Clique e assine por apenas 4,90/mês

Ecad: O Bêbado e a Equilibrista foi a música de Aldir Blanc mais tocada

Levantamento do Escritório de Arrecadação aponta que, nos últimos cinco anos, esta foi a canção do compositor mais executada em shows

Por Marcela Capobianco - 5 Maio 2020, 10h59

Um levantamento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) preparou um levantamento sobre as músicas mais tocadas do compositor Aldir Blanc, morto nesta segunda (4), aos 73 anos, após complicações causadas pela Covid-19.

+ João Bosco se despede de Aldir Blanc com texto emocionado

“O Bêbado e a Equilibrista”, uma das canções mais marcantes da MPB e de autoria de Aldir Blanc e João Bosco, foi a mais tocada nos últimos cinco anos nos segmentos de rádio, sonorização ambiental, casas de festa e diversão, Carnaval, Festa junina, shows e música ao vivo.

+ Rita Fernandes: Perdemos o nosso mestre-sala dos mares carnavalescos

Continua após a publicidade

Logo depois da música que foi eternizada na voz de Elis Regina, o top 5 conta com Coração Pirata (Aldir Blanc/Cleberson Horsth/Nando/Eurico Filho/Serginho Herval/Ricardo Feghali/Paulinho), Entre a Serpente e a Estrela (Paul Alexander Fraser/Aldir Blanc/Stafford Terry/Stafford Terry/Paul Alexander Fraser), A Viagem (Aldir Blanc/Cleberson Horsth/Nando/Eurico Filho/Serginho Herval/Ricardo Feghali/Paulinho), Corsário (Aldir Blanc/João Bosco) e Resposta ao Tempo (Aldir Blanc e Cristóvão Bastos).

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Com um vasto repertório que marcou a história da Música Popular Brasileira, Aldir deixou mais de seiscentas obras musicais e 42 gravações cadastradas no banco de dados do Ecad. A maior parte de seus rendimentos em direitos autorais pela execução pública de suas músicas, nos últimos cinco anos, é proveniente dos segmentos de shows, música ao vivo, TVs e rádio, que correspondem a 90% do que é destinado a ele. Os herdeiros de Blanc passarão a receber os direitos autorais pela execução pública de suas músicas. Esse pagamento é assegurado por 70 anos após a morte do autor (ou do último autor, em caso de parcerias), conforme determina a Lei do Direito Autoral (9.610/98).

Continua após a publicidade

 

Publicidade