Dez programas imperdíveis neste fim de semana

VEJA RIO selecionou dez atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para o show de Bruno Mars na Praça da Apoteose

Banda Black Rio

 (Banda Black Rio/Divulgação)

Famosa pelos arranjos com metais, a Banda Black Rio se apresenta no Imperator, às 17h deste domingo (19), véspera do Dia da Consciência Negra. O grupo, composto por dez músicos dará lugar ao DJ Marcello MBgroove nos intervalos do show.

Imperator. Rua Dias da Cruz, 170, Méier. Domingo (19), 17h. Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Classificação: livre.

Projeto Mojubá

 (Fernando Gomes/Divulgação)

Na cultura nagô, mojubá é uma saudação aos orixás. É também o nome do projeto que reverencia a consciência negra, reunindo artistas que valorizam o legado cultural africano. Misturando a batida da percussão com sons de afrobeat, maracatu e dubstep, o Afrojazz sobe ao palco com a cantora Larissa Luz. Juntos, interpretam a obra de ícones como Elza Soares, Nina Simone, Wilson Simonal, Erykah Badu e Luiz Melodia, além de repertório próprio. Completam a noite os baianos da IFÁ, sigla formada pela junção dos ritmos ijexá, funk e afrobeat, que exploram a diversidade da música afro.

Circo Voador. Arcos da Lapa, s/nº, Lapa. Domingo (19), a partir das 20h30. R$ 80,00 (1º lote).

Bruno Mars

 (Sebastian Kim/Divulgação)

Misture o groove funk de James Brown ao R&B meloso dos anos 90. Adicione o talento musical e os movimentos suingados de Michael Jackson. Tudo embalado por uma produção esmerada e vocais poderosos. A receita infalível já garantiu ao pop star havaiano Bruno Mars quatro Grammys e 26 milhões de discos vendidos, entre outras façanhas. O cantor, compositor e produtor, que já esteve por aqui em 2012, volta ao Rio em duas datas — a primeira delas já esgotada — com a turnê mundial do álbum 24K Magic (lançado em 2016), pontuada por efeitos pirotécnicos e de luzes sintonizados às batidas e coreografias. O roteiro alterna baladas como Just the Way You Are e a sensual Versace on the Floor, do disco novo, com momentos dançantes, garantidos pela faixa-título e pelo superhit Uptown Funk, parceria com o DJ e produtor inglês Mark Ronson. A abertura é do DNCE, do ex-Jonas Brothers Joe Jonas. 

Praça da Apoteose. Rua Marquês de Sapucaí, s/nº. Sábado (18, esgotado) e domingo (19), 20h15. R$ 300,00 (pista e arquibancada) e R$ 580,00 (pista premium).

Paulinho da Viola e Marisa Monte

 (Marcos Ramos/Agência O Globo)

Depois de estreia concorrida em junho, a elegante dupla portelense volta a se reunir para lembrar histórias e canções. No roteiro, sambas de Paulinho, alguns gravados por Marisa, como Para Ver as Meninas e Dança da Solidão, sucessos da cantora e pérolas da Portela. 

KM de Vantagens Hall. Avenida Ayrton Senna, 3000, Barra. Sexta (17) e sábado (18), 22h. R$ 180,00 (mesa lateral, esgotado) a R$ 480,00 (mesa vip e camarote).

Beatles num Céu de Diamantes

Na bem-sucedida carreira da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho, Beatles num Céu de Diamantes ocupa lugar de destaque. Levado ao palco em janeiro de 2008, o musical vem sendo encenado continuamente desde então e já foi visto por mais de 700 000 pessoas. Para iniciar as comemorações de sua primeira década, o espetáculo ganha uma curta temporada no Theatro NET Rio. Encabeçado por Malu Rodrigues (foto), o elenco é acompanhado por três músicos que apresentam uma teatral e emocionante visão sobre a obra dos Beatles. No extenso roteiro cabem canções como Help!, Hey Jude, Yellow Submarine e Ticket to Ride, entre outros grandes sucessos (90min). Livre.

Theatro NET Rio. Rua Siqueira Campos, 143, Copacabana. Sexta e sábado, 21h; domingo, 18h. R$ 50,00 a R$ 120,00. Até 17 de dezembro.

A Trama

 (Copyright Jérôme Prébois/Divulgação)

Depois de A Agenda (2001) e Entre os Muros da Escola (2008), o francês Laurent Cantet volta a abordar as diferenças sociais, raciais e econômicas de seu país em A Trama. Sua “pequena” França é muito bem resumida num microcosmo representado pela escritora Olivia (Marina Foïs) e um grupo de estudantes desajustados. Os jovens participam, obrigatoriamente, de uma oficina literária a fim de, juntos, criar um romance. Como cenário, La Ciotat, região portuária próxima a Marselha que foi próspera mais de duas décadas atrás. Entre os alunos estão descendentes de árabes, negros, um branco liberal e Antoine (Matthieu Lucci), rapaz de mente fervilhante, porém um racista de extrema direita, que esquenta o caldeirão de ideias para escrever a trama do livro. Das discussões calorosas (e muito oportunas e atuais), emergem os preconceitos. Faz todo o sentido o foco ser centrado em Antoine, um moço perdido no meio de amigos radicais e bêbados e, no fundo, descrente do próprio destino. Direção: Laurent Cantet (L’ Atelier, França, 2017, 113min). 14 anos.

Marina Monumental

 (Andrew Jorgenson/Coachella//Divulgação)

A partir de domingo (19), a Marina da Glória se transformará na versão carioca de Inhotim, com a segunda edição do projeto Marina Monumental. Tendo a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar ao fundo, dezesseis obras vão explorar a arte cinética, corrente que se vale de movimentos físicos ou ilusão de ótica para criar efeitos visuais. Uma das grandes atrações é Lamp Beside the Golden Door, criação do paulistano Gustavo Prado, exibida em abril no festival de música Coachella, na Califórnia. A instalação consiste em uma torre gigantesca revestida de vários espelhos redondos. Até 17 de dezembro.

Ceará Dando as Caras

 (André Schiliró/Divulgação)

O humorista Wellington Muniz, mais conhecido como Ceará, encarna personagens que marcaram sua carreira, como Silvio Santos e Gabi Herpes. Cantoras como Maria Bethânia e Tina Turner também ganham homenagem do ex-integrante do programa Pânico na TV (90min). 14 anos. 

Teatro Bradesco. Avenida das Américas, 3900 (VillageMall), Barra. Sábado (18), 21h. R$ 80,00 a R$ 140,00.

Meu Passado Me Condena — A Peça

 (Joao Caldas Fº/Divulgação)

Sucesso na TV e no cinema, a série estrelada por Fábio Porchat e Miá Mello ganha o palco sob a direção de Inez Viana. Em cena, os dois são um casal em noite de núpcias que, em meio às caixas da mudança, dá início a uma hilariante discussão da relação (75min). Livre. 

Teatro Bradesco. Avenida das Américas, 3900 (VillageMall), Barra. Domingo (19), 19h. R$ 60,00 a R$ 140,00.

Victoria e Abdul — O Confidente da Rainha

 (Copyright Focus Features / Peter Mountain/Divulgação)

O diretor inglês Stephen Frears não economiza no humor para registrar um encontro inusitado, só revelado em 2010, em Victoria e Abdul — O Confidente da Rainha. O ano é 1887 e, sob o domínio britânico, a Índia escolhe Mohammed (Adeel Akhtar) e Abdul (Ali Fazal) para levar à Inglaterra uma moeda comemorativa para a intrépida rainha Victoria (papel da sempre eficiente Judi Dench). Durante a cerimônia, a até então sonolenta Victoria desperta para a beleza do jovem Abdul. Decide, então, conhecer o rapaz e, de conversa em conversa, faz dele seu professor de urdu, a língua dos indianos muçulmanos. A realeza entra em polvorosa com a aproximação, mas Victoria, sentimentalmente atraída, vai a fundo em decisões polêmicas. Realidade ou ficção, o realizador atualiza um fato do século XIX pondo na berlinda a perseguição de um muçulmano pobre pelos nobres da corte inglesa. Direção: Stephen Frears (Victoria and Abdul, Inglaterra/EUA, 2017, 111min). 10 anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s