Imagem Blog

Cristiana Beltrão

Por Cristiana Beltrão, restauratrice e pesquisadora de gastronomia e alimentação
Continua após publicidade

A coroação é aqui

Primeiro Concurso Nacional de Tea Blenders

Por Cristiana Beltrão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 10 Maio 2023, 21h58 - Publicado em 10 Maio 2023, 18h35

Basta tomar um gole de chá para empertigar a postura e me sentir uma pessoa melhor.

É conversa minha com a xícara, desde pequena.

Comecei, claro, com a tisana de camomila nos anos de mamadeira, mas me senti muito mais “mocinha” no período que passei na Inglaterra, ao fazer finalmente um upgrade para o chá preto batizado com leite. Aquilo, sim, era coisa de adulto, pensava a menina que segurava a xícara com a coluna reta enquanto buscava a aprovação do salão que ignorava solenemente a sua existência.

Fato é que a coisa não só se tornou um hábito, como uma leve obsessão. Minhas fases de chá são como o vento das monções, que varre fortemente uma região antes de mudar de direção. Há tempos de chá preto, verde, chá branco, pu-erh, oolong… até começar tudo de novo. A alegria da vez são os maravilhosos chás brasileiros de Registro, no Vale da Ribeira, em São Paulo.

Por acaso tive a chance de provar, recentemente, o Buckingham Palace Tea, considerado o chá preferido da família real inglesa (e o campeão de vendas da Fortum and Mason, de Londres, desde que foi feito para Eduardo VII, em 1902). As versões comerciais do produto são todas inspiradas no chá que a família prepara, “em casa”: uma mistura de chás preto e verde perfumada com jasmim, cornflower (uma flor azul chamada “escovinha”, no Brasil) e raspas de tangerina, colhidos nos jardins do palácio. Realmente delicioso.

Acontece que exatamente no dia da coroação do Rei Charles III, outra rainha, bem brasileira, foi coroada vencedora do Primeiro Concurso Nacional de Tea Blenders, que aconteceu na Associação Brasileira de Sommeliers do Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

O CONCURSO

Fiz parte do corpo de jurados “não técnicos” (apreciadores que não trabalham na indústria), mas havia também jurados técnicos e comerciais (que comercializam ou importam chás, infusões etc). Quem me convidou foi a querida Carla Saueressig, de quem já falei [aqui], criadora de mais de 200 blends e idealizadora do primeiro Curso de Sommelier de Chás no Brasil. Carla acredita que o número de profissionais que fazem “misturas” aumentou bastante desde 2016 e acredita muito na valorização das blendeiras e na utilização de insumos cada vez melhores.

Eram 5 finalistas, sobreviventes das provas eliminatórias anteriores e fiquei absolutamente encantada com a qualidade e criatividade dos blends nacionais.

A primeira etapa era uma apresentação oral, em que o jurado era julgado pela desenvoltura na apresentação, criatividade, estética do blend, aroma e embalagem. Em seguida, o chá era avaliado quente, em aroma, cor do licor, sabor, temperatura e desejo de compra. Aa terceira etapa era um preparo livre (podia ser drinque ou qualquer outra coisa) avaliado pela criatividade, estética, sabor e vontade de repeteco.

Aos blends:

Continua após a publicidade

Sabiam que há um chá feito em Saquarema? Pois a Cris Figgo, da Artesania do Chá, a quinta colocada no concurso, se inspirou nos humores da cidade para o blend “Summer Breeze”. Pensou em suas praias, no surf e na asa delta, no espírito jovem dos beach clubs e nas feiras de produtores locais para fazer seu blend natural perfumado com anis, laranja e sua casca. Muito refrescante no nariz, fica ótimo na versão gelada, campeã de vendas na região.

O quarto lugar ficou com Tatiana Cantu, da Tatea em São Paulo, com um blend afetivo chamado “Benedita”, inspirado em sua avó e no jeito que a acolhia em casa. Foi feito com chá branco que a própria Tatiana colheu e processou em Registro (SP) e vinha com rosas e jasmim importados. Como sua avó sempre lhe oferecia frutas, juntou abacaxi ao blend. Delicioso. O preparo criativo veio na forma de drink, com o blend frio misturado em cachaça de Tiradentes, infusão de xarope de rosas, água com gás e um doce de abacaxi.

O terceiro lugar foi para Laura Goulart, de Campinas. Era o blend “Jardim Secreto” da Mistea.  Sua ideia era despertar o “jardim secreto” dentro de cada um de nós com uma bebida que lembrasse gim, mas não tivesse álcool. Farmacêutica de formação, decidiu juntar camomila, melissa, tangerina, limão, pera, cardamomo, zimbro e canela e fazer uma infusão lúdica, para beber com amigos. Muito aromático.

O segundo lugar foi o surpreendente “primeiro blend da vida” de Adriane Miyaki, que mora no Flamengo, no Rio de Janeiro. Sua empresa, a Monthé, ainda está nascendo, mas sua criação impressionou a todos: se chama “Singularidades” e leva chá preto, grãos de Bourbon amarelo de Mogiana, lascas de amêndoas, fitas de côco e fatias de cumaru. Era um tiramisu no copo, como bem disse Benicio Coura, da ChaDō. Encantador e potente.

Abelha Purificação, o blend vencedor do Primeiro Concurso Nacional de Tea Blenders
O blend vencedor, o júri e a linda embalagem artística e seu celofane biodegradável – conceito impecável (Cristiana Beltrão/Arquivo pessoal)

E o primeiro lugar, muito merecido, foi para a Juliana Zannini, da Infusiva. A ideia era se basear no Earl Grey, o chá cítrico da Rainha da Inglaterra, para fazer homenagem à rainha do Brasil: a abelha. Em embalagem linda retratando o inseto  como uma obra de arte, Juliana misturou o incrível chá preto do Sítio Shimada com cascas de laranja e cupuaçu desidratado e embalou em celofane biodegradável, que ajuda a conservar o chá e pode ser descartado sem prejuízo ao meio ambiente. Delicadíssimo, equilibrado e elegante, ficou excelente também na forma de kombucha (o drinque criativo) que acompanhou uma barra de chocolate temperada pela Mestiço e feita com chá preto. Impecável em concepção, sabor, sustentabilidade e apresentação, Juliana foi coroada a rainha do dia.

Continua após a publicidade

Que grande honra fazer parte desse momento. E viva o chá!

 

JURADOS TÉCNICOS:

Luciana Francini – Qualy Ervas

Tania Rampi – Tea Road

Fernanda Rivas – Condessa Rivas Fine Teas & Chá Pra Quê

Continua após a publicidade

Raquel Magalhães – Raquel Magalhães

 

JURADOS COMERCIAIS:

Benicio Coura – ChaDō

Cleo Reis – Vencedora como Melhor Sommelier de Chás do Brasil

Carla Saueressig – Academia de Chá e Mate

Continua após a publicidade

Mariana Schvartsman – Talchá

Claudia Sant’Anna – Espírito do Chá

Gabriela Godoy – franqueada carioca TeaShop

Rafaela Nascimento – Chá e Café da Rafa

 

JURADOS CLIENTES:

Marcelo Correa – CEO da Leão

Jessica Sanchez – Mixologista e Profa. de Destilados

Fernanda Benitez – Chef e Boulanger

Renata Izaal – O Globo

Robert Marc Urech – Diretor ABS Rio

E eu…

 

EMPRESAS ASSOCIADAS ABCHA QUE APOIARAM O CONCURSO:

Infusões Leao

Pranai Chás

Estrela Vitta

EleganTeas Blends

ChaDo oficial

Condessa Rivas Fine Teas

Espírito do Chá

Tea Road

Moncloa

Qualy Ervas

Chá Pra Quê

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.