Clique e assine por apenas 7,90/mês

USP alerta para uso de alteradores hormonais na indústria

Conhecidas como desreguladores endócrinos as substâncias podem provocar males como câncer, obesidade e até infertilidade

Por Redação VEJA RIO - 10 jul 2018, 17h05

A concentração de compostos químicos em materiais itens como garrafas plásticas, protetores solares e sabonetes preocupa pesquisadores da USP de Ribeirão Preto. As substâncias conhecidas como desreguladores endócrinos são capazes de alterar a produção de hormônios no organismo e, assim, provocar males como câncer, obesidade e até infertilidade.

Em estudo publicado recentemente na revista científica Environment International, constatou-se presença destas substâncias em crianças de todas as regiões do país. Trezentas crianças entre 6 e 14 anos tiveram amostras de urina. Mais da metade apresentaram 25 tipos de disruptores endócrinos ao mesmo tempo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que os aditivos coletados são adicionados propositalmente na indústria para funções tecnológicas. O órgão afirmou também que há regulações rígidas quanto ao uso de tais substâncias, cuja quantidade é limitada por legislação.

Publicidade