida na casa do Centro, o carpaccio de polvo valorizado por picles de cenoura e cebola é acompanhado de mix de folhas (R$ 32,00). Sugestão de prato principal, a paleta de leitão desossada traz a carne tenra sob pele crocante, guarnecida de batata rústica, aspargos e molho barbecue de goiaba (R$ 58,00). A picanha de sol, úmida e salgada na medida, é grelhada com manteiga de garrafa e chega à mesa sob uma fatia de queijo de coalho, ao lado de feijão-de-corda, aipim frito, arroz e farofa de ovo (R$ 68,00). Da ala doce, prove a tarte tatin de manga com caramelo de cardamomo e sorbet da fruta (R$ 22,00).

    Desde que, em 2013, passou para as mãos de Antônio Rodrigues, dono da rede Belmonte, o endereço foi rebatizado — virou Cais —, ganhou nova decoração e mudou de chef duas vezes. A volta ao nome original e a chegada de Damien Montecer sinalizam um promissor movimento no rumo certo. Lançado há menos de um mês, o cardápio do cozinheiro francês une técnicas de sua terra natal a um toque tropical. Surgiram nas receitas ingredientes típicos brasileiros, como cumaru, cupuaçu, queijo de coalho e pequi. Nas entradas, o queijo de cabra empanado em castanha-do-pará, com vinagrete de rapadura e molho à base de palmito e agrião (R$ 34,00), é um hit tão eficiente que ainda permanece em cartaz no Térèze, o restaurante do Hotel Santa Teresa, inaugurado por Montecer e comandado por ele durante seis anos. Outra nova pedida na casa do Centro, o carpaccio de polvo valorizado por picles de cenoura e cebola é acompanhado de mix de folhas (R$ 32,00). Sugestão de prato principal, a paleta de leitão desossada traz a carne tenra sob pele crocante, guarnecida de batata rústica, aspargos e molho barbecue de goiaba (R$ 58,00). A picanha de sol, úmida e salgada na medida, é grelhada com manteiga de garrafa e chega à mesa sob uma fatia de queijo de coalho, ao lado de feijão-de-corda, aipim frito, arroz e farofa de ovo (R$ 68,00). Da ala doce, prove a tarte tatin de manga com caramelo de cardamomo e sorbet da fruta (R$ 22,00).