Empresa carioca Lola Cosmetics cresce 200% em meio à crise

Com nomes irreverentes e embalagens criativas, a marca faz sucesso entre as jovens brasileiras 

selmy-yassuda (selmy yassuda/Veja Rio)

Em tempos de crise econômica, apresentar um diferencial em relação à concorrência é fundamental para a sobrevivência do negócio. Foi justamente isso que fizeram as irmãs Dione e Jaqueline  Vasconcellos, e o marido desta, Milton Taguchi, donos da Lola Cosmetics. Apostando em xampus e condicionadores batizados com nome irreverente e vendidos em embalagem criativa, como pote de sorvete ou frasco de spray, desses usados para limpeza, eles conseguiram tornar seus cremes queridinhos das jovens cariocas entre 25 e 34 anos. Já pensou em comprar um cosmético chamado Morte Súbita? E que tal o Eu Sei o que Você Fez na Química Passada? Se o problema for a falta de nutriente, a linha mais indicada é a Tarja Preta. Só em 2016, a empresa cresceu 200% em vendas, levando a linha de oitenta produtos para mais de 5 000 pontos varejistas em todo o Brasil e até para o exterior. Os planos são ambiciosos: até o fim do ano saem outros vinte itens, além de uma linha de maquiagem e outra de tratamento para o corpo. “Compramos um terreno de 30 000 metros quadrados em Paracambi, onde vamos construir uma fábrica sustentável, com energia solar e reaproveitamento de água”, conta Jaqueline.

+ Empresas cariocas superam a crise e ampliam seus lucros 

A preocupação com o meio ambiente é justamente um dos pilares da marca, que nasceu em 2011 com apenas doze produtos voltados para profissionais da área. Seguindo uma tendência internacional, todos os itens vêm com selo para sinalizar quais deles são livres de sulfatos, parafinas, petrolatos e outros conteúdos prejudiciais aos fios e ao meio ambiente. Tudo isso, claro, é comunicado de forma jovem e informal através das redes sociais, outro trunfo da Lola. Não à toa, sua página no Facebook já reúne mais de 480 000 seguidores. A gerente de marketing e mídias, Renata Antunes, acredita que o bom envolvimento com as “loletes”, nome dado às fãs da marca, é crucial para que o grupo fique por dentro das necessidades do seu público-alvo. “Nós não ligamos para celebridades. O nosso maior investimento é nas clientes. Dessa forma, elas nos veem como uma amiga e nosso vínculo não acaba quando o produto chega ao fim”, afirma a profissional, que, assim como outras mulheres da equipe, é garota-propaganda de um dos best-sellers da Lola, o Poderoso Cremão. ■

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s