Imagem Blog

Juju na Trip

Por Blog
Uma família de cariocas vivendo o que há de melhor na vida, e compartilhando todas as dicas por aqui. Acompanhem!
Continua após publicidade

Rock The Mountain 2023: vozes femininas deram o recado

A boa notícia é que no ano que vem tem mais! A pré-venda já deve abrir, fiquem de olho

Por Blog Juju na Trip Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
13 nov 2023, 16h13

Quem duvidou que o Rock The Mountain pudesse segurar dois dias inteiros de festival só com vozes femininas, teve que enfiar a viola no saco. A edição de 2023 foi lindíssima, e vai deixar saudades. O festival começou com Maria Rita ecoando sua voz pelas montanhas da serra fluminense, e acabou com Daniela Mercury transformando o campo de exposições de Petrópolis num pedacinho de Salvador. Pode não ter tido Benjor, Ney ou Alceu, mas teve Bethânia, e muitas outras divas bambérrimas da música brasileira. Isso permeado com conceitos de sustentabilidade, água de graça para economizar garrafas de plástico, e praça de alimentação vegetariana/vegana.

Sustentabilidade: festival compensa CO2, diminuiu plásticos, plantou árvores e teve comida vegana
Sustentabilidade: festival compensa CO2, diminuiu plásticos, plantou árvores e teve energia limpa e comida vegana (RTM/Veja Rio)

Já vi outros shows de Maria Rita, mas o que ela levou para o Rock The Mountain sábado foi especial (sempre é, diga-se de passagem: o festival tem um tchã, com shows diurnos em palcos no meio da floresta, e uma vibração própria). Maria Rita entrou no palco usando um vestido florido rodado, estufando o peito e cantando clássicos do samba, do afoxé e de Elis. Veio de “O Bêbado e a Equilibrista”, seguiu com “O show tem que continuar”, de Arlindo Cruz. Também estampou em vídeo a imagem de Marielle, de punhos cerrados, e entoou Cara Valente, que com o refrão chiclete “Ele não é de nada” virou grito contra Jair Bolsonaro (“Ele não, ele nunca mais!”, berrava o público enquanto o telão dizia “Democracia”).

Rock the Mountain 2023: vozes femininas ecoaram no festival
Rock the Mountain 2023: vozes femininas ecoaram no festival (Juju na Trip/Veja Rio)

Também teve espaço para a Final da Libertadores, acompanhada no telão montado no Palco Mangolab, com Flusão levando a torcida ao delírio numa disputa acirradíssima, que foi pra prorrogação e, ainda assim, não desorganizou o festival (sim, o Rock The Mountain preza horários e respeita o público como poucos festivais o fazem).

Continua após a publicidade

Dona Onete ocupou o palco assim que o jogo apertado acabou. “Deu tudo certo, podia ter dado errado, mas sempre dá certo”, entrou dizendo, e puxando logo um carimbó. Encantadora de botos, encantou também a plateia com um repertório que incluiu “Banzeiro”, “No Meio do Pitiú”, “Jamburana”. Diva do carimbó, Dona Onete deu lição de amor, alegria e empoderamento feminino.

O dia acabou com Marisa Monte, e um Grand Finale em que os holofotes se deitaram sobre o público, que cantou sozinho “Bem que se quis”.

Entre um show e outro, Iza, um bloco passando, um forró no coreto, tendas alucinadamente animadas e shows com novos nomes – esses podem não ter sido tão bons, mas acho que o RTM se propõe a ser esse laboratório, então tá tudo bem. Sem falar na roda de samba, com as mulheres levantando firme a poeira. Só Damas foi uma festa.

RTM 2023: samba dominado pelas mulheres mostrou a que veio
RTM 2023: samba dominado pelas mulheres mostrou a que veio (juju na trip/Veja Rio)

Domingo teve mais, e foi ainda melhor. Entre as grandes vozes femininas, Margareth Menezes foi quem abriu o dia, seguida de ninguém menos que Maria Bethânia. Se em Margareth a platéia veio abaixo com a potência do show, em Bethânia aquela massa incrédula flutuou. Não foi só música nesses dois shows, embora tenha sido e forte: foi um caldeirão de arte, cultura preta, política, religião e sexualidade. Chorei com Índio, dancei com Reconvexo, e quando achei que nada mais podia acontecer, vi a platéia se abraçar ao som de Daniela Mercury e seu Nobre Vagabundo.

Maria Monte no RTM 2023
Marisa Monte no RTM 2023 (Juju na Trip/Veja Rio)

Foi lindo, como sempre, e a boa notícia é que ano que vem tem mais! A pré-venda já deve abrir, fiquem de olho. E como sempre costuma cair num feriado, aproveitam para subir a serra de Itaipava e curtir uma cachoeira. Leiam as dicas de onde comer o que fazer em Itaipava e arredores. E siga o instagram do Juju na Trip para mais dicas de viagem.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.