Imagem Blog

Esquinas do Esporte

Por Alexandre Carauta, jornalista e professor da PUC-Rio Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Pelos caminhos entre esporte, bem-estar e cidadania
Continua após publicidade

Façam as apostas sobre os rumos do Esporte brasileiro

Ao substituto de Ana Moser, impõe-se uma decisão crucial: seguir as alianças com saúde, educação, inclusão encaminhadas, ou inclinar-se ao retrocesso

Por Alexandre_Carauta Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
15 set 2023, 15h26

Metáforas esportivas funcionam no país do futebol, inclusive em bravatas de campanha. Não é o caso da cometida pelo presidente Lula, ao justificar a saída precoce da ministra Ana Moser.

Nem o marciano recém-chegado confundiria uma mudança técnica ou tática em nome da produtividade com a velha jogada para subir o cacife político do Planalto. Naturalizada no tal presidencialismo de coalizão, a barganha por respaldo parlamentar irmana governos de variadas tinturas.

A aterrissagem do deputado Andé Fufuca (PP-MA) no Ministério do Esporte replica o esquema clientelista imune a pudores partidários, ideológicos, morais. Seu pragmatismo soberano dissolve coerências, fidelidades, biografias.

Pouco importa Fufuca não ter apresentado projeto para a área em 12 anos de Congresso. Prevalecem as credenciais de atacante do Centrão e correligionário do presidente da Câmara, Arthur Lira.

O importante são os três pontos dos aliados fisiológicos. Esta, sim, configura-se uma metáfora condizente à substituição ministerial. A estratégia alarga o placar do bloco que condiciona apoio legislativo a emendas e cargos robustos. Reúne mais de 200 congressistas.

Ana provavelmente chegaria ao nono mês à frente do Esporte se na pasta, historicamente detentora de orçamentos modestos, não aportasse uma parte da grana coletada com a jogatina eletrônica. A Fazenda projeta arrecadar entre 5 e 10 milhões de reais por ano com tributos e taxas das operadoras de apostas online regulamentadas.

Continua após a publicidade

A bolada será gerida por uma secretaria especial. É possível que se incorpore à bandeja de Fufuca.

Fiel à nossa história republicana, a troca da ex-jogadora pelo cabo-eleitoral de Bolsonaro desperta tanta surpresa quanto a goleada do Brasil sobre a Bolívia. Nem por isso merece anistia da indignação, tampouco complacência do eleitorado.

Mais do que as previsíveis vaias da comunidade esportiva, a vitória do patrimonialismo instiga uma vigília sobre os próximos capítulos. A prudência não nos autoriza a contar que o sucessor alinhe-se aos avanços programáticos rascunhados por Ana Moser, conforme prometeu o ministro da Casa Civil, Alexandre Padilha.

Difícil imaginar se Fufuca seguirá o bastão passado pela ministra. Dele o líder do PP na Câmara não pode se queixar.

Nos 240 dias de Esplanada, Ana fez o que manda a Constituição. Costurou convergências do esporte com a saúde, a educação, o amparo social. Sugeriu, por exemplo, agregar equipamentos esportivos ao Minha Casa, Minha Vida, para democratizar a atividade física e melhorar a vida da população pobre.

Continua após a publicidade

Médico de formação, André Fufuca supostamente sabe a importância dos exercícios regulares para a saúde preventiva. Meia hora por dia de atividade moderada já ajuda muito a reduzir o risco de doenças como obesidade, diabetes, problemas cardiovasculares, esteatose hepática (gordura excessiva no fígado), câncer, depressão.

Cada dólar investido em prevenção economiza quatro dólares gastos com serviços médicos, calcula estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A economia já seria suficiente para a prática esportiva capitanear uma política de Saúde dedicada mais a precaver os incêndios do que apagá-los.

Não necessariamente o novo mandatário está de olho nesses ganhos. O desafio de honrar a estatura de Ana Moser impõe-lhe uma decisão crucial: priorizar as alianças com a saúde, a educação, a inclusão encaminhadas; ou inclinar-se ao retrocesso.

Façam as apostas.

_________

Continua após a publicidade

Alexandre Carauta é professor da PUC-Rio, doutor em Comunicação, mestre em Gestão Empresarial, pós-graduado em Administração Esportiva, formado também em Educação FísicaOrganizador do livro “Comunicação estratégica no esporte”.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.