Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Uerj adia vestibular para maio devido a alta de casos de Covid-19 no Rio

O novo modelo da avaliação adotado será uma prova única, com questões objetivas e redação

Por Agência Brasil Atualizado em 9 fev 2021, 11h52 - Publicado em 9 fev 2021, 11h50

O vestibular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que estava marcado para o dia 28 de de fevereiro, foi adiado para 2 de maio. O motivo é o aumento no número de contaminação de covid-19 no estado.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

O modelo de avaliação revisto terá uma única prova, com questões objetivas e redação. A direção da Uerj informou hoje (8) que todos os 46.209 candidatos que já estavam inscritos para o exame em fevereiro estão automaticamente incluídos para fazer a prova na nova data. Mais adiante, todos os inscritos deverão escolher o curso em que desejam ingressar, bem como informar a opção pelo sistema de cotas.

+ Profissionais do grupo de risco retornam às escolas somente após vacinação

Apesar do adiamento, os dois livros de literatura cujos conteúdos serão base de provas permanecem os mesmos. Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, para a área de linguagens, da parte objetiva, e 1984, de George Orwell, para a redação. Segundo a Uerj, o edital reformulado será divulgado em breve, contendo todas as orientações relativas ao exame. As informações serão divulgadas pelos canais oficiais da Uerj e do vestibular, respectivamente www.uerj.br e www.vestibular.uerj.br.

Continua após a publicidade

Riscos

O adiamento do vestibular levou em consideração parecer da Comissão para Acompanhamento e Suporte à Tomada de Decisão sobre o coronavírus na Uerj, que avalia os riscos da pandemia. A comissão vem elaborando pareceres para monitorar a evolução dos estágios da pandemia e apoiar a gestão da universidade na adoção de medidas voltadas às atividades administrativas, de ensino, pesquisa e extensão.

+ Município do Rio tem mais mortes de Covid-19 que o resto do país

O documento mais recente, emitido em 30 de janeiro, leva em conta indicadores estratégicos, distribuídos nos eixos epidemiológico, capacidade instalada, velocidade de crescimento e mobilidade urbana. A comissão recomenda que deverão ser mantidas as atividades remotas; as atividades laborais e funcionamento deverão envolver apenas serviços considerados essenciais, com limite de acesso; e proibição de qualquer evento de aglomeração.

As atividades presenciais não essenciais encontram-se suspensas na Uerj até o dia 28 de fevereiro.

Continua após a publicidade

Publicidade