Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Mais de noventa endereços dos melhores bares para visitar no Rio

Da Zona Sul à Norte, foram selecionados desde os melhores botequins até quiosques e bares com vista instagramável. Confira a lista

Por Carolina Barbosa e Juarez Becoza Atualizado em 25 out 2021, 12h04 - Publicado em 22 out 2021, 06h00

CENTRO E ARREDORES

Centro

Cine Botequim
Com cartazes e memorabilia de filmes por todos os cantos, uma das principais atrações deste bar temático fica logo na porta de entrada: um Chewbacca em tamanho natural. É ali que o copiloto da Millennium Falcon, de Star Wars, cumpre expediente, dando boas-vindas aos clientes. A estrela maior é, sem dúvida, a coxinha. O salgado ostentação dos botequins cariocas tem um capítulo inteiro dedicado a ele. São dez variações de recheio que vão da spartacus (R$ 9,00), de costela com queijo, até a rambo (R$ 8,00), cremosa de frango com requeijão. Os campeões de bilheteria na hora do almoço são a parmigiana de frango marilyn monroe (R$ 30,00) e o baião de dois josé wilker (R$ 36,00). No copo, chope Colorado (R$ 10,00), cervejas Heineken (R$ 16,00, 600 mililitros) e Eisenbahn (R$ 12,00, 600 mililitros). Rua Conselheiro Saraiva, 39, Centro, ☎ 2253-1414 (120 lugares). 11h30/22h (seg. e ter. até 16h; sáb. 11h/16h; fecha dom.). http://www.instagram.com/cinebotequim. Aberto em 2010.

Labuta
Cadeiras altas com assentos em fórmica fixadas ao chão para acomodar os clientes do balcão, azulejos na parede e fardos de cerveja por todos os cantos, como Brahma e Antarctica (R$ 9,00, 600 mililitros) e Stella Artois (R$ 13,00, 550 mililitros), se misturam no ambiente localizado no mesmo imóvel do secular Armazém do Senado. Ali, Lucio Vieira, também do Lilia, mostra seu lado mais gaiato com petiscos e PFs de respeito, todos servidos com arroz, feijão e farofa. O cardápio é atualizado diariamente nas redes sociais e também em um letreiro pendurado na porta — fique de olho no dia do filé de frango à parmigiana com batata frita (R$ 36,00). Beliscos entram em cena às 15h. Tem torresmo de barriga de porco (R$ 18,00), croquete de carne (R$ 6,00) e sardinha frita (R$ 5,00). Único coquetel, a caipirinha (R$ 12,00) é feita como deve ser: cachaça, limão, gelo, açúcar e só. Avenida Gomes Freire, 256, loja dos fundos (entrada pela Rua do Senado), Centro,3148-2156 (9 lugares). 11h30/19h (fecha dom.). http://www.instagram.com/labuta_bar. Aberto em 2020.

Xian
A vista panorâmica da extensa varanda, que emoldura a Baía de Guanabara, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, é um convite a um drinque ao pôr do sol. No topo do Bossa Nova Mall e vizinha ao aeroporto Santos Dumont, a casa divide-se em diferentes ambientes, todos dedicados aos sabores asiáticos. No lounge, logo na entrada, uma carta exclusiva traz coquetéis elaborados, a exemplo do café amaretto pingado (R$ 42,00), interessante mistura de cachaça, licor de amêndoas, limão, espuma de expresso e melado. Os fãs de gim-tônica podem pedir o delicado di cissa (R$ 39,00), feito com gim Bombay Sapphire, infusão de hibiscos com cranberry e morangos, mel e canela. Da cozinha, pedidas para beliscar com os drinques nos sofás ou no terraço, ou para uma refeição mais completa no amplo salão. Para compartilhar, o pop pig (R$ 48,00) traz cubos de lombo suíno empanados com molho agridoce, abacaxi, amêndoas e tomate confit. Avenida Almirante Silvio de Noronha, 365, Centro (Bossa Nova Mall),2303-7080 e 97117-1589 (286 lugares). 12h/23h (qui. a sáb. até 0h; dom. até 22h). → http://www.xianrio.com.br. Aberto em 2017.

Estácio

Costelas
A empreitada do ex-bancário e assador de carnes Rodrigo Mendes ganhou fama como um dos melhores locais para comer costela no Rio e vai mudar de endereço. Em novembro, deixará a garagem da casa do chef, no Estácio, para se instalar num imóvel na rua dos icônicos Aconchego Carioca e Bar da Frente, levando junto os viciantes torresmos vendidos em forma de pipoca (R$ 19,90), as porções de costela suína crocante defumada (R$ 57,90) e os pratarrazes de costela bovina que alimentam até três (R$ 129,90). Do bar, ainda no endereço inicial, saem caipirinhas de vodca Smirnoff ou cachaça Seleta (R$ 20,00 a R$ 23,00), gim-tô­nica de maracujá com melado (R$ 33,00), chope Brahma (R$ 7,90) e cervejas em garrafa de 600 mililitros de diversas marcas como Stella Artois (R$ 14,00) e Colorado Appia (R$ 18,00). Rua Sampaio Ferraz, 43, Estácio,98133-7428 (40 lugares). 12h/23h (ter. a qua. e dom. até 17h; fecha seg.). http://www.instagram.com/costelasnabrasa. Aberto em 2016. Peça no ifood

Lapa

Bar Brasil
Esta embaixada de sabores alemães na Lapa mantém até hoje a qualidade dos pratos típicos do seu país de origem, muito bem acompanhados pelo chope Brahma geladíssimo (R$ 8,90, 350 mililitros), tirado com a mesma proporção de bebida e creme após passar pela centenária serpentina de 66 metros. Ao lado dele, chegam à mesa porção de minissalsichas (R$ 38,00), patê de fígado com pão preto (R$ 32,00) e linguiça caracol recheada de queijo (R$ 38,00). O kassler, costeleta de porco (R$ 64,00, para um; R$ 94,00, para dois) e o eisbein à pururuca (R$ 92), um joelho suíno carnudo e saboroso de 800 gramas, são pedidas mais robustas, para uma refeição completa, e dão direito a três guarnições. As mais solicitadas são o clássico chucrute e a impecável salada de batatas da casa. Avenida Mem de Sá, 90, Lapa,2509-5943 (50 lugares). 11h/0h (fecha seg. e ter.; dom. a partir das 17h). http://www.restaurantebarbrasil.com.br. Aberto em 1907. Peça no ifood

Booze Bar
Bons drinques são a maior diversão. Com essa premissa, a carta de bebidas transforma ícones pop em coquetéis temáticos: Madonna batiza a mistura de gim Tanqueray, Martini Bianco, maracujá, espuma cítrica de gengibre e pimenta-preta, enquanto o baby yoda leva à taça Smirnoff Passion Fruit, kiwi, sour de maçã verde, suco de limão, limoncello e tônica (R$ 32,00 cada um). Para o público cervejeiro, há dezesseis torneiras de chope plugadas, como a pilsen da casa (R$ 6,99, 350 mililitros ou R$ 25,00 no growler de 1 litro) e mais de 100 rótulos artesanais. Hit absoluto da cozinha, as coxinhas sem massa ganharam reforço. Além dos recheios de frango, costela e camarão, tem agora a de linguiça artesanal (R$ 32,00, seis unidades). Com linguiça artesanal picante, chimichurri e queijo gratinado, o choripan (R$ 29,00) é o sanduba mais pedido. Avenida Mem de Sá, 63, Lapa,2252-1588 (120 lugares). 17h/1h (fecha seg. e ter.; qua. e qui. até 0h; dom. 16h/0h). http://www.boozebar.com.br. Aberto em 2015. Peça no ifood

The Rooftop Selina Lapa
O Rio não é só mar, e uma das três vistas mais bonitas da cidade, segundo os jurados desta edição do COMER & BEBER, está sobre os históricos Arcos da Lapa. A partir de um terraço charmoso com espreguiçadeiras, ombrelones, mesas e cadeiras de diferentes estilos, o bar no alto do hotel Selina, construção centenária reformada com requintes de design, conta com cozinha do Comuna, que marcou época em Botafogo e funciona agora no andar térreo do empreendimento. Estão lá hambúrgueres como o partidão (R$ 36,00), união de 160 gramas de carne, queijo gouda, cebola-roxa, picles de pepino, maionese e molho remoulade. Da ala etílica, o drinque the roof (R$ 30,00) mistura bourbon, coentro, suco de abacaxi, compota artesanal da fruta e água com gás, e taças do vinho argentino Horizonte, branco, tinto ou rosé, são servidas a R$ 23,00. No Selina de Copacabana funciona o Flora Roof Bar, com vista para o mar, seleção contemporânea de finger foods e DJs tocando vinil. Largo da Lapa, 9,2506-7800 (100 lugares). 16h/23h (sáb. e dom. a partir das 12h). http://www.instagram.com/therooftoplapa. Aberto em 2018.

Santa Teresa

Bar do Mineiro
Após mais de um ano com o horário limitado, a casa voltou a abrir à noite e o terraço nos fundos anda concorrido. Mas é no salão azulejado, salpicado de obras de arte da coleção do dono, Diógenes Paixão, que os amantes de botequim se sentem à vontade. Os pastéis de feijão continuam liderando os pedidos (R$ 41,00, dezoito unidades), quase sempre acompanhados por nevadas garrafas de 600 mililitros de Brahma (R$ 12,00), Heineken (R$ 16,00), Original (R$ 14,00), Eisenbahn (R$ 14,00) ou pelas caipirinhas (R$ 23,00, de limão; R$ 25,00, lima ou maracujá). Para além dos pastéis, aposte no torresmo de barriga (R$ 48,00) e no bolinho de jiló com linguiça (R$ 8,00 a unidade). Nos principais, a feijoada diária é farta e muito procurada (R$ 70,00, para um; R$ 120,00, para dois), mas o feijão tropeiro com pernil (R$ 105,00, para dois) é opção que não se deve desconsiderar. Rua Paschoal Carlos Magno, 99, Santa Teresa,2221-9227 (60 lugares). 11h/17h (fecha seg.). http://www.instagram.com/bardomineiro. Aberto em 1989. Peça no ifood

ZONA NORTE

Cachambi

Cachambeer
Para os jurados do COMER & BEBER, trata-se de um dos três melhores botequins da cidade. É também o dono do que talvez seja o nome de prato mais engraçado da cidade — o infarto completo (R$ 162,90), misto de torresmo, aipim, coração de galinha, linguiça calabresa, carne de sol, carne-seca desfiada, farofa e manteiga de garrafa para quatro esfomeados se fartarem —, o botequim que botou o Cachambi no mapa é ainda mais conhecido pela sua imensa e deliciosa costela no bafo (R$ 133,90, para dois). Por anos, as peças de carne eram assadas na calçada mesmo, ao lado da fila que se forma todos os fins de semana na porta do bar. Hoje não é mais assim, mas o clima de informalidade e fartura segue a toda prova. Bandejas com pastel de camarão (R$ 9,20 a unidade), porções de costela de porco assadas no bafo e “embriagadas” na cerveja (R$ 73,90), e palmitos in natura recheados de camarão (R$ 157,40, para quatro) circulam sem parar, servindo mesas onde o chope Brahma (R$ 7,90 a tulipa e R$ 11,90 a caneca zero grau) predomina. Rua Cachambi, 475, Cachambi,3042-1640 (120 lugares). 17h/23h (sáb. 11h/0h; dom. 11h/17h; fecha seg.). http://www.instagram.com/cachambeer. Aberto em 2002. Peça no ifood

Folia do Boi
Típico bar familiar do subúrbio, especializado em carnes na brasa, a casa ganhou fama recentemente ao conseguir o vice-cam­peonato no concurso Comida de Boteco de 2021. Curiosamente, o título veio com um petisco marítimo: o folia do mar (R$ 34,90), feito de três casquinhas de aipim com camarões grelhados ao creme. A criação é uma exceção na pletora de receitas caseiras e carnívoras, onde se destacam pratos generosos como a paleta marinada na cerveja e no vinho, com bacon, champignon e cebolas (R$ 45,00, para dois), e a tigela de carne-seca, calabresa e bacon com feijão vermelho e queijo de coalho (R$ 49,90). O campeão de audiência, contudo, é a picanha com arroz de brócolis, farofa de ovos e batatas portuguesas (R$ 145,90, para dois). Tudo descendo com garrafas de Heineken (R$ 15,70) e Eisenbahn (R$ 11,90). Quarta-feira é dia de rabada (R$ 47,90) e na quinta, feijoada (R$ 45,00). Rua Cachambi, 258, Cachambi,3689-1613 (68 lugares). 11h/23h30 (seg. 10h/17h; dom. 11h/17h). http://www.instagram.com/foliadoboi. Aberto em 2015.

TasteLab NorteShopping
Setas amarelas pintadas no chão apontam para a direção dos catorze quiosques neste coletivo gourmet do NorteShopping, que reúne nomes consagrados e novidades. Inventora do famoso bolinho de feijoada no Aconchego Carioca, a chef Kátia Barbosa leva ao Katita outras versões do quitute, como o de bobó de camarão (R$ 36,50) e o de jiló com linguiça (R$ 28,60), ambos com seis unidades. À frente do Itacoa, em Paris e no Rio, Rafa Gomes assina o menu do Seu Porkinn, que tem entre as sugestões croquete de porco na lata (R$ 12,00 a unidade). Consagrado no Méier, o Bobô Bar fincou ponto com pedidas como o burger de costela no pão de alho (R$ 35,00), acompanhado por fritas e molho. Para molhar o bico, a cervejaria Noi dispõe de 23 torneiras de chope e dezoito rótulos de cerveja — a Diavolo é uma belgian strong ale envelhecida em barril de carvalho (R$ 80,00, 600 mililitros). TT Burger, Do Batista, Olenka Brownies, Grand Cru e Amázzoni Gin são algumas das operações que completam o time apontado como um dos destaques do ano pelos jurados do COMER & BEBER. NorteShopping, Cachambi,3315-4300 (160 lugares). 11h/23h (sex. e sáb. até 0h). http://www.instagram.com/tastelab_norteshopping. Aberto em 2020. Peça no ifood

Grajaú

Boteco do Raoni
Sempre presente, o proprietário Rao­ni Soares faz do bar uma extensão da sua sala de estar, na qual quase todos são bem-vindos: “É acessível e pet friendly. Proibimos a entrada apenas de pessoas chatas”. Para acompanhar as doze torneiras de chope artesanal e mais de 120 rótulos de cerveja, o anfitrião oferece belisques como as iscas de parmigiana, com pedaços de carne à milanesa, mais molho de tomate caseiro e queijo da Canastra derretido (R$ 45,00). Ainda no hall de comidinhas famosas estão a marmita de astronauta, dupla de bolinhos de feijoada completa e de arroz com queijo e calabresa (R$ 18,00), e o canastrão, cheeseburger de 200 gramas com bacon, picles e maionese de páprica picante (R$ 35,00). Irreverente como tudo por lá é a sobremesa falo nada, só Oreo (R$ 15,00), ganache de chocolate meio amargo, creme de baunilha e farofa do biscoito. Rua Barão de Mesquita, 965, loja B, Grajaú,3570-6162 (80 lugares) 11h/0h (ter. a dom.). http://www.instagram/botecodoraoni. Aberto em 2018. Peça no ifood

Enchendo Linguiça
Anos atrás, quando os irmãos Cláudio Toscano e Fernando Breschnick descobriram na Alemanha os joelhos de porco assados e pururucados em grandes assadeiras, semelhantes às nossas frangueiras de padaria, não imaginavam o que estavam por criar. Desde 2006, o Enchendo Linguiça é uma das principais referências no prato, que vem com duas guarnições à escolha (R$ 91,00, para três). Também tem joelho no pastel (R$ 10,00 a unidade) e no sanduíche de pão francês (R$ 22,00). Outra estrela são as linguiças croc, envoltas por batatas chips (R$ 77,00). Os embutidos são de fabricação própria, oferecidos em mais de dez versões: a san diego, temperada com lemmon pepper, é das mais procuradas (R$ 28,00). Há chope Brahma (R$ 8,50) e diversas opções de cerveja em garrafa de 600 mililitros. A Original sai a R$ 14,00, e a Beck’s, R$ 16,00. Avenida Engenheiro Richard, 2, Grajaú,2576-5727 (68 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 21h; fecha seg.). Aberto em 2006. http://www.enchendolinguica.com.br

Santo Remédio
Amado por uns e renegado por outros, o jiló é a estrela-guia do cardápio da Dona Fátima Bezerra. Com receitas de família, ela montou um capítulo todo dedicado à fruta de sabor amargo, que aparece em forma de petisco, empanada no parmesão (R$ 44,00), e serve também como acompanhamento de pratos principais, caso do filé-mignon (R$ 109,00). A combinação mais celebrada de todas é, sem dúvida, a amo ela qui nem jiló (R$ 54,00): vencedor do concurso Comida di Buteco 2015, o tira-gosto é servido com moela no molho e chutney de manga. Para comer com as mãos, bolinho de vagem (R$ 9,50), espetinho de filé com farofa (R$ 39,00) e pastel de queijo com goiabada (R$ 9,00) de sobremesa. Na hora de molhar a garganta, tem chope Brahma (R$ 7,90, 300 mililitros), Heineken no casco (R$ 16,90, 600 mililitros) e batida de maracujá com pimenta (R$ 9,00, 100 mililitros). Rua Barão de Mesquita, 922, Grajaú,3217-3515 (80 lugares). 11h30/23h (sex. e sáb até 0h; dom. até 18h; fecha seg.). http://www.barsantoremedio.com. Aberto em 2011. Peça no ifood

Maracanã

Bar do Bode Cheiroso
O nome, que um dia já teve tom jocoso, hoje representa o orgulho de um dos botequins tradicionais mais bem cuidados do Rio, segunda casa de vários próceres da boemia, e um dos melhores da cidade segundo o júri do COMER & BEBER. No cardápio, delícias da gastronomia popular feitas com muita qualidade, a começar pelo famosíssimo torresmo, em barra (R$ 12,00), cortado (R$ 13,00) ou em dadinhos (R$ 15,00). As iscas trás 2 montes, de miolo de alcatra à milanesa com batatas e molho gorgonzola (R$ 60,00 a porção), concorrem pelo título de preferidos da clientela com o prato de pernil com maionese (R$ 30,00) e a feijoada (R$ 34,00). Para beber, também é uma festa. Tem cervejas diversas e uma consistente carta de cachaças e drinques, em que se destacam as batidas de coco e gengibre (R$ 8,00 a dose) e o icônico chá de macaco, uma mixologia botequeira à base de conhaque de alcatrão, mel e limão (R$ 15,00). Rua General Canabarro, 218, Maracanã,2568-9511 (40 lugares). 11h/20h (dom. até 16h; fecha seg. a qua.). http://www.instagram.com/bardobodecheiroso. Aberto em 1945.

Bhar! Ginteria Descolada
Desde que abriu as portas, em 2019, o lugar ganhou fama pelo ambiente descolado e comes e bebes altamente instagramáveis. O perfil bufão só aumentou o engajamento desde então e o bar ganhou filial no polo gastronômico de Vista Alegre. Lá, também é servida a roda-gigante de coxinhas (R$ 42,90), com oito salgadinhos nos sabores frango com requeijão, calabresa, queijo e carne-se­ca, assim como a gaiola de frango a passarinho (R$ 39,90). A fanfarrice ganha força na parte etílica: os coquetéis chamam atenção pelos bilhetinhos com frases irreverentes, como “levanta a cabeça princesa, senão a coroa cai”, ou outras mais salientes. Para sair bem na foto, a dica é o frida (R$ 30,90), servido num cacto, com tequila, xarope de agave, xarope de maracujá e suco de tangerina. Rua Almirante João Cândido, loja B, Maracanã,97197-8381 (90 lugares). Avenida Braz de Pina, 2626, Vista Alegre, ☎ 97321-2899. 18h/0h (sex. e sáb. até 1h). http://www.instagram.com/bharginteriadescolada. Aberto em 2019.

Praça da Bandeira

Bar da Frente
No princípio, era uma cria do famoso Aconchego Carioca. Hoje, a casa tem uma dimensão própria que extrapola em muito o diminuto salão com simpática varandinha. Honrando a memória e o talento da mãe, Valéria Rezende, a filha Mariana segue apostando em receitas criativas, que fazem da casa um dos melhores botequins da cidade de acordo com os jurados do COMER & BEBER. Uma seleção em que o célebre porquinho de quimono (R$ 39,90, seis unidades), rolinho primavera de costela suína, puxa a fila para o fondue de coxinha (R$ 39,90, oito unidades), o bolovo (R$ 9,90 a unidade) e os gurjões de bacon, chamados carinhosamente de cubos de amor (R$ 24,60 a porção). Há ainda pratos robustos: o jambalaya, cheio de picância, com camarão, frango, linguiça, pancetta e pimentões (R$ 109,50, para dois), é um deles. Para beber, artesanais como a Hocus Pocus Interestelar (R$ 34,60, meio litro) e a Colorado Ribeirão (R$ 18,90). Rua Barão de Iguatemi, 388, Praça da Bandeira,2502-0176 (30 lugares). 12h/22h (qua. e dom. até 17h; qui. até 20h; fecha seg. e ter.). http://www.instagram.com/bardafrente. Aberto em 2009. Peça no ifood

Noo Cachaçaria
O barzinho com toque charmoso e feminino dá o verniz elegante que toda boa cachaça merece. Escolhidos a dedo, cerca de cinquenta rótulos de primeira podem ser degustados por dose ou na ampla seleção de drinques clássicos e autorais. Nesse segundo time estão o minas mule, homenagem ao famoso coquetel de inspiração russa, com cachaça, tônica, limão, gengibre e merengue (R$ 26,00), e a sangrichaça, que serve 1,5 litro de sangria feita com cachaça, tangerina, laranja e limão (R$ 78,90). Já a concorrida aquarela de batidas oferece dez sabores para o cliente escolher seis (R$ 30,00). Tem de graviola a taperebá. Para forrar, o bolinho de cucuruqui, feito de tapioca, queijo e linguiça (R$ 32,00, seis unidades), e a canjiquinha de linguiça com queijo de coalho (R$ 28,00) são dois queridinhos da casa. Rua Barão de Iguatemi, 358, Praça da Bandeira,99726-8608 (45 lugares). 12h/21h (qua. e dom. até 17h; fecha seg. e ter.). http://www.instagram.com/noocachacaria. Aberto em 2015.

Riachuelo

Pescados na Brasa
No ano passado, o botequinho improvisado do casal Júnior e Adriana no Baixo Riachuelo era uma bela promessa vinda de Belém. Mas em 2021, apesar da pandemia, cresceu, ganhou justa fama e tornou-se uma embaixada do Pará no Rio. No ambiente amplo e com mesas na calçada (que se estendem para a rua aos domingos), a entrada de costela de tambaqui no molho de tucupi (R$ 45,90), os pastéis de vatapá (R$ 8,90 a unidade) e os dadinhos de pirarucu (R$ 44,90) são paradas obrigatórias. Depois, a escolha é difícil. Tem feijoada paraense com maniçoba (R$ 31,90), a novidade do hambúrguer de tambaqui com jambu (R$ 32,90) e, claro, as estrelas na brasa, como o lombo de pirarucu no tucupi com camarão, arroz, pirão e farofa (R$ 149,90, para três). Para beber, caipirinha de limão com jambu (R$ 17,90), chope ou cerveja em garrafa. Rua Vítor Meireles, 92, Riachuelo,2239-9540 e 99359-4753 (80 lugares). 11h/19h (sex e sáb. até 22h; dom. até 18h; fecha seg.). http://www.instagram.com/pescadosnabrasa. Aberto em 2019. Peça no ifood

São Cristóvão

Seu Cristóvão
Mantendo a vocação do bairro imperial, aqui tem futebol, cerveja gelada, música ao vivo e o que mais couber no combo entretenimento para toda a família. Perto da Quinta da Boa Vista, é pouso certo tanto para petiscos quanto para pratos fartos, que servem bem até quatro pessoas — caso da costela no bafo com arroz branco, batata chips e farofa de ovos (R$ 129,90). O chope da casa é um encorpado red ale (R$ 9,90, 300 mililitros), as cervejas de garrafa vão da Brahma (R$ 9,00, 600 mililitros) a Therezópolis Gold (R$ 19,90, 500 mililitros), e as batidas (R$ 6,00) trazem sabores como coco, morango, maracujá e gengibre. Vão bem com a batata seu cristóvão (R$ 24,90), com molho especial da casa, e o pão com linguiça (R$ 25,90), com queijo de coalho gratinado na hora e batata rústica. Rua São Cristóvão, 291-A, São Cristóvão,3860-5278 (80 lugares). 11h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 17h). → http://www.instagram.com/seucristovaorio. Aberto em 2015. Peça no ifood

Tijuca

Bar do Momo
Se a Tijuca é o Maracanã dos botequins, o Bar do Momo é a estátua do Bellini. É ali que todo mundo se encontra: moradores do bairro, forasteiros, donos de outros bares e músicos que dão expediente às segundas no Samba do Trabalhador. Sob a tutela da família Laffargue desde 1986, o bar foi ganhando frequentadores fiéis em busca da feijoada do patriarca Tonhão (R$ 35,00, pequena; R$ 45,00, grande, de sexta a domingo). Inspirado pelo pai, Toninho atualmente é o responsável pelas criações que saem da cozinha para a fama, como o bolinho de arroz com queijo (R$ 8,00) e o bolovo de bacalhau (R$ 14,00). Às quartas são de empadas, de queijo (R$ 7,00) e rabada com pesto de agrião (R$ 8,00), e às quintas acontece o Festival de Hambúrguer, com dez opções do sanduíche. Das geladeiras saem garrafas de 600 mililitros de Original (R$ 13,00), Brahma Duplo Malte (R$ 12,00), Colorado Ribeirão (R$ 16,00) e batidas sensacionais (R$ 8,00). Rua Espírito Santo Cardoso, 50, Tijuca,2570-9389 (80 lugares). 12h/22h (dom. 12h30/17h30; fecha ter.). http://www.instagram/bardomomooficial. Aberto em 1972.

Bar Madrid
Cultuado pela nata da boemia de rua carioca desde a inauguração, há seis anos, o bar é tão ortodoxo nos valores botequeiros quanto nas tradições ibéricas, origem dos donos André e Felipe Quintans. No modesto salão e nas mesas na calçada, em meio a engradados, o croquete de língua e o bolinho de espinafre (R$ 9,00 a unidade de cada um) são petiscos absolutamente originais. Assim como os huevos rotos (R$ 45,00), o café da manhã dos campeões na Espanha, feito com presunto cru espanhol, ovos fritos e batatas fritas, e o pintxo cocodrilo (R$ 42,00), quatro espetos de filé-mignon com batata portuguesa e creme de gorgonzola, típicos das ruas de La Coruña e únicos no Rio. O espanholíssimo tinto de verano (R$ 23,00), feito de vinho, gelo e água com gás, é sempre uma opção tradicional, mas o que se bebe mesmo por aqui são garrafas de Brahma (R$ 11,00), Bohemia (R$ 11,00) e Original (R$ 14,00). Rua Almirante Gavião, 11, loja G, Tijuca,3594-8526 (40 lugares). 11h/18h (fecha seg. a qua.). http://www.instagram.com/barmadrid. Aberto em 2015.

Da Gema
Trata-se de um dos primeiros botequins com alma de alta gastronomia da cidade, em funcionamento numa antiga oficina com pé-direito alto e paredes grafitadas. Das mãos talentosas dos sócios Luiza Souza — a “musa das panelas” — e Leandro Amaral saem as icônicas coxinhas da casa, fartas e leves (R$ 9,00), e a porção de barriga de porco com quiabo (R$ 65,00). Combinações raras são comuns por aqui, como a dupla de jilós rechea­dos com vinagrete (R$ 12,90) e a porção de dadinhos de polenta com shiitake (R$ 72,90), veganíssimos. O chope (R$ 7,50) atrai os sedentos, junto com garrafas grandes de Stella Artois e Serramalte (R$ 14,00 cada uma), Original (R$ 13,00) e Beck’s (R$ 16,00). Aos mais ousados, uma novidade etílica que serve também como sobremesa: batida de doce de leite com amendoim (R$ 12,00). Rua Barão de Mesquita, 615, Tijuca,3548-0857 (60 lugares). 17h/22h (sáb. a partir das 12h; dom. 12h/16h; fecha seg. a qua.). http://www.instagram.com/bardagema. Aberto em 2009. Peça no ifood

Salete
Este quase septuagenário símbolo da tradição tijucana é administrado por mulheres. E sua marca registrada, além do salão, que mais parece uma viagem no tempo, também é muito feminina: as empadas eternamente campeãs, de sabores diversos e com massa que derrete na boca. Silvia e Katia, filhas do fundador, Manolo, tomam conta do negócio. Graças a elas, agora é possível também comer em casa, via delivery, o salgado clássico de frango (R$ 7,30), palmito (R$ 7,50) e camarão flambado na cachaça com requeijão e alho-po­ró (R$ 8,90). Para fomes maiores, pratos muito fartos de frutos do mar são boa pedida: o grelhadão de frutos do mar do manolo (R$ 170,00, para dois) leva polvo, lula, camarão, batata, alho, arroz de leite de coco e farofa cítrica. O chope é Brahma (R$ 8,90) ou Therezópolis (R$ 9,20), e há também combos econômicos, com três cervejas de 600 mililitros da Original, a R$ 35,00. Rua Afonso Pena, 189, Tijuca,2264-5163 (96 lugares). 10h/22h (sáb. e dom. até 20h). http://www.instagram.com/restaurantesalete. Aberto em 1957.

Wursteria
Com o pé fincado na tradição do currywurst, o salsichão branco com molho de ketchup temperado com curry e servido ao lado de batatas fritas, a marca nasceu na Tijuca, mas já ampliou as bases e o cardápio. Agora, com uma segunda filial no Boxx Botafogo, passou a encantar os fãs de comida de rua germânica com generosos cachorros-quentes artesanais. Um deles é o copenhagen (R$ 25,50), de salsicha frankfurter, molho remoulade, picles e cebola frita. Nos fins de semana, os almoços oferecem pérolas como o jägerschnitzel mit pommes (R$ 46,50), um lombo suíno empanado na farofa crocante de panko ao molho de cogumelos, que pode vir com salada de batatas e o chucrute da casa. As bebidas ficam por conta do mate casiro (R$ 6,00), da cerveja de trigo Franziskaner (R$ 28,00) ou de um generoso gim-tônica (R$ 34,00). Rua Uruguai, 397, loja B, Tijuca,99760-5819 (46 lugares). 17h/23h (sex. até 0h; sáb. 12h/0h; dom. até 22h; fecha seg.); Rua São João Batista, 26, Botafogo,97117-0975. 11h/22h (dom. 12h/18h). http://www.instagram.com/wursteria. Aberto em 2016. Peça no ifood

ZONA OESTE

Barra

Bar Alcione
Em novembro de 2020, sob os bons ventos da primeira flexibilização da quarentena, a Casa da Marrom abriu as portas. Comandado pelos donos da rede Rei do Bacalhau Pizza & Grill, o empreendimento da diva do samba tem cardápio assinado por Kátia Barbosa. Da cozinha, saem clássicos como o croquete de vaca, feito com costela (R$ 34,90, seis unidades), e os caldinhos de feijão (R$ 16,90) e de bobó de camarão (R$ 19,90). Se a fome crescer, os espetinhos de queijo, carne, frango ou misto saem entre R$ 13,90 e R$ 22,90. O chope Brahma (R$ 9,90) anima o salão, ao lado de garrafas de Serramalte (R$ 17,90), caipirinhas (a partir de R$ 24,90) e batidas de fruta (R$ 14,90, 80 mililitros), mas o melhor fica por conta dos coquetéis inspirados na obra da cantora. Meu ébano, por exemplo, leva Amarula, vodca, xarope de cookie, espuma de chantili, Ovomaltine, água de coco e calda de chocolate (R$ 36,00). Este, aliás, é o preferido da Marrom, que tem feito shows intimistas por lá e, em outubro, inaugura filial no Casarão Ameno Resedá, no Catete. CasaShopping, Avenida Ayrton Senna, 2150, Barra,99707-9497. 18h/1h (sáb. e dom. a partir das 12h). http://www.instagram.com/bardaalcione. Aberto em 2020.

Bar do Zeca Pagodinho
O bar-tributo ao sambista mais boêmio do Brasil não podia ter nada diferente da fórmula petisco, cerveja e comida farta, bem brasileira. A programação musical, claro, é intensa e, na decoração, o foco são as lembranças da vida de Zeca, com direito a um espaço chamado de Casa de Xerém, alusão ao local onde o cantor promove seus lendários encontros musicais. Assinado pelo bamba dos botequins Toninho Laffargue, do Bar do Momo, o cardápio conta com coxinha de rabada (R$ 40,00, seis unidades) e a tábua de bar, indecência que serve até quatro com costela na cerveja preta, carne assada e pernil, acompanhados de batata e cebola calabresa (R$ 130,00). Aos fins de semana tem feijoada (R$ 49,00). O chope é Brahma (R$ 9,50), mas a casa conta com long necks da Beck’s (R$ 12,00) e outros rótulos de 600 mililitros. Shopping Vogue Square, Barra,3030-9097 (600 lugares). 18h/1h (sex. e sáb. 12h/3h; dom. 12h/23h). http://www.instagram.com/bardozecapagodinho. Aberto em 2018.

Mercado de Produtores Uptown
Entre botecos, restaurantes, cafés e outros pontos de comidinhas, mais de quarenta endereços ocupam um bloco inteiro do shop­ping na Barra, premiado como um dos destaques do ano do COMER & BEBER na categoria espaço compartilhado. Recém-che­gado, o Katita, da chef Kátia Barbosa, divide espaço com o veterano Ceviche da Fabi, que oferece variações do prato peruano. O thai (R$ 33,00), com ou sem camarão, leva peixe branco com curry, leite de coco, marinada cítrica, cebola-roxa e pimen­ta-dedo-de-moça e pode ser degustado com pisco sour (R$ 30,00). Na cervejaria Tio Ruy, doze torneiras são abastecidas por receitas da casa e de outras marcas. O chope red ale (a partir de R$ 8,00, 200 mililitros) cai bem com a porção de croquetes de carne, queijo ou calabresa (R$ 29,00, seis unidades). Em outubro, será inaugurada ainda uma filial do bar Mané. Workshops, invasões gastronômicas, oficinas infantis e outras atrações completam a programação. Avenida Ayrton Senna, 5500, bloco 12 (Uptown Barra),3030-5500 (1000 lugares). 11h/0h (dom. 12h/22h). http://www.uptownbarra.com.br. Aberto em 2017. Peça no ifood

Ora Pois
A varanda na orla, com o visual da praia na Barra, é um local privilegiado para provar os petiscos e pratos de origem lusitana que homenageiam clássicos de bons portugueses no Rio. Pudera: o chef Clóvis Florêncio trabalhou por 37 anos no saudoso Antiquarius e entende do riscado. A açorda de bacalhau (R$ 39,00) é entrada consistente que traz o peixe em lascas com pão umedecido, coentro e azeitonas pretas. O bolinho de arroz de pato e gorgonzola (R$ 34,00) é uma especialidade local, com geleia de laranja ao lado. Vale conferir ainda a coleção de arrozes como o de polvo com mexilhões e pimentões vermelhos (R$ 98,00) e, nas sobremesas, o impecável rocambole de laranja com a calda da casca (R$ 18,00). A carta de vinhos é numerosa e oferece rótulos portugueses como o branco Pouca Roupa, da região do Alentejo (R$ 170,00, 750 mililitros). Rua Prof. Coutinho Fróis, 10, Barra,3798-2852 (130 pessoas). 12h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 22h). → http://www.instagram.com/bar.orapois. Aberto em 2021.

Vizinho Gastrobar
Eleita a melhor bartender da América Latina e detentora de inúmeros prêmios de coquetelaria, Jessica Sanchez já ganhou o mundo há tempos. Mas é no universo particular deste balcão que ela é mesmo feliz — e os clientes, mais ainda. Difícil não se encantar com a decoração simples, colorida e elegante do pequeno “caixote” de vidro no lado externo do Shopping Vogue Square. Especialmente quando se tem à mão uma taça do elle, criação de Jessica com gim, redução de tônica, licor de flor de sabugueiro e pó de ouro (R$ 34,00). Ou um error 404, mais intenso, com vodca, absinto, licor artesanal de cereja, solução de ácido cítrico e bitters (R$ 32,00). Para beber comendo, o steak tartare da casa (R$ 59,00) tem o charme de levar ovo de codorna, e do forno saem as pizzas de burrata e de presunto de Parma com brie (ambas a R$ 26,00). Shopping Vogue Square, Barra,97154-0841 (140 lugares). 18h/1h (fecha seg.; dom. ter. e qua. até 23h). http://www.instagram.com/vizinhogastrobar. Aberto em 2016. Peça no ifood

Jacarepaguá

Art Chopp
A mudança de endereço, no ano passado, caiu como uma luva: a casa atual, maior e com mais mesas ao ar livre, adéqua-se melhor aos tempos de pandemia. Especializado em carnes no bafo em porções sempre generosas, o endereço aposta no cupim defumado em lenha de macieira. Mais de 1 quilo de carne, acompanhada por arroz, farofa, fritas e cebola (R$ 138,00). O prato se junta a um exército de comidões que conta ainda com um joelho de porco defumado e refogado no bacon (R$ 128,00) e outras duas dezenas de cortes, caldos e sanduíches. Todo esse exagero é fruto da paixão de Diogo Freitas, o dono, pela cozinha farta e popular. Por outro lado, Kelly, sua esposa e sócia, responde pelos drinques da casa, também populares e criativos. A aquarela de batidas (R$ 24,99) traz oito shots com sabores clássicos e exóticos, e o dona flor mistura cachaça com Aperol e maracujá (R$ 30,90). Estrada Macembu, 63, Taquara,3486-6493 (223 lugares). 17h/0h30 (sáb. 12h/0h30; dom. 12h/23h30). http://www.instagram.com/artchopp. Aberto em 2011.

ZONA SUBURBANA

Benfica

Velho Adonis
De velho, aqui, só o valor da tradição. Depois que foi adquirido pelo ex-som­melier do Antiquarius e empresário de boteco João Paulo Campos, a casa ganhou fôlego de garoto, mesclando as origens populares com um toque de sofisticação. Uma mistura que tem deixado o salão, agora refrigerado, lotado todo fim de semana. A atração número 1 segue sendo o chope (R$ 7,60) tirado à perfeição da serpentina de 90 metros de cobre, uma das mais antigas da cidade. O tradicional bolinho de bacalhau (R$ 5,90) ainda é estrela entre os petiscos, mas agora concorre no gosto do público com a cumbuquinha de polvo com bacon (R$ 38,90), feita numa releitura botequeira da tradicional receita do Antiquarius. O petisco é quase tão procurado quanto o bacalhau em lascas no azeite (R$ 45,90) e o camarão à matosinho (R$ 36,90), frito no azeite com pimentões, alho e coentro. Rua São Luiz Gonzaga, 2156, Benfica,2026-4186 e 96514-1361 (120 lugares). 10h/23h (dom. 9h/18h; fecha seg.). http://www.instagram.com/velhoadonis. Aberto em 1952. Peça no ifood

Zinho Bier
Pioneira em oferecer costela no bafo em porções generosas, este clássico suburbano tem decoração cuidadosa, diferentes ambientes e música ao vivo. A famosa receita brinca nas onze do cardápio, abrilhantando o bolinho com catupiry (R$ 35,00, seis unidades) ou o pastel de queijo (R$ 6,80 a unidade). Como prato principal, a costela vem marinada no vinho e em ervas finas (R$ 169,00, para quatro) e chega à mesa acompanhada de arroz, batata chips, farofa e molho à campanha. O cardápio também conta com churrasco “de tudo um pouco”: baby beef, filé de frango, mignon suíno, linguiça de pernil, arroz, batata chips, farofa e molho à campanha (R$ 155,00, para quatro). Para beber, chope Brahma (R$ 7,50), cervejas artesanais como a american pale ale da Hocus Pocus Apa Cadabra (R$ 26,00, 500 mililitros) ou cervejas em geral — a Stella Artois de 600 mililitros custa R$ 14,00. Rua São Luiz Gonzaga, 2330, Benfica,3556-8310. 11h/16h (qui. a sáb. até 23h; dom. até 18h) (normalmente, 224 lugares; agora, com as restrições da pandemia, 70 lugares). http://www.instagram.com/restaurantezinhobier. Aberto em 1998. Peça no ifood

Ramos

Bar da Portuguesa
Recentemente condecorado com o título de patrimônio cultural da cidade, o endereço a cada ano ganha mais contornos de templo sagrado da boemia suburbana. Adornado pela estátua de Pixinguinha, que era assíduo frequentador, a casa de Dona Donzília e dos filhos Paulo e Cristiane Gomes atrai gente do mundo inteiro em busca do clima familiar e dos petiscos famosos. É o caso das sardinhas de sábado (R$ 6,00 a unidade), do torresmo de barriga (R$ 2,80 a unidade) e dos jilós recheados com linguiça (R$ 8,50 a unidade) dos domingos. Para todos os dias, as fartas fritadas de bacalhau ou camarão (R$ 70,00) são imperdíveis, além de duas novidades: as tortinhas de massa de pastel rechea­das com bacalhau (R$ 8,00) ou camarão (R$ 9,50). Dos freezers saem cervejas em garrafa de 600 mililitros (de R$ 9,80, Brahma, a R$ 14,80, Serramalte). Rua Custódio Nunes, 155, loja D, Ramos,3486-2472 (50 lugares). 17h/23h (sex. até 0h; sáb. e dom. 11h/18h; fecha seg). http://www.instagram.com/bar_da_portuguesa. Aberto em 1968. Peça no ifood

ZONA SUL

Botafogo e Humaitá

Bar Kalango
A nova empreitada de comida nordestina com levada fusion da família Barbosa tem à frente a chef Bianca e traz na retaguarda toda a experiência da mãe, Kátia, criadora do Aconchego Carioca. Depois do fechamento do inesquecível Kalango original, na Praça da Bandeira, a nova versão da casa, em Botafogo, tem mais estrutura e um cardápio focado nos petiscos de botequim. O desfile de entradas começa com os clássicos bolinhos de feijoada (R$ 32,00, quatro unidades) e de jiló com linguiça (R$ 32,00, quatro unidades). Evolui para os nuggets de pamonha com molho de goiabada (R$ 29,00, porção com quatro unidades) e os sonhos de macaxeira. O de carne de sol com natas custa R$ 23,00. Entre os principais, o estrogonofe sertanejo, feito de carne de sol com palha de aipim (R$ 45,00), é imperdível, assim como o copa lombo com cuscuz de milho (R$ 37,00). Das geladeiras estalando saem cervejas de garrafa de 600 mililitros: Original (R$ 13,00), Beck’s (R$ 15,00) e Heineken (R$ 16,00). Rua Arnaldo Quintela, 44, Botafogo,3178-0811 (70 lugares) 12h/23h (sex. e sáb. até 1h). http://www.instagram.com/barkalango. Aberto em 2021.

Boleia
O bar feito por e para mulheres gays já é um símbolo da diversidade, mas abraça calorosamente todos os gêneros identitários que frequentam a casa com arcos de neon arco-íris e uma frente de caminhão presa na parede. Além de colorido, o local também é musical, com direito a DJ residente, uma equipe formada exclusivamente por mulheres e cardápio muito divertido. O frango é à periquita (R$ 32,00) e vem empanado na farinha panko com maionese de páprica. Já o velcro smashed burger (R$ 36,00) traz um blend de costela e acém com cheddar no pão de brioche. Entre os drinques, sorve-se o adrimanga calcanhotto (R$ 28,00), uma gim-tônica com redução de manga, maracujá, cumaru e pimenta-da-jamaica, mas o mais popular é o chanacomchana (R$ 26,00), mistura de vodca com chá de capim-limão e cunhã, abacaxi, gengibre e limão-siciliano. Rua Capitão Salomão, 55, Humaitá,96783-0844 (150 lugares). 18h/23h (sex. a dom. até 1h; fecha seg.). http://www.instagram.com/boleiabar. Aberto em 2020. Peça no ifood

Boteco Colarinho Escondido, CA
Um dos primeiros bares do Rio a oferecer cerveja artesanal em múltiplas torneiras passou por mudanças durante a pandemia e agora mantém, além da tradicional sede, em Botafogo, uma moderna filial no Arpoador. Só ali são 24 torneiras, cuidadas pela equipe do empresário e profundo conhecedor Diego Baião. Há os rótulos próprios, como a Colarinho Pilsen (R$ 8,90, 300 mililitros), e convidadas muito procuradas, tipo a Roter Summer Ale (R$ 12,90). Os bons de prato podem se deliciar com a barriga de porco na brasa com minicebolas (R$ 32,90). Nas duas lojas, as lembranças da antiga Birreria Escondido, pizzaria do grupo que fechou, seguem redivivas no novo forno napolitano, que assa uma excelente carbonara (R$ 75,90, com 35 centímetros de diâmetro). Rua Francisco Otaviano, 30, Copacabana,2522-9800 (130 lugares). 17h/1h (sáb. e dom. a partir das 12h; fecha seg.); Rua Nelson Mandela, 100, loja 127, Botafogo,2286-5889 (170 pessoas). 12h/1h (ter. a partir das 17h). http://www.instagram.com/botecocolarinho. Aberto em 2010. Peça no ifood

Boxx Botafogo
Inspirado nos populares mercados verticais americanos e europeus, o espaço, de 900 metros quadrados, reúne boas opções para beliscar e beber, além de expositores de moda e beleza e área para crianças. No Desatino Bar, a premiada mixologista Jéssica Sanchez (Vizinho) assina a carta de drinques, com receitas clássicas e autorais — o nacho libre (R$ 30,00) combina tequila, Aperol, redução de tangerina, limão e espuma cítrica. Em seu Ogro Steaks, o chef Jimmy McManis serve cortes de carne e suculentos hambúrgueres como o que leva seu sobrenome, preparado com 180 gramas de carne, queijo Monterey Jack, cebola caramelizada e maionese artesanal de alho no pão pretzel (R$ 38,00). Recém-chegado, o Eiyo Sushi aposta em combinados montados à moda do freguês e pedidas tipo o tartare de salmão com azeite trufado e flor de sal (R$ 34,90). De inspiração portuguesa, a Tasca É Giro oferece tapas como bolinho recheado de queijo Serra da Estrela (R$ 20,00 a unidade) e vinagrete de frutos do mar (R$ 39,00). Rua São João Batista, 26, Botafogo,97495-2483 (220 lugares). 12h/22h (sex. e sáb. até 23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/boxxbotafogo. Aberto em 2020.

Canastra Rose
Com o “fim” do Canastra de Ipanema (que virou o Pizza Canastra), o Canastra Rose de Botafogo agora abriga os fãs dessa casa francesa que inaugurou no Rio o conceito de botequim enólogo. O que no primeiro endereço era puro improviso, no casarão de Botafogo é só charme, com lustres e candelabros em iluminação elegante. A carta de vinhos oferece em torno de quinze rótulos de tintos, brancos e espumantes — estes, os mais procurados —, a preços que não ultrapassam os R$ 120,00 e podem ser consumidos de pé, no salão principal ou no charmoso terraço no 2º andar, harmonizando com carnes suculentas feitas na churrasqueira. A mais pedida é o la pièce du boucher (R$ 135,00), prime rib de 750 gramas regado com chimichurri e molho do chef. Os sócios do Canastra, que já virou uma rede, respondem também pelo S Bistrô, que tem filiais no Leme e no Humaitá. Rua Álvaro Ramos, 154, Botafogo,99061-8080 (150 lugares). 18h30/1h (ter. e qua. até 0h; fecha dom. e seg.). http://www.instagram.com/canastrarose. Aberto em 2018.

Cobre
O slogan diz tudo: um restaurante que é bar, e vice-versa. O nome também é cristalino: por aqui, a decoração é toda feita de… cobre. Cenário perfeito para drinques criativos e opções de vinho em taça (sob consulta) e em garrafa, entre R$ 70,00 e R$ 120,00. São elas a companhia perfeita para as estrelas da casa: pizzas de lenta fermentação assadas na lenha em tamanhos para uma pessoa. A novidade imperdível é a de croque-monsieur (R$ 42,00), com bechamel, mussarela fior di latte, presunto royale, queijo gruyère e crumbs. Já a exótica joy (R$ 48,00) vem com sour cream, mussarela fior di latte, salmão gravlax, cebola-roxa, molho tonkatsu e endro. O spritz de ramazzoti com morango e hortelã é boa pedida entre os drinques e há ainda uma descoberta surpreendente: as coxinhas de costela com catupiry (R$ 36,00). Rua Visconde de Caravelas, 149, Humaitá,97986-9900 (60 lugares). 18h/0h (fecha seg. e ter.) http://www.instagram.com/cobre.rio Aberto em 2018. Peça no ifood

Fuchico Bar
Desde 2020, esta é a nova casa do icônico Chico Chagas, ex-garçom do Bracarense e ex-sócio dos extintos Chico & Alaíde e Combinado Carioca. Lembranças dos tempos do Leblon estão presentes nos petiscos e pratos, como o bolinho de camarão e catupiry (R$ 9,00 a unidade), o mais famoso. Mas há também os bolinhos de abóbora com camarão ou carne-seca (R$ 9,00 a unidade), as empadas de frango, camarão e palmito (R$ 7,00 a unidade) e o camarão fuchico (R$ 31,00), releitura do antigo “choquinho” do Chico & Alaíde, feito com um camarão VG recheado com catupiry e coberto por espessa camada de batata palha. O cardápio diário é vasto, mas deixa o melhor para o fim de semana. Sexta é dia de feijoada, sábado tem bobó e, no domingo, o cozido do Chico. Todos a R$ 120,00, para dois. O chope Amstel (R$ 8,50, 300 mililitros) é tirado com qualidade e sempre bem gelado. Rua Conde de Irajá, 503, Botafogo,2147-6720 (72 lugares). 11h/0h (dom. até 19h; fecha seg.). http://www.instagram.com/fuchicobar. Aberto em 2020. Peça no ifood

Hocus Pocus DNA
Desde a flexibilização da quarentena, o gastrobar da cervejaria carioca resolveu apostar mais nela mesma: as catorze torneiras agora são abastecidas só por rótulos próprios, incluindo a recém-lançada Alma (R$ 14,00, 300 mililitros), mais leve, com aveia na composição. Outra opção é a Orange Sunshine, american blonde ale cítrica e refrescante, com forte toque de laranja (R$ 15,00, 500 mililitros), ou a Magic Trap, primeira criação da marca, uma belgian golden strong ale, dourada, cristalina, com aroma intenso de banana e alto teor alcoólico (R$ 17,00, 500 mililitros). Para rebater tanta cerveja boa, a porção de azeitonas fritas (R$ 19,00) é um dos tira-gostos mais pedidos. O croquete de rabada (R$ 28,00, quatro unidades) e as tirinhas de frango empanadas na panko e no fubá com maionese de curry (R$ 28,00) também dão aquela força para tomar mais uma. Rua Dezenove de Fevereiro, 186, Botafogo,4107-3107 (35 lugares). 12h/23h (qui. até 0h; sex. e sáb. até 2h; fecha dom.; seg. fechado entre 15h/18h). Aberto em 2016. Peça no ifood

Continua após a publicidade

Liga dos Botecos
Em 2018, quatro dos botequins mais emblemáticos do Rio decidiram unir forças em um casarão em Botafogo, com direito a varanda, área externa, um balcão rasgado para a rua e, mais recentemente, a abertura de um terraço. Para abrir os trabalhos com chope (R$ 8,50, 300 mililitros) ou cerveja Colorado Appia (R$ 27,50, 600 mililitros), peça a tábua da liga (R$ 89,90), com um pouquinho de cada bar: dois bolinhos de arroz (Bar do Momo), dois croquetes de joelho de porco e dois croquetes de stracotto (Botero), três porquinhos de quimono (Bar da Frente), um pastel de camarão e outro de costela no bafo (Cachambeer). O local tem drinques autorais e uma carta dedicada ao gim-tônica. Funciona assim: você escolhe o rótulo do destilado e depois uma das sete misturas de insumos e especiarias — a de Amázzoni, limão-siciliano, zimbro e tônica sai a R$ 27,90. Rua Álvaro Ramos, 170, Botafogo,3586-2511 (130 lugares). 17h/0h30 (sex. e sáb. até 1h; dom. 12h/23h30; fecha seg.). http://www.instagram.com/ligadosbotecos. Aberto em 2018. Peça no ifood

Le Terroir
Inaugurado no meio da pandemia, este bar dedicado ao vinho em clima de despojamento acaba de completar um ano oferecendo experiências acolhedoras tanto para conhecedores quanto para leigos nas artes enófilas. A carta, nada pretensiosa, oferece 55 rótulos de espumantes, brancos, rosés e tintos, todos com boa relação custo-be­nefício. O chileno Santa Ema Select Terroir Reserva Rosé (R$ 86,00), orgânico que combina cabernet sauvignon e syrah, e o pinot noir francês Les Athlètes Pinot (R$ 210,00), tinto frutado mais leve e fresco, figuram nas duas extremidades de preço. É novidade a régua de vinho, que permite degustar até quatro taças distintas, boa opção para harmonizar com a tábua de salame italiano, copa, grana padano, gruyère, canastra e scarmoza defumada (R$ 79,00). Num futuro próximo, a casa promete uma programação de degustações e música ao vivo. Rua Conde de Irajá, 201, Botafogo,98302-6967 (68 lugares). 17h30/1h (ter. e qua. até 0h; fecha seg. e dom.). http://www.instagram.com/leterroirbotafogo. Desde 2020. Peça no ifood

Meza Bar
O premiado gastrobar da chef Andressa Cabral adentra os anos sem perder o jeitão cool e o interesse dos fãs da mixologia e da gastronomia criativa — tudo isso agora num ambiente mais espaçoso e de acordo com os novos tempos. No imenso balcão, os clientes veem os bartenders trabalharem enquanto escolhem entre coquetéis como o sereno (R$ 29,00), de gim Tanqueray, limão e xarope de ervas, e o madame janelle (R$ 25,00), vodca em infusão de gengibre e pimenta-de-macaco com vermute branco e jabuticaba. Para comer, os potinhos seguem na crista, agora em forma de álbum de viagem: o goiás velho (R$ 42,00) traz costelinha confit, arroz da terra, farofa de couve, chips de jiló e picles de beterraba, e o saigon (R$ 42,00), iscas de carne no alho, kim­chi, noodles, broto de feijão e ovo curado. Nas opções cervejeiras, destaque para a Classic Ipa da Three Monkeys (R$ 33,00) na garrafa de meio litro e a long neck da Hocus Pocus Orange Sunshine (R$ 18,00). Rua Capitão Salomão, 69, Humaitá,3239-1951 (80 lugares). 18h/1h (dom. 17h/0h; fecha seg.). http://www.instagram.com/mezabar. Aberto em 2008.

Porco Amigo Bar
Foi-se o tempo que a esquina das ruas São Manuel e Fernandes Guimarães era um tranquilo recanto em Botafogo. Há três anos ali, a empreitada marca a porta de entrada para o novo agito da região. Tudo com petiscos e pratos de carne suína criados pelo chef Nery Owczarzak, ex-Ven­ga!, distribuídos ao longo de 25 sugestões. Para começar, os imperdíveis croquetes de costela desfiada (R$ 30,90, com quatro unidades), podem vir ao lado da porção de torresmo (R$ 16,90) ou de presunto de Parma (R$ 33,90). Fomes mais consistentes encontram bochecha de porco preto com aipim cozido e agrião (R$ 55,90), estrogonofe de porco (R$ 47,00) e matambre à parmigiana (R$ 51,00). O chope custa R$ 8,00 e há diversos rótulos de cerveja em garrafa e carta de drinques autorais. Nela consta o vou de rosa amor, mistura de gim, suco de cranberry, twist de li­mão-siciliano, lichia e morango macerado no copo (R$ 25,00). Aos sábados, pegue a dica: tem uma feijoada (R$ 49,00) das boas. Rua São Manuel, 43, Botafogo,2137-4963 (80 lugares). 12h/1h30 (dom. até as 22h; fecha seg.). Aberto em 2018. Peça no ifood

Quartinho Bar
Parece — e é — despojado. Mas tudo ali foi pensado para estar exatamente onde está. A decoração, repleta de objetos charmosos e obras de arte, é parte da onda do artista plástico e sócio Jonas Aisengart, que também assina a carta de drinques, a especialidade da casa reconhecida pelos jurados do COMER & BEBER como um dos melhores lugares de gins-tônicas da cidade. Em diferentes gradações de complexidade, os coquetéis se revelam no cocada boa (R$ 20,00), que tem cachaça guardada em barris de bálsamo, xarope do doce feito na casa e maracujá, e no mariola sour (R$ 28,00), mistura de bourbon, xarope de banana-passa e sour mix. Mais uma provinha? O saudade milk punch (R$ 34,00) traz tequila infusionada com chá lapsang, vinagre balsâmico e xarope de frutas silvestres clarificado. Delicadeza também há nos pratos. A conserva de polvo com brioche da casa (R$ 54,00) só não é mais concorrida que o trio de pastéis de bochecha de porco com coalhada seca (R$ 22,00). Rua Arnaldo Quintela, 124, Botafogo.2179-6447 (60 lugares). 18h/1h (fecha dom. e seg.). http://www.instagram.com/quartinhobar. Aberto em 2018. Peça no ifood

Surreal
Com quadros de Darth Vader e Coringa nas paredes, muitas outras referências a filmes, séries e quadrinhos espalhadas por todos os lados e uma estação de realidade virtual, o bar leva a sério o lema de quanto mais geek, melhor. No cardápio não é diferente. Trocadilhos bem sacados apresentam os comes e bebes. O filme Footloose, estrelado por Kevin Bacon, batiza o hambúrguer (R$ 36,90) mais vendido por aqui, de 180 gramas de carne, queijo, barbecue e bacon, claro. Para beliscar não tem suspense, o csi, ou “costela sempre irresistível” na sigla dos foodies, é o campeão. Trata-se de uma porção de croquete de costela bovina defumada e molho barbecue (R$ 34,90, seis unidades). Boa pedida da ala etílica, o marvel mule (R$ 27,00) mistura vodca infusionada com chá de frutas silvestres, xarope de gengibre e morango. Rua Paulo Barreto, 102, Botafogo,99366-2440 (100 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 1h). Aberto em 2019. Peça no ifood

Winehouse
Foi aqui que o carioca começou a entender que não era preciso seguir uma série de regras para apreciar um bom vinho. O simpático bar guardou uma série de protocolos na gaveta e passou a oferecer bons vinhos em taça com um custo-benefício pouco visto na cidade. Durante a happy hour, todo dia até as 20h, os preços começam em R$ 18,00. Noutros horários, a carta revela boas surpresas como o branco sloveno Vipava Lanthieri Sivi Pinot (R$ 179,00 a garrafa) e o tinto espanhol Y Tu De Quien Eres (R$ 159,00 a garrafa), ambos orgânicos e naturais. Para ir aproveitando junto, tábuas de queijos e charcutarias podem ser montadas de acordo com as opções disponíveis no dia (a partir de R$ 79,00) e há pratos mais consistentes. O penne com cogumelos orgânicos, creme fresco e grana padano (R$ 39,00) é o queridinho do público. Rua Paulo Barreto, 25, loja E, Botafogo,99801-7612 (54 lugares) 16h30/0h (dom. 15h/22h; fecha seg. e ter.). http://www.winehouserio.com. Aberto em 2014.

Copacabana

Adega Pérola
A escola portuguesa com inspirações ibéricas e brasileiras, um raro DNA da Ilha da Madeira e a paixão de ex-fre­quentadores que viraram donos formam a equação perfeita para fazer do Pérola uma das maiores preciosidades da gastronomia popular carioca. No salão, com mesas e bancos de madeira presos ao chão (antigamente eram barris), a brincadeira é escolher o que comer no balcão refrigerado com mais de sessenta opções de petiscos vendidos em porções de 100 gramas. O polvo ao vinagrete (R$ 38,00) e a cavaquinha (R$ 42,00) estão sempre frescos, assim como o espetacular alho cru marinado em especiarias (R$ 30,00). No fundo do bar, uma micro cozinha produz intensamente bolinhos de bacalhau (R$ 30,00 a porção com doze pequenos), sardinhas fritas (R$ 40,00 a porção com seis) e pratos para dois como os arrozes de camarão ou bacalhau (R$ 64,00, ambos). Chopes Brahma (R$ 9,00) e Colorado Indica (R$ 10,00) descem pelas torneiras, mas há também uma rica carta de cachaças artesanais. Rua Siqueira Campos, 138, loja A, Copacabana,2255-9425 (110 lugares). 11h/1h (fecha dom.). Aberto em 1957.

Caju Gastrobar
As cores e luzes em tom amarelo fazem alusão ao pseudofruto de carne macia, doce e travosa que dá nome e alma a este reduto de cardápio sofisticadamente brasileiro. A novíssima receita de bruschettas de caju com parmesão e bacon (R$ 22,00, duas unidades) é ótimo começo para uma viagem que pode passar também pelo vinagrete de polvo com caju e chips de mandioca (R$ 45,00), pela moela de pato com aipim na manteiga de garrafa (R$ 26,00) e pela saladinha fria com língua de boi e torrada de focaccia (R$ 28,00). Entre os drinques assinados por Priscilla Pulcherio, do Garoa Ipanema, o bramble carioca (R$ 32,00) é o mais pedido: combina Cachaça Sete Engenhos Cerejeira, purê artesanal de caju, cajuína, limão e açúcar. No cardápio de bebidas, destaque também para os gins-tônicas, entre os melhores da cidade segundo os jurados do COMER & BEBER, além de diversas opções de cerveja, entre elas garrafas de Beck’s e Heineken (R$ 15,00). Praça Demétrio Ribeiro, 97, loja C, Copacabana,3264-3713 (60 lugares). 11h30/23h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 22h). http://www.instagram.com/cajugastrobar. Aberto em 2019. Peça no ifood

El Born
A inspiração é no bairro homônimo de Barcelona, onde a boemia é regada a muitas rodadas de vinhos e tapas com os ingredientes característicos da gastronomia espanhola. Acrescente aí a decoração no estilos das tabernas, com luz baixa, parede de pedras e presuntos ibéricos pendurados no bar, e se prepare para pedir acepipes clássicos como os huevos clandestina (R$ 35,00), com presunto cru espanhol sobre batatas fritas. Outra pedida típica, a fritura de camarões e lulas (R$ 44,00) vem com potinho de aïoli. O tradicional pulpo a la galega (R$ 60,00) é o polvo cozido em fatias com batatas e páprica defumada. Principal pedida etílica, as jarras de sangria partem de R$ 115,00 (1 litro), mas também merecem atenção drinques como o apple tree (R$ 30,00), feito com gim, abacaxi, maçã verde, cardamomo e água tônica. Rua Bolívar, 17, loja A, Copacabana,3496-1781 (72 lugares). 17h/2h. http://www.instagram.com/elborngastrobar. Aberto em 2012.

Macaco Caolho
A casa, inaugurada em 2017 em Copacabana e ancorada no Humaitá desde o ano passado, é um bar de rock para todas as vertentes, com shows ao vivo todas as noites e decoração em estilo industrial, que combina com a alma roqueira dos três donos. Da cozinha do chef André Alvarenga — trazido pelos sócios de Nova York — saem clássicos americanos, como a porção de tiras de frango empanado com barbecue caseiro (R$ 59,00), e ingleses, caso do fish and chips com molho tártaro (R$ 56,00). Os burgers roqueiros também imperam: no the beatles entram 160 gramas do blend da casa, mussarela empanada, peperoni e tomate (R$ 49,00). Boa variedade de destilados, chopes artesanais, a exemplo do Macaco Belgian (R$ 17,00, 330 mililitros), drinques com nomes criativos e shots em dose dupla completam a diversão local. Rua Capitão Salomão, 57, Humaitá,99525-3192. 18h/0h (qui. até 2h; sex. e sáb. até 3h; dom. a partir das 15h; fecha seg.). http://www.instagram.com/macacocaolhopub. Aberto em 2020. Peça no ifood

Os Imortais
O cada vez mais bombante Baixo Lido segue tendo Os Imortais puxando o ritmo: nos últimos meses, além de oficializarem o espaço para mesas na calçada, abriram uma extensão, na loja bem em frente. O cardápio segue farto e proteico, liderado pelos irmãos metralha, famosos bolinhos de arroz ou de feijão com recheios diversos — os de carne com blue cheese (R$ 10,45 a unidade) e de camarão com queijo cremoso (R$ 11,55 a unidade) estão entre os mais pedidos. Novidades deste ano são os palitos de polenta frita com gorgonzola (R$ 24,00, porção com oito) e a porção de polvo ao vinagrete (R$ 35,00). O cardápio de bebidas conta com chopes artesanais, além da long neck da casa, no estilo irish red ale (R$ 12,90), e drinques assinados por Thiago Teixeira — o highlander (R$ 29,50), de bourbon e soda artesanal, é pedida popular. Rua Ronald de Carvalho, 147, Copacabana,3563-8959 (54 lugares). 18h/1h (sáb. a partir das 15h; dom. 15h/0h). http://www.instagram.com/osimortais.bar. Aberto em 2012. Peça no ifood

Galeto Sat’s
O que por décadas foi só mais um galeto em Copacabana hoje é um premiado ponto da boemia notívaga carioca — e templo sagrado para a degustação de cachaças e outras bebidas finas de todas as partes do mundo. Tudo começa na churrasqueira, a carvão, de onde saem corações assados à perfeição (R$ 32,00) e galetos completos (R$ 62,00, para dois) com arroz, farofa de ovo, fritas e molhos de limão, laranja ou alho com pimenta. A fraldinha (R$ 88,00, para dois) também divide as atenções. O chope Brahma (R$ 7,60) é um dos mais respeitados da cidade. Mas é na carta de cachaças que mora a diferença. São centenas de rótulos, garimpados Brasil afora pelos apaixonados donos Sérgio e Elaine Rabello, para ser consumidos puros ou em drinques caprichados como a famosa caipirinha de caju com limão (R$ 21,00). A casa tem sua sede histórica em Copacabana e outra, maior e mais moderna, em Botafogo, com espaço para festas e eventos. Rua Barata Ribeiro, 7, Copacabana,2275-6197 (40 lugares); Rua Real Grandeza, 212, Botafogo,2266-6266 (150 lugares). 12h/5h. Aberto em 1962. Peça no ifood

Pavão Azul
Não é bolinho, não! É a patanisca de bacalhau (R$ 22,00, em porção com quatro), feita com clara de ovo, a grande locomotiva do sucesso do bar mais popular de Copacabana. Além das cervejas geladas de várias marcas, claro, servidas ostensivamente nas mesas e banquinhos na calçada, com a proteção da delegacia logo em frente. A Original em garrafa de 600 mililitros (R$ 12,00) e a Colorado Ribeirão (R$ 15,00) estão entre as mais procuradas. Para comer de garfo e faca, o caseiríssimo risoto de camarão (R$ 43,00) também é histórico. Nos últimos anos, o Pavão fez tanto sucesso que teve filhotes: o Pavão Black, com cardápio mais sofisticado; o Pavão Verde, bem próximo à praia; o Pavão Convida, especializado em cervejas artesanais; e o Peixinho Azul, um simpático bunda de fora peixeiro na Prado Júnior, todos no bairro. Rua Hilário de Gouveia, 71, lojas A, B e C, Copacabana,2236-2381 (60 lugares). 12h/0h. http://www.instagram.com/pavaoazuloficial. Aberto em 1957. Peça no ifood

Q Ceviche
A varanda simpática de madeira que recebe a brisa da praia, na Avenida Atlântica, é o lugar ideal para conhecer os ceviches e drinques desta casa, aberta no Mercure Rio, hotel-butique em Copacabana. O salão tem vasos de plantas pendurados, inserções artísticas do designer Thales Galves e um bar para os coquetéis da bartender Thamiris de Oliveira, pensados para combinar com a cozinha do chef peruano Manuel Velasquez. O ceviche de verano (R$ 39,00), por exemplo, leva atum com manga e melancia, em leite de tigre de suco de caju, com massa de guioza frita, castanhas e maionese picante. E o vegetariano del huerto (R$ 32,00) tem cogumelos, cebola-roxa, coentro, caju em mix de pimentas e suco de limão. Nas taças, o drinque qkion (R$ 29,00) traz pisco macerado de gengibre e canela, sucos de laranja e limão. A cerveja peruana Cusqueña está na área em opções como a de trigo (R$ 17,00, 330 mililitros). Avenida Atlântica, 2554 (Mercure Rio Boutique Hotel), Copacabana,3545-5100 (86 lugares). 12h/15h e 19h23h. http://www.instagram.com/qcevicherio. Aberto em 2021.

Spirit Copa Bar
A varanda debruçada sobre a orla de Copacabana e a piscina de borda infinita é o lugar perfeito para um drinque ao entardecer no elegante bar do Hotel Fairmont. Assinada pelo premiado mixologista Tai Barbin, a carta é inspirada no glamour dos anos 50, acompanhando o projeto arquitetônico do hotel, e traz novidades: homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade, o verso e prosa (R$ 40,00) é uma intensa e refrescante combinação de rum 8 anos, Aperol, néctar de abacaxi, especiarias, limão-siciliano e bitter de café, servida em copo com design Art Déco. O frutado tarsila (R$ 40,00), reunião de cachaça de marca própria, cordial (espécie de licor) de pitaya e camomila, manjericão, limão, bitter e perfume de Pernod (outro licor), é inspirado em uma história sobre a pintora, que levava frascos de perfume com cachaça de avião a Paris, onde preparava suas caipirinhas. Da cozinha, saem receitas com frutos do mar, a exemplo do salmão defumado com vinagrete de manga (R$ 70,00), e pratos preparados no forno Josper, que dá um sabor defumado a preparos como o filé-mignon ao melado de cerveja preta com farofa (R$ 100,00). Avenida Atlântica, 4240, Copacabana,2525-1232 (120 lugares). 10h/23h (sex. e sáb. até 0h). → http://www.fairmontrio.com. Aberto em 2019.

Tasca Carvalho
O jeito carinhoso como os portugueses chamam seus botecos de bairro reflete o espírito deste botequim lusitano moderno, onde se ouve mais música eletrônica do que fado. Onde o “atum à moda quer alho” (grelhado com alho assado, tomate e molho de ervas), mais que um trocadilho, é o petisco mais bem-afamado (R$ 29,90). Mas isso é só o começo. Na vitrine refrigerada, descansam insumos para a fresca punheta de bacalhau (R$ 34,90), o salpicão de lombo (R$ 29,90) e o chouriço (R$ 27,90), todos servidos com pão fresquinho. A garrafa de vinho verde (R$ 69,90, 750 mililitros) e a long neck de cerveja Super Bock (R$ 8,90) deixam tudo ainda mais típico nesta tasca, uma das três melhores da cidade de acordo com os jurados do COMER & BEBER. Entre as mesas na calçada, há um pequeno sofá onde se pode jogar gamão e assistir à imensa TV, que ajuda a fazer do local um dos melhores lugares do Rio para ver os jogos da seleção portuguesa. E, principalmente, do Benfica. Rua Ronald de Carvalho, 266, Copacabana,99957-9845 (50 lugares). 17h/1h (fecha seg.). http://www.instagram.com/tascacarvalho. Aberto em 2016.

Flamengo

Julieta Bar
Instalado no suntuoso palacete da Casa de Cultura Julieta de Serpa, o antigo Paris Bar virou destino referência na coquetelaria graças ao trabalho do premiado e inventivo mixologista Alex Mesquita. Com sua saída, em 2016, quem assumiu o balcão foi seu braço direito, Daniel Milão, que segue criando receitas inspiradas. No ambiente elegante a meia-luz, com poltronas vermelhas e sofás de estampa animal, ele serve drinques como o intenso club jazz (R$ 35,00), mistura de uísque, vermute doce infusionado com laranja, vermute de alcachofra e laranja. Mais floral, o connect primavera (R$ 35,00) traz rum, espumante, xarope gaseificado de framboesa com morango e manjericão. Entre um gole e outro, a cozinha (que também abastece o bistrô ao lado) prepara dicas como o vol-au-ve­n­t (folhado) de queijo gruyère com damasco (R$ 36,00, oito unidades) e tartare de salmão com telha de milho (R$ 48,00). Praia do Flamengo, 340, Flamengo,2551-1278 (30 lugares). 18h/23h (fecha dom. e seg.). → http://www.julietadeserpa.com.br. Aberto em 2012.

Mané
Aceso em neon vermelho, o nome da casa é uma gíria famosa entre os cariocas, anunciando a rede que se espalhou como as porções da crocante pipoca de porco (R$ 36,90), um dos petiscos que homenageiam gostosuras de boteco. A loja recém-aberta no shopping Uptown, na Barra, é a 13ª da série que começou numa esquina da Praia do Flamengo, onde há mesas na calçada e parede cheia de cartazes lambe-lambes. Entre os petiscos para compartilhar, a picanha acebolada (R$ 64,90) traz a carne fatiada ao molho demi-glace, cebola crocante e cesta de pães. No almoço executivo é opção o filé de frango (R$ 33,90) empanado no biscoito cream cracker. Para beber, o drinque malandro mistura gim, maracujá, baunilha e água tônica, e há cervejas próprias como a Mané Pilsen (R$ 15,90, 500 mililitros). Praia do Flamengo, 180,3502-5386 (100 lugares). 12h/0h (sáb. e dom. até 1h30); Rua Teixeira de Melo, 31, Ipanema,3579-3481 (120 lugares). 11h30/0h (sex. e sáb. até 1h). Mais onze unidades. http://www.instagram.com/mane.rio. Aberto em 2019. Peça no ifood

Gávea e São Conrado

Barthô Praia
O visual da praia está emoldurado pelas luminárias de palha penduradas nas árvores e um bar de madeira neste quiosque relaxante na Praia de São Conrado, considerado um dos três melhores da cidade segundo o júri do COMER & BEBER. Para começar há petiscos de terra e mar, como a porção de linguiça artesanal com farofa e molho chimichurri (R$ 28,00) e a espetada de camarão e lula (R$ 32,00). O robalo assado no sal grosso combina com a paisagem, acompanhado de batatas coradas, molho de ervas e tirinhas de abobrinhas grelhadas (R$ 88,00). Para bebericar, há caipirinhas “gourmet” como a versão de vodca, uvas roxas, hortelã e espuma de limão-siciliano (R$ 42,00). Se a ideia é incluir a sobremesa, a coupe delice segue a onda praiana e traz sorvete de creme, calda de chocolate e amêndoas (R$ 28,00). Avenida Prefeito Mendes de Morais, em frente ao 1400, São Conrado,99521-4787 (100 lugares). 13h/0h (qua. 14h/22h30; qui. até 22h30; fecha seg. e ter.). http://www.instagram.com/barthopraia. Aberto em 2020.

Braseiro da Gávea
Casa de esquina que resume o espírito da convivência boêmia no Baixo Gávea, o local é também famoso pela comida saborosa e farta que seduz a qualquer hora do dia. A área nobre está na varanda coberta, e faz parte do ritual começar pelas linguiças toscanas por unidade (R$ 6,50), com molho à campanha, e um chope da Brahma (R$ 7,50, 300 mililitros). Do braseiro saem cortes que, guarnecidos com fartura, servem três pessoas. Com acompanhamentos incluídos, o galeto (R$ 80,00) ou a picanha (R$ 173,00) podem vir à moda da casa, combinação infalível de batatas fritas ou portuguesas, arroz de brócolis e azeitona preta, e farofa de ovos com banana. Nos copos também fazem sucesso as caipirinhas com cachaça artesanal (R$ 27,00) ou vodca nacional (R$ 28,00). Praça Santos Dumont, 116, Gávea,2239-7494 (100 lugares). 11h30/1h (sex. e sáb. até 3h). http://www.braseirodagavea.com.br. Aberto em 1995.

Brewteco
Boteco cervejeiro típico da nova geração, o Brewteco precisou de coragem para assumir o endereço de um templo da boemia do quilate do Hipódromo. E matou no peito o desafio, aplacando as saudades dos velhos clientes com um salão despojado e 42 torneiras de cervejas artesanais como a Brewteco Pilsenzinha (R$ 8,00), a hop lager Carioca Begê (R$ 9,00) e a Three Monkeys Classic Ipa (R$ 12,00). Para comer, o milanesa de carne (R$ 32,00), fininho e cortado em tiras, vem com o barbecue feito na casa, e o rolê aleatório (R$ 32,00) traz duas unidades de cada bolinho do cardápio. Uma parrilla envidraçada assa porções de coração de galinha (R$ 16,00), e da cozinha saem pratos fartos e populares — a rabada com arroz, agrião e pirão (R$ 65,00, para dois) é um deles. A casa no Baixo Gávea (que em breve contará com uma drinqueria no terraço) é só a mais jovem da rede, que ainda tem lojas na Barra e na Tijuca. Praça Santos Dumont, 106, Gávea, ☎ 3594-3642 (150 lugares). 11h30/1h (sex. e sáb. até 3h); Rua Dias Ferreira, 420, Leblon,3217-8280 (30 lugares). 11h/1h (seg. 17h/0h; ter., qua. e dom. até 0h). Mais dois endereços. http://www.brewteco.com.br. Aberto em 2013. Peça no ifood

Guita Bistrô
Aberto em junho de 2021, no local onde funcionou por quarenta anos a tradicional doceria Menininha, a casa traz uma vasta seleção de comidinhas com fusões criativas assinadas pela chef Carol Vaz. Uma delas é a baguete guita, com ragu de costela cozida, cebolas e tomates assados, pesto e raclette de queijo meia cura (R$ 38,00). O “jacalhau” da Vaz, versão vegana de uma receita da avó da chef, leva a fruta verde desfiada, azeitona preta, alho-poró e cebola-roxa no azeite (R$ 42,00). A maioria das comidas pode ser degustada em pé, como pede a tradição local, mas se a ideia for compartilhar, a seleção de queijos (R$ 82,00) combina com o recém-atualizado drinque musa (R$ 38,00). Adaptado para as frutas da estação, agora leva gim, caju, licor cítrico, espumante e espuma de gengibre. Ou com um vinho branco gelado: o chileno 7 Colores Viejo Sauvignon Blanc é o mais pedido (R$ 26,00 a taça, R$ 95,00 a garrafa). Rua José Roberto Macedo Soares, 5 C, Gávea,98834-0189. 18h/0h (fecha seg. e dom.). http://www.instagram.com/guitabistro. Aberto em 2021.

Bosque Bar
De tanto sucesso, o espaço que nasceu para ser passageiro se consolidou no Jockey Club, com seu serviço quase todo ao ar livre e vista deslumbrante para o Cristo Redentor. O cardápio, agora sob a batuta do chef Pedro Benoliel, pode começar com dadinhos de tapioca com queijo gruyère e melaço apimentado (R$ 27,00) ou recheados pastéis de carne com aïoli de rúcula (R$ 24,00, duas unidades). A vocação para compartilhar também aparece no bife à milanesa com aïoli de anchovas (R$ 49,00) e no queijo brie empanado com mix de nuts assados (R$ 44,00). Entre as opções mais leves, há a burrata com cogumelos, abobrinha e berinjela (R$ 49,00), bem harmonizada com o bosque spritz (R$ 38,00), drinque de espumante, limoncello, gim e mango spicy. Para os cervejeiros, há long neck de Stella Artois (R$ 14,00 ou R$ 16,00 sem glúten). Avenida Bartolomeu Mitre, 1314, Gávea. 18h/4h (sáb. a partir das 15h; dom. 15h/1h; fecha seg. e ter.). http://www.instagram.com/barbosquebar. Aberto em 2021.

QuiQui
Nas fronteiras do circuito gastroetí­lico da Zona Sul, o quiosque de São Conrado traz o melhor de um gastrobar à beira-mar: vista deslumbrante, descontração e boas opções de comida e bebida. Sofisticado, mas ainda assim informal, oferece criações do chef consultor Ronaldo Canha (ex-Quadrucci). Tem ovo mollet, creme de cogumelos trufados e farofa crocante (R$ 42,00), minicoxinhas de costela com aïoli de ervas (R$ 24,00) e pastéis de bobó de camarão (R$ 38,00). Se a fome apertar, peça o atum com crosta de pimenta e gergelim, molho meio picante, purê de batata-do­ce e maracujá e espaguete de abobrinha (R$ 68,00). Quanto às bebidas, o menu vai de long neck Stella Artois (R$ 14,00) a drinques autorais. O quiqui (R$ 42,00) tem gim, suco de laranja, licor de pêssego, tônica, hibisco e espuma de açaí. Avenida Prefeito Mendes de Morais (em frente ao 900), Praia de São Conrado,99501-0209 (80 lugares). 17h/23h (sex. a partir das 13h; sáb. a partir das 12h; dom. 12h/21h; fecha seg. e ter.). → http://www.instagram.com/quiquirio. Aberto em 2016. Peça no ifood

Ipanema

Arp
Com a vista estonteante do Arpoador, em frente ao hotel que o abriga, o deque do Arp, projetado para fora do salão, e as mesas espalhadas pelo calçadão são cenários cobiçados. Perfeitos para degustar vegetais, carnes e frutos do mar preparados no Josper, forno a carvão que assa e defuma o peixe do dia com legumes e molho hollandaise (R$ 82,00) e o polvo com pimentão, batata e pimenta-de-chei­ro (R$ 89,00). Entre as opções veggies, o shakshuka traz ovos caipiras, molho de tomate defumado, iogurte grego e pão de fermentação natural (R$ 39,00). Para acompanhar o pôr do sol e as comidinhas, drinques clássicos e autorais criados pela mixologista Néli Pereira, como o exótico mojito da Amazônia (R$ 28,00), mistura de vodca infusionada com fava de aridã, típica de lá, hortelã, demerara, limão e cumaru. Se preferir, acompanhe o amanhecer na praia: a casa também serve café da manhã — inclusive em versão vegana (R$ 71,00). Rua Francisco Otaviano, 177 (Hotel Arpoador), Ipanema,3600-4000 (80 lugares). 7h/12h e 13h/22h. http://www.instagram.com/arpbar. Aberto em 2019. Peça no ifood

Delirium Café
A rede belga de pubs que traz como símbolo o elefantinho rosa da cerveja Delirium Tremens tem no Rio sua primeira filial aberta na América Latina. A casa de dois andares em Ipanema é um colírio para os olhos dos amantes das cervejas, com ênfase nas belgas importadas. São cerca de 250 rótulos em garrafa e vinte torneiras conectadas a barris de chopes estrangeiros e nacionais, como o Odin Viking, petropolitana do estilo double IPA (R$ 15,00, 350 mililitros). A happy hour, das 17h às 20h, traz marcas selecionadas a R$ 9,90 (350 mililitros). O salão de paredes cobertas por estantes de cerveja guarda ainda preciosidades como a Rochefort Tripel (R$ 44,90, 350 mililitros), belga fabricada em mosteiro trapista. Para comer, há petiscos como a linguiça de vitela com pimenta-verde (R$ 39,00) e o dc presidente burger (R$ 39,00), com brie e cogumelos na manteiga de ervas. Rua Barão da Torre, 183, Ipanema,2502-0029 (80 lugares). 17h/1h (sex. e sáb. até 3h). http://www.deliriumcafe.com.br. Aberto em 2009. Peça no ifood

Nosso
Sob o comando de Daniel Estevan, a carta de drinques do premiado gastrobar, indicado entre os três primeiros nesta edição do COMER & BEBER, tem vinte exemplos do que há de melhor na coquetelaria. Todos com nomes divertidos, como o 1960 borogodó (R$ 36,00), cítrico e floral, com vodca, matchá, abacaxi, limão-siciliano e camomila, ou o à la ipanema (R$ 47,00), de bourbon Wild Turkey, vermute, licor Benedictine, uísque defumado Laphroaig 10 e bitter. Para fazer par com as bebidas, pratos com toques mediterrâneos e asiáticos, da cozinha “contemporânea e sem mimimi” do chef Bruno Katz. O ovo mollet (R$ 44,00), com musseline de batata-baroa, crumble de grana padano e espuma de cogumelos e azeite trufado, é imperdível, assim como o ceviche de peixe branco (R$ 51,00), coroado com pipoca de quinoa e sorbet de manga picante. No último andar, funciona um atraente terraço ao ar livre, concorridíssimo nestes tempos de pandemia. Para ele, convém chegar cedo. Rua Maria Quitéria, 91, Ipanema,99619-0099 (74 lugares). 18h30/0h30 (dom. até 23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/nossoipanema. Aberto em 2017.

Shenanigan’s Irish Pub
Lugar de gente bonita e clima de paquera nos anos 2000, o pub está de volta após um hiato de dois anos. Para reviver a atmosfera de tempos atrás, a inspiração irlandesa foi mantida, o letreiro original, recuperado, e a disputada mesa de sinuca continua por lá entretendo a clientela atual. O menu mescla clássicos da primeira temporada, como o fish and chips (R$ 59,00) e a onion rings (R$ 39,00), a novidades. O bangers and mash (R$ 35,00, cinco unidades) é uma delas. Trata-se de um bolinho de purê de batata e linguiça com molho gravy de cebola, típico do Reino Unido. A cerveja Guinness (R$ 44,00, 400 mililitros) disputa as atenções com seis torneiras de chope importado e drinques como o just another irish pub song (R$ 37,00), de vodca, limoncello, hortelã, soda de maçã e espuma de gengibre. Rua Visconde de Pirajá, 11, Ipanema, ☎ 97035-5619 (130 lugares) 18h/0h (qui. a sáb. até 2h; dom. a partir das 15h; fecha seg.). http://www.instagram.com/shenanigans.pub. Aberto em 2021.

Venga!
Ele é um dos três indicados ao prêmio de gastrobar do ano no COMER & BEBER e também o bar pioneiro em tapas e pintxos espanhóis no Rio, hoje com três casas na cidade, cada uma com seu estilo e menu próprio. A loja de Ipanema, recentemente reformada, é a que oferece as tapas mais tradicionais. Uma viagem ibérica que pode começar por uma singela tortilla de bacalhau (R$ 48,00), seguir com as famosas croquetas de jamón (R$ 37,00, quatro unidades), enveredar por uma tábua de charcutería (R$ 78,00), com queijo de cabra, queijo de ovelha, chorizo, fuet e jamón serrano, e terminar no suculento arroz meloso de polvo (R$ 64,00). Para acompanhar tudo isso, cerveja Estrella Galicia (R$ 14,00), a sangria de vinho branco (R$ 30,00, 300 mililitros) ou um dos drinques criativos da casa — o chueca leva vodca, maracujá, geleia de pimenta e notas de chocolate (R$ 28,00). Na filial do Leblon, o Venga! La Barra, prioriza-se a tradição das comidas de balcão, enquanto o charmoso Chiringuito, na Avenida Atlântica, tem cardápio focado nos pescados frescos. Rua Garcia D’Ávila, 147,2247-8535 (84 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 22h; fecha seg.); Rua Dias Ferreira, 113-B, Leblon,2512-9826 (30 lugares). 18h/23h (qui. até 0h; sex. até 1h; sáb. 13h/1h; dom. até 22h; fecha seg.); Avenida Atlântica, 3880, Copacabana,3264-9806 (94 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 22h; fecha seg.). http://www.instagram.com/vengabardetapas. Aberto em 2009.

Jardim Botânico

Casa Camolese
Trunfo em tempos pandêmicos, a área ao ar livre, com espaçosa varanda e agradável jardim, é bem aproveitada: além das mesas, é comum ver gente bebericando em cangas estendidas pelo gramado. Instalado entre o deque e o salão, o elegante piano de cauda do clube de jazz Manouche é a estrela da happy hour às quintas. O espaço deve ganhar em novembro mais um ambiente, com área coberta, ombrelones e novo bar com drinques para o verão. Na cozinha, o uruguaio Esteban Mateo (ex-Térèze) prepara pedidas de pegada mediterrânea com toque carioca, como arancini de camarão e abóbora (R$ 35,00, cinco unidades). Fazem sucesso também as pizzas no estilo napolitano. A calábria (R$ 52,00) é preparada com calabresa do Enchendo Linguiça, mais mussarela de búfala, azeitona preta, cebola e orégano. Uma dica da carta do mixologista Thiago Politi é o queen bee (R$ 32,00), feito com vodca Voa, maracujá com cardamomo, marmelada de laranja com mel, espuma de gengibre e pólen. Depois de uma pausa, as cervejas da casa voltam a ser produzidas em novembro. Rua Jardim Botânico, 983 (Jockey Club Brasileiro), Jardim Botânico,3514-8200 e 97682-1697 (220 lugares). 12h/22h30 (sex. e sáb. até 23h; dom. até 19h). → http://www.casacamolese.com.br. Aberto em 2017. Peça no ifood

La Carioca Cevicheria
Ícone da culinária peruana, o ceviche é a estrela da rede, que mescla a tradição andina ao estilo carioca, com duas unidades no asfalto e um agradável quiosque na orla do Leblon, apontado como um dos melhores da cidade nesta edição do COMER & BEBER. São quinze versões do prato — a mais recente delas, de ostras marinadas com vinagrete e togarashi, uma pimenta japonesa (R$ 40,00, com meia dúzia), é servida de quinta a sábado. Novidade da seção de tiraditos (espécie de carpaccio marítimo), o tiralax (R$ 48,00), inspirado no nórdico grav­lax, traz lâminas de salmão curado em especiarias. O pisco, bebida típica daquelas bandas, abastece oito coquetéis, a exemplo do mâncora (R$ 28,00), com Cointreau, carambola e macerado de capim-limão. O endereço à beira-mar é animado por shows de jazz e MPB nos fins de semana. Rua Maria Angélica, 113, Jardim Botânico,99449-7419 (60 lugares). 18h/0h (sex. a dom. a partir das 13h; fecha seg.); Rua Garcia D’Ávila, 174, Ipanema, 98547-1773 (60 lugares). 13h/0h (seg. a partir das 18h); Avenida Delfim Moreira (em frente ao número 62), Leblon,98552-3474 (120 lugares) 12h/23h (seg. até 19h; sáb. e dom. 10h/0h). http://www.instagram.com/lacariocacevicheria. Aberto em 2011. Peça no ifood

Maguje
A varanda debruçada sobre a pista do Jockey Club e o salão interno com decoração requintada são cenários perfeitos para degustar os pratos criados pela dupla de consultoras Ciça Roxo e Ro Gouvêa. Pequenas fomes podem mirar no pastel de pernil com hortelã e abacaxi (R$ 29,00, três unidades) e no trio de minibruschettas (R$ 35,00). Mas o vasto cardápio também traz a salada da casa (R$ 38,00), de folhas, queijo de cabra, Parma, figos grelhados, tomatinhos confit e amên­doas, sanduíches e pratos mais substanciais, como o guisado de cordeiro ao vinho com purê de baroa (R$ 71,00). No campo das bebidas, chopes Eisenbahn (R$ 13,00) e Lagunitas Ipa (R$ 21,00) e boa variedade de drinques. Prove o Mr. Maguje 2:0, com vodca Ketel One, limão, abacaxi, maracujá e baunilha (R$ 32,00). No terraço ao ar livre funciona o Vista Bar, um espaço independente com foco nas carnes de parrilla e nas comidinhas para beliscar. Rua Jardim Botânico, 1003 (Jockey Club Brasileiro), Jardim Botânico,99895-2032. 17h/0h (sex. até 1h; sáb. 12h/1h; dom. 12h/23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/maguje.rio. Aberto em 2018. Peça no ifood

Lagoa

Bar Lagoa
Na decoração, o mármore de Carrara trazido da Itália há 87 anos impõe respeito e reverência. Já no cardápio, que traz pratos típicos de restaurantes tradicionais, o que mais merece atenção são as comidas de sotaque alemão, como o milanesa com salada de batatas (R$ 98,00, para dois), o kassler com chucrute (R$ 75,00) e o espetacular eisbein (R$ 74,00). Para acompanhar, o chope Brahma muito bem tirado em serpentina antiga (R$ 9,50), sempre fresco e na temperatura certa, ou o recém-chegado chope da Heineken (R$ 10,50). Entre os petiscos, além do croquete de carne campeão de vendas (R$ 35,00, seis unidades), a porção de salsichão vermelho, branco ou misto (R$ 39,00) pode vir frita ou cozida. Para os mais intensos, a caipirinha clássica, de limão, é feita com cachaça orgânica envelhecida 12 anos (R$ 33,00). Na pandemia, o bar colocou mesas na calçada, que têm feito enorme sucesso. Avenida Epitácio Pessoa, 1674, Lagoa,2523-1135 (210 lugares). 12h/0h. http://www.instagram.com/barlagoa. Aberto em 1934. Peça no ifood

Terraza
O ambiente bucólico e chique ao mesmo tempo, com bambus e cordas dando um toque de lodge florestal ao espaço às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, é um cartão de visitas poderoso. Mas a vista é só o começo da experiência que passa pela gastronomia franco-italiana. Ela pode começar com a bruschetta toscana (R$ 35,00), com gorgonzola, figo e mel de trufas, ou com a de mignon cru, de inspiração francesa, cortado na ponta da faca e temperado com grana padano (R$ 42,00). O carpaccio di manzo, feito com black angus, rúcula e lascas de parmesão (R$ 42,00), também é ótima opção para animar a boca. Para fomes maiores, o risoto de cogumelos frescos chega à mesa com trufas e queijo brie (R$ 82,00). Do bar saem drinques clássicos e refrescantes, como convém a um bar inteiramente ao ar livre. Lugar ideal para um bom mojito (R$ 32,00) ou um aperol spritz (R$ 38,00). Avenida Epitácio Pessoa, 1003, Lagoa. 11h/23h. 130 lugares. http://www.instagram.com/terrazzariodejaneiro. Aberto em 2021.

Laranjeiras

Armazém Cardosão
Patrimônio cultural carioca, a velha mercearia há muito já tinha conquistado os corações dos boêmios graças à feijoada de sábado, a cerveja gelada e as rodas de samba em clima de cidade do interior. Abatido pela pandemia, o bar passou por uma troca de comando, perdeu um pouco da cara de armazém, mas ganhou espaço numa decoração minimalista e muitas mesas na calçada. As cervejas Original (R$ 14,00), Beck’s (R$ 15,00) e Heineken (R$ 16,00) saem aos borbotões em garrafas de 600 mililitros. A feijoada (R$ 91,00) agora é aos sábados e domingos, assim como a rabada com agrião (R$ 91,00). Ambos para dois. Entre os petiscos, o torresmo de rolo (R$ 21,00) impressiona, assim como os croquetes de rabada (R$ 19,00, duas unidades). Às quartas-feiras, no fim da tarde, o jazz que acontece ao ar livre é um dos segredos mais bem guardados da cidade. Rua Cardoso Júnior, 312, Laranjeiras,2225-3493 (80 lugares). 17h/22h30 (sáb. e dom. 12h30/23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/armazemcardosao. Aberto em 1954. Peça no ifood

Casa Milà
Este bar, que une Rio e Barcelona com propriedade, também acrescentou coragem à sua própria equação. Inaugurada no meio da pandemia, a casa do empreendedor Lucas Leal e do chef mineiro Fernando Almeida traz clássicas croquetas de jamón (R$ 30,00, quatro unidades) e de joelho de porco (R$ 32,00, quatro unidades), ao lado de pratos consagrados como o polvo à espanhola, salteado no azeite com arroz catalão (R$ 72,00). Para compartilhar, a paella da casa (R$ 210,00, para quatro) dispensa apresentações. Durante a semana, entre 12h e 17h, tem almoço executivo com pratos desde R$ 32,00. No campo etílico, há o chope Praya witbier (R$ 14,00 o copo de 300 mililitros) e o coquetel pecado rojo, com vodca, purê de frutas vermelhas, sour mix, hibisco em pó e espuma de gengibre (R$ 28,00). Vinhos espanhóis também abundam. O Anciano Crianza Tempranillo (R$ 135,00) é um deles. Rua Esteves Júnior, 28, Praça São Salvador, Laranjeiras,3586-7460 (70 lugares). 12h/1h (fecha seg.). http://www.instagram.com/casamilarj. Aberto em 2021. Peça no ifood

Medusa Urbana Vinhobar
Surgido na Fábrica Bhering, no Santo Cristo, o democrático bar de vinhos aposta em um ambiente descontraído e animado e preços convidativos para tirar o verniz em torno do assunto. O salão tem paredes e cortinas de teatro em vermelho vivo, com teto coberto por samambaias. A carta prioriza a produção nacional em cerca de vinte rótulos, servidos também em “taças” feitas de garrafas recicladas, a partir de R$ 18,00. Dica recorrente, a garrafa do pinot noir da vinícola gaúcha Finca Tuíra custa R$ 80,00. A bebida aparece também em drinques como vino colada (R$ 23,00), mistura de cachaça Sete Engenhos, vinho branco seco, xarope de coco, abacaxi em cubos e cereja em calda. O enxuto cardápio traz comidinhas com sotaque de boteco, a exemplo dos minissanduíches de carne de porco desfiada, barbecue de cabernet sauvignon e queijo meia cura (R$ 34,00, quatro unidades). Fique atento às promoções de hap­py hour, com taças mais baratas e dose dupla. Rua das Laranjeiras, 336, loja D, Laranjeiras,97903-9385 (20 lugares). 18h/0h (fecha dom. a ter.). → http://www.medusaurbana.com.br. Aberto em 2020. Peça no ifood

Leblon

Azur
O quiosque mediterrâneo se deita sobre a Praia do Leblon com assinatura de Pedro de Artagão, cozinheiro multitalentoso eleito o chef do ano nesta edição do COMER & BEBER. À beira-mar, ele dá predominância aos pescados. O caldinho de frutos do mar (R$ 18,00) disputa a preferência com o farto polvo à vinagrete (R$ 110,00). Entre os principais, que servem bem duas pessoas, tente as moquecas (R$ 140,00 a de peixe e R$ 180,00 a de camarão) ou o arroz de bacalhau (R$ 152,00). A novidade são os pratos executivos, bem cariocas, para um almoço durante a semana em tempos de trabalho remoto, no melhor estilo “meu escritório é na praia”. A carne assada com arroz, feijão e fritas (R$ 44,00) acompanha bem o chope Brahma (R$ 12,00) ou as caipis (a partir de R$ 28,00). O espumante da Casa Irajá (R$ 94,00), drinques com gim (desde R$ 32,00) ou em jarra (R$ 120,00) completam a atmosfera de balneário europeu. Avenida Delfim Moreira, Posto 11, Leblon (150 lugares). 12h/18h (sex. a dom. até 20h). http://www.instagram.com/azurpraia. Aberto em 2017. Peça no ifood

Boteco Boa Praça
A Praça Cazuza, antes em abandono, voltou a ser um orgulho carioca graças a esta rede paulistana, que assumiu o ponto, se expandiu até o endereço onde funcionava o Astor, em Ipanema, e muito em breve chega à Barra, em meio ao agito da Olegário Maciel. Para comer, além da tradicional feijoada (R$ 49,90, aos sábados e domingos), típicos petiscos de boteco carioca. Os croquetes de carne (R$ 33,90, seis unidades), e de Parma (R$ 35,90, seis unidades), se espalham pelas mesas. Mas há pratos mais contemporâneos, como a burrata ao pesto com tomate confitado (R$ 52,90) e a cafta na massa filo, sour cream e hortelã (R$ 33,90), que agradam à clientela jovem. Caipirinhas variadas (a partir de R$ 23,90) e gins-tônicas (desde R$ 34,90) dividem a preferência com chopes e cervejas clássicas e artesanais, como a Colorado Indica (R$ 15,90, 600 mililitros). Rua Dias Ferreira, 12, Leblon, ☎ 3507-7000 (150 lugares). 17h/1h (qui. a partir das 16h; sex. 16h/2h; sáb. 12h/2h; dom. até 0h; fecha seg.); Avenida Vieira Souto, 110, Ipanema.3496-8241. 17h/1h (sex. e sáb. 12h/2h; dom. a partir das 12h). http://www.instagram.com/botecoboapraca. Aberto em 2019.

Boteco Rainha
O boteco do restaurateur Pedro de Artagão abriu no meio deste ano e já é sucesso absoluto na Dias Ferreira, com sua decoração de ladrilhos portugueses e luminárias de inspiração ibérica. Privilegiando os frutos do mar, oferece croquete de lagosta (R$ 48,00, quatro unidades), escabeche de sardinhas (R$ 28,00), sanduíche de camarão frito (R$ 32,00) e a bem servida frigideira de frutos do mar (R$ 182,00). Mas não só das águas salgadas vive o local: brilham também o mix de acepipes (R$ 42,00), o torresmo de barriga de porco (R$ 28,00 a porção), um dos melhores da cidade de acordo com os jurados do COMER & BEBER, e o arroz de pato e embutidos (R$ 128,00), que satisfaz fácil até três. Para beber, o clássico chope (Brahma, R$ 8,50), aperol spritz (R$ 29,00) ou vinho, com destaque para os rótulos que levam o nome do Grupo Irajá (R$ 94,00). Para completar a empreitada de sucesso, o vizinho Galeto Rainha, especializado em carnes na brasa, também anda chamando atenção. Rua Dias Ferreira, 247, Leblon,3598-8714 (50 lugares). 12h/1h. http://www.instagram.com/boteco_rainha. Aberto em 2020.

Bracarense
Tradição já é o sobrenome do botequim carioquíssimo, que completa sessenta anos em 2021. À frente da casa, a terceira geração: Arnaldo, Kadu e Carla Tomé são netos do fundador e continuam encantando os frequentadores com o chope Brahma perfeitamente tirado (R$ 7,80, 300 mililitros), as caipis sem defeitos (R$ 20,00, com cachaça; R$ 24,00, com vodca nacional) e os quitutes que fizeram a fama do bar. Difícil escolher entre a clássica empada de camarão (R$ 6,20 a unidade), o bolinho de jiló com linguiça (R$ 5,80) e o de polenta com porco desfiado (R$ 5,80). Para dividir, o peito de boi desfiado, a carne assada ou o pernil acebolado (R$ 47,50 cada porção) servem com fartura duas pessoas petiscando. Outra boa pedida são os pratos do dia, de terça a sexta, com destaque para o bobó de camarão com farofa de dendê (R$ 60,00, para dois), servido às quartas. Rua José Linhares, 85, loja B, Leblon,2294-3549 (60 lugares). 11h /23h55 (seg. até 22h; ter. e qua. 13h/23h; dom. até 21h). http://www.instagram.com/bar_bracarense. Aberto em 1961.

Caneco 70
O bar original teria feito cinquenta anos em abril de 2021, mas as bodas de ouro foram interrompidas em 2006, quando o ponto encerrou as atividades. O casamento com os cariocas se renovou em 2019. Bem em frente ao antigo ponto, no final do Leblon, o quiosque homônimo mantém viva a tradição de beber e jogar conversa fora sem frescuras. O “novo” Caneco 70 reúne chope gelado (R$ 12,00, 300 mililitros) com petiscos clássicos, mas investe também em opções mais leves, como as ostras gratinadas (R$ 48,00, oito unidades) e o tartare de salmão (R$ 45,00). A carta de bebidas é ampla e reúne boa oferta de drinques: caipivodcas (R$ 28,00 com a bebida nacional), gins-tônicas (a partir de R$ 39,00) e coquetéis em jarra — o clericot de espumante sai a R$ 145,00. Nova aposta é o projeto breakfast club: aulas de ioga e meditação à beira-mar, seguidas de café da manhã saudável, de segunda a domingo (R$ 120,00). Avenida Delfim Moreira, Posto 12, Leblon, 99733-9009 (40 lugares). 8h/21h (sex. a dom. até 22h). Aberto em 2019.

Herr Pfeffer
Versão mais jovem, mais compacta e mais moderna da tradicional Adega do Pimenta de Santa Teresa, o pequeno e respeitável Herr Pfeffer é um porto seguro para quem gosta de unir a tradicional comida alemã com o badalo do Baixo Leblon. No ambiente decorado por cartazes de cerveja de todo o mundo, o bar possui oito torneiras onde se revezam rótulos visitantes e tradicionais da casa, como o pilsen (R$ 9,00, 300 mililitros). O popular currywurst (R$ 35,00), o mix de linguiças (R$ 34,00) e a seleta de patês diversos (R$ 41,00) estão entre os petiscos mais pedidos. Depois, escolher entre o kassler com salada de batata (R$ 79,00) e o tradicional joelho cozido com batata rösti (R$ 95,00), entre outras tentações, é sempre uma difícil e saborosa decisão. Nos fins de semana, opção imperdível é a feijoada alemã, de feijão-branco, costela e lombo suíno, linguiça calabresa, salsichas e kassler (R$ 109,00, para dois). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon,2239-9673 (38 lugares). 12h/23h (qui. a sáb. até 0h; dom. até 20h). http://www.instagram.com/herrpfefferleblon. Aberto em 2002. Peça no ifood

Jobi
Concorrido da hora do almoço à madrugada, a casa acolhe a boemia do Leblon e adjacências há 65 anos. Ao lado dos bolinhos de bacalhau (R$ 51,00 a porção) desfilam pelas mesas o chope Brahma gelado e cremoso (R$ 9,00) e novidades como os gins-tônicas personalizados, em que o cliente escolhe o sabor e a marca do destilado (R$ 35,00, com Amázzoni), e os drinques em jarra, tipo o Clericot (R$ 170,00, 1,2 litro). Das panelas com raízes portuguesas saem pratos de bacalhau (de R$ 198,00 a R$ 209,00), de frutos do mar (R$ 170,00, no caso do polvo à moda da casa, com alho, cebola e arroz de brócolis) e o recém-che­gado arroz de pato (R$ 120,00). Para os mais carnívoros, a boa é a feijoada completa (R$ 139,50) ou a picanha com arroz maluco (R$ 154,00). Todos para dois. Na decoração, o despojamento típico dos bares antigos cariocas reside no painel de Nilton Bravo, o “Michelangelo dos botequins”. Avenida Ataulfo de Paiva, 1166, loja B, Leblon,2274-0547 (78 lugares). 11h/2h. http://www.instagram.com/bar_jobi. Aberto em 1956. Peça no ifood

Liz Cocktail & Co
A aconchegante casa de duas feras da mixologia, Tai Barbin (ex-Spirit Copa) e Anderson Santos (ex-Nosso), mais parece um café. Mas é um bar feito para os amantes de coquetéis. Ao lado de outro craque, José Ronaldo, o Liz oferece drinques para cada “família” de coquetel: punch, sour, collins e bittered sling. São mais de trinta sugestões — três delas sem álcool. Um bom começo é provar o nada inocente mate da casa (R$ 34,00), gaseificado e com Bacardi Carta Branca, casca de abacaxi, menta, camomila e limão. Depois, o amaretto sour (R$ 34,00) é uma releitura de um clássico dos anos 70, servido com Amaretto, brandy, limão-siciliano e clara de ovo. Para dar um sal, pipoca de peixe empanado com farinha da casa, aïoli de wassabi e togarashi (R$ 31,00), tartare de salmão (R$ 35,00) ou tacos vegetarianos (R$ 29,00). Rua Dias Ferreira, 679, Leblon,97693-9936 (33 lugares). 17h/1h (sáb. a partir das 16h; dom. 16h/23h; fecha seg. e ter.). Aberto em 2019. http://www.instagram.com/lizcocktails. Peça no ifood

Micro Bar
O pequeno notável é uma charmosa casa de drinques variados, que funciona em colaboração com o vizinho japonês Nagara Sushi. No diminuto espaço interno, a estrela era para ser o balcão. Mas por causa da pandemia, mesas agora se derramam pela calçada. O mixologista italiano Nicola Bara assina a nova carta de bebidas autorais, lançada no meio de 2021. Uma boa sugestão é o cocco e pistacchio (R$ 34,90), que leva bourbon, creme de pistache com coco, limoncello e umbu. Para os mais ousados, o italian white russian mistura vodca Voa, creme de gorgonzola picante, pera e Frangelico (R$ 34,90). Combinados japoneses acompanham os coquetéis criativos — o individual (R$ 55,00) vem com três duplas de sushi, seis sashimis e um drinque de saquê. Olha a dica: às quartas tem dose dupla, com coquetéis especiais a R$ 30,00 no melhor estilo pague um, leve dois. Avenida Ataulfo de Paiva, 1079, loja F, Leblon,99435-0307 (80 lugares). 18h/0h (dom. a partir das 17h; fecha seg). Aberto em 2018. Peça no

Pabu Izakaya
Pioneiro nos bares à moda japonesa no Rio, encarna o sentido literal do “lugar onde se toma saquê”. São mais de vinte rótulos da bebida, dos mais populares aos produzidos com arroz de alto polimento. A marca da casa, importada do Japão, com 14% de álcool, é uma das mais pedidas (R$ 34,00 a dose). Em tempos de pandemia, as mesas sob o toldo na entrada podem parecer a melhor opção, mas sentar em volta do balcão em U rende uma experiência mais interessante. Para acompanhar os bebes, não faltam atrações: a dupla de atum com foie gras (R$ 34,00), a barriga de porco cozida em shoyu adocicado (R$ 34,00) e o okonomiyaki de hiroshima (R$ 58,00), panqueca japonesa com repolho, barriga de porco, ovo, molho tonkatsu, maionese caseira e crocante de tempura. O sucesso do Pabu foi tanto que os sócios abriram outro do gênero, o Ko Ba Izakaya, em Ipanema. Rua Humberto de Campos, 827, loja G, Leblon,3738-0416 (40 lugares). 12h/23h (sex. e sáb. até 1h). http://www.instagram.com/pabuizakaya. Aberto em 2017. Peça no ifood

Sardinha Taberna Portuguesa
Caçula da leva de estabelecimentos à moda das tascas portuguesas contemporâneas que aportou recentemente por aqui, e um dos destaques do ano para o júri do COMER & BEBER, o pequeno endereço, aberto em agosto no Baixo Leblon, faz jus a suas origens com petiscos de primeira. As referências lusitanas vão da trilha sonora ao ambiente, um charme, com azulejos azuis e brancos no balcão e nas paredes. Cecílio Araújo, experiente e querido garçom que por mais de duas décadas deu expediente no Jobi, faz as honras da casa. No menu (ou ementa, como chamam por lá), tira-gostos típicos como os gostosos bolinhos de alheira (R$ 14,90, quatro unidades), a punheta de bacalhau (R$ 28,00), e bifana (R$ 19,90), outro clássico da seção de “sandochas”, preparado com carne de porco marinada em vinho e mostarda. Da ala etílica, além de vinhos da terrinha, o refrescante porto-tônica (R$ 29,00) e o mais intenso figueira da foz, de rum, Porto e limão (R$ 32,00). Rua Aristides Espínola, 101, Leblon (40 lugares). 18h/23h (sex. até 1h; sáb. 12h/1h; dom. a partir das 12h, fecha seg. e ter.). http://www.instagram.com/sardinhataberna. Aberto em 2021.

Stuzzi
Ponto certo para quem quer ver e ser visto, a área externa do bar ganha reforço de mesas de bistrô durante o fim de semana, com vista privilegiada para a movimentação da rua. Ali, ninguém é só mais um na multidão. É praxe ser recebido pela festejada dupla de bartenders Alex Miranda e Lelo Forti já na porta. Na casa há dois anos, eles incrementaram a coquetelaria local, com destaque para o refrescante di angelo (R$ 34,00), com gim, limão, gengibre e soda de capim-limão, o mais pedido da carta. No cardápio da chef Paula Prandini, o croquete de cordeiro com molho de mostarda de Dijon (R$ 44,00, porção com seis) também é só sucesso. Já o prato de antepastos (R$ 75,00) é do tamanho exato para quem pretende ficar para mais um drinque, com presunto de Parma, mortadela italiana, grana padano, burrata, tomate desidratado, legumes assados, focaccia e pão com linguiça. Rua Dias Ferreira, 45, Leblon,99138-4663 (60 lugares). 19h/1h (sex. e sáb. até 2h; dom. 17h/23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/stuzzi_gastrobar. Aberto em 2011. Peça no ifood

Zaya
Com carta de coquetéis assinada pelo argentino Tato Giovannoni, o novato bar do Leblon, inaugurado em agosto deste ano, tem drinques refrescantes. O como uma onda (R$ 37,00) combina gim Tanqueray, tônica, “água do mar”, limão-siciliano e spirulina, alga responsável pela coloração azul. Seguem no mesmo estilo os comes, criação do chef Ricardo Lapeyre, que propõe um mergulho em boas versões de finger food. O steak tartare (R$ 39,00) vem em quatro nacos de mandiopã crocante com aïoli de mostarda de Dijon. Sugestão sem carne, o bao vegano (R$ 38,00, duas unidades) traz berinjela empanada, “maionese” de abacate, picles de pepino e cebola-roxa. Não dispense a floresta de brigadeiros (R$ 27,00), sobremesa fotogênica com cinco tipos do docinho: avelã, pistache, chocolate 70%, doce de leite e caipirinha. Rua Dias Ferreira, 64-A, Leblon (30 lugares). 18h/2h (dom. 14h/23h; fecha seg.). http://www.instagram.com/zaya.leblon. Aberto em 2021.

Urca

Bar Urca
Há 82 anos encantando cariocas e turistas, o Bar Urca oferece mais do que a vista deslumbrante da Baía de Guanabara. Seja no salão refrigerado no 2º andar, no concorrido balcão térreo ou na icônica mureta — onde a festa dos salgadinhos tem empada de frango, (R$ 10,00), pastel de camarão (R$ 7,50) e bolinho de bacalhau (R$ 8,00). Tudo com cerveja de garrafa bem gelada. Original (R$ 14,00) e Stella Artois (R$ 17,00) estão entre as que mais circulam. Para refeições mais completas, o restaurante em cima serve polvo com arroz de brócolis e batatas coradas (R$ 235,00), bobó de camarão (R$ 167,00) e várias moquecas, de camarão e de peixe, à baiana ou capixaba (a partir de R$ 182,00). Todos os pratos são fartos e servem bem três pessoas. A carta de vinhos privilegia os rótulos portugueses: o verde Guigas sai a R$ 86,00 a garrafa. Rua Cândido Gaffrée, 205, Urca,2295-8744 (70 lugares). 10h/22h30 (dom. até 20h). http://www.instagram.com/barurca. Aberto desde 1939. Peça no ifood

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade