Continua após publicidade

Veleiro norueguês que dá volta ao mundo atraca no Rio até dia 26

Navio-escola aportou nesta quarta (23) no Píer Mauá, na Zona Portuária, para dar início à etapa brasileira da expedição One Ocean

Por Agência Brasil Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 fev 2022, 11h56 - Publicado em 23 fev 2022, 11h54

O Consulado Geral da Noruega e a embaixada no Brasil promovem na quinta (24), no Rio, o seminário Green Technology for Sustainable Oceans (Tecnologia Verde para Oceanos Sustentáveis), a bordo do veleiro Statsraad Lehmkuhl, que atracou nesta quarta (23) no Pier Mauá, região portuária da capital fluminense.

+ Único fiorde brasileiro, Saco do Mamanguá atrai visitantes em busca de paz

O navio-escola Statsraad Lehmkuhl dá início à etapa brasileira da expedição One Ocean, organizada pela Fundação Statsraad Lehmkuhl em parceria com o governo norueguês, universidades, cientistas e empresas.

A expedição partiu da Noruega em agosto de 2021 e retornará àquele país em abril de 2023, depois de dar a volta ao mundo, visitando 36 portos em diferentes países. No Brasil, ficará até o dia 26 deste mês. A próxima parada programada é a cidade de Ushuaia, na Argentina.

Compartilhe essa matéria via:

Ciência oceânica

A expedição One Ocean faz parte da Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (2020-2030), lançada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Seu principal objetivo é chamar a atenção e compartilhar conhecimento sobre o papel vital dos oceanos para um futuro sustentável para o mundo.

O embaixador ressaltou que o Oceano Atlântico enfrenta, no momento, graves ameaças provocadas pelo homem, como mudanças climáticas e poluição marinha. São áreas consideradas prioritárias pela Noruega. “Os plásticos são uma ameaça global aos direitos humanos e ao meio ambiente, aos direitos à vida, à saúde, à alimentação. Vamos trabalhar juntos para uma economia azul, sustentável e justa.”

Continua após a publicidade

Segundo Ruud, a então primeira-ministra da Noruega, Erna Soolberg, iniciou o painel de alto nível para uma economia oceânica sustentável em 2018. A ideia é  “criar mecanismos que levem a uma economia oceânica sustentável, para criar melhor compreensão internacional da conexão entre a importância econômica do oceano e os estados”. Ele espera que a visita do veleiro contribua para a conscientização e engajamento do Brasil no combate à excessiva poluição marinha.

+ “Todos os quiosques usarão energia limpa ainda em 2022”, diz presidente da Orla Rio

Transição verde

O embaixador da Noruega destacou a parceria importante entre Noruega e Brasil em termos de práticas sustentáveis, para uma transição verde, em especial no setor de energia. “O Brasil é um país muito importante para a Noruega. A relação bilateral histórica é baseada no oceano. O comércio de bacalhau e café (entre os dois países) remonta há mais de 180 anos”.

O embaixador lembrou que a Noruega tem o segundo maior litoral do mundo, “incluindo os fiordes”. Fiordes são grandes entradas de mar entre altas montanhas rochosas originada da erosão provocada pelo gelo.

+ Cristo ganha iluminação especial para o aniversário do Rio

Continua após a publicidade

Apesar de constituir missão mundial, todos os membros da expedição One Ocean são noruegueses. Em alguns portos, dependendo da situação sanitária imposta pela pandemia da covid-19, o veleiro consegue receber, para intercâmbio e experiência, pessoas de outras nacionalidades que desembarcam na parada seguinte. A expedição recebeu também autorização de autoridades brasileiras para fazer pesquisas no litoral do país.

No período de 28 deste mês a 2 de março, será realizada a 5ª Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unea-5.2) nos formato on-line e presencial em Nairóbi, Quênia, durante a qual será negociado um acordo global contra a poluição marinha. O tema geral da assembleia é o fortalecimento das ações para que a natureza alcance as metas de desenvolvimento sustentável.

Tecnologia

Com 98 metros de comprimento, o veleiro Statsraad Lehmkuhl tem 108 anos de idade. A embarcação foi toda reformada e equipada com tecnologia de última geração para coletar dados sobre física, química e biologia dos oceanos ao longo da viagem. Atua também como uma universidade flutuante, recebendo equipes de estudantes e jovens líderes nas diferentes etapas da viagem.

O veleiro realiza ainda conferências, seminários e outros eventos a bordo durante as paradas nos portos e disponibiliza acesso em tempo real a dados, vídeos e histórias da expedição para inspirar jovens, cientistas e cidadãos a engajar-se em prol de ações de desenvolvimento sustentável com base nos oceanos.

+ SOS Petrópolis: veja novos postos de doação para as famílias desabrigadas

Continua após a publicidade

Os instrumentos modernos permitem medir, por exemplo, níveis de gás carbônico (CO2), microplástico, acidificação dos oceanos, biodiversidade e temperatura dos oceanos. Coleta também dados acústicos de alta qualidade em alto mar, tanto de escuta passiva quanto de ecossondas ativas. A amostragem de água em andamento permite técnicas modernas e poderosas, como análises de DNA.

A cônsul-geral da Noruega no Rio, Marianne Fosland, acredita que investir em pesquisa e inovação é vital para alcançar o objetivo do desenvolvimento sustentável (ODS) número 14 da ONU, no sentido de proteger e usar o oceano e os recursos marinhos de uma forma que promova o desenvolvimento sustentável.

Ecossonda

Um dos sensores científicos de última geração a bordo do Statsraad Lehmkuhl é a ecossonda científica de banda larga Kongsberg Maritime EK80, que coleta continuamente dados da quilha até mil metros abaixo do navio, revelando a densidade e o comportamento de peixes e zooplâncton no oceano e nas áreas costeiras por onde o navio passa.

A expedição busca respostas sobre a distribuição global das camadas mesopelágicas, situadas entre 200 a mil metros de profundidade. Trata-se de uma das partes menos compreendidas do oceano, mas que é também uma das mais importantes.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Organismos que habitam a camada mesopelágica são uma parte importante da cadeia alimentar oceânica e transferem grandes quantidades de carbono da zona da superfície para o oceano profundo, desempenhando papel de destaque no combate às mudanças climáticas. A pesca mesopelágica também é uma potencial nova pesca global e uma importante fonte de nutrientes no futuro.

Semana One Ocean

Quando o navio retornar para o seu porto de partida, a cidade de Bergen sediará a Semana One Ocean, encontro internacional que terá conferências, oficinas, entre outros eventos, para os quais serão convidados representantes de todos os 36 portos que o veleiro Statsraad Lehmkuhl visitará durante seus vinte meses no mar.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.