Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Com surto na cidade, Rio convoca população para se vacinar contra a gripe

Cariocas a partir de 6 meses de idade devem comparecer aos postos de saúde. Município registra aumento de casos pelo vírus Influenza A

Por Agência Brasil Atualizado em 24 nov 2021, 15h38 - Publicado em 24 nov 2021, 15h37

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio convocou nesta quarta (24) todos os moradores da cidade com mais de 6 meses de idade a se vacinarem contra o vírus Influenza, causador da gripe. Segundo a pasta, foram aplicadas 1.139.877 doses da vacina em 2021, o que equivale a 55,7% do público-alvo na cidade.

+ Aumento no número de casos de síndrome gripal revela avanço da Influenza A no Rio

“Atenção, cariocas! Isso é uma convocação. Se você ainda não se vacinou contra a gripe, vá hoje mesmo ao posto de saúde mais próximo garantir a sua dose. Todas as pessoas com 6 meses de idade ou mais podem se vacinar”, disse a secretaria em seu perfil no Instagram.

O município enfatiza que quem faz parte do grupo prioritário da campanha de gripe e ainda não se vacinou deve procurar os postos imediatamente para se proteger contra a doença. São considerados prioritários crianças com 6 meses ou mais, trabalhadores ou profissionais de saúde, gestantes, puérperas e idosos.

+ O Estação continua: após ameaça de despejo, cinema será tombado

Para receber a vacina, a população deverá procurar as clínicas da família e centros municipais de saúde, que estão abertos de segunda a sexta, das 8h às 17h. O imunizante será aplicado até o fim do estoque disponível.

Continua após a publicidade

Investigação epidemiológica

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Rio) informou que está atenta ao aumento da procura de atendimento nas unidades de saúde por pessoas relatando síndrome gripal e iniciou uma investigação epidemiológica por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde.

O órgão já constatou que na última semana houve um aumento de resultados positivos para Influenza A nas amostras coletadas em unidades de saúde sentinelas, enquanto apenas cerca de 3% dos casos testados para Covid-19 foram positivos.

+ A 40 dias do Réveillon, hotéis têm número de reservas maior do que em 2019

Ontem (23), a Rede de Vigilância em Saúde esteve presente em dezenas de unidades de saúde para avaliar o cenário epidemiológico. Foram realizadas cerca de 300 coletas de todo o território da cidade para uma investigação laboratorial junto ao Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (Lacen-RJ) e à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A secretaria explicou que, tratando-se de Influenza A, as medidas de proteção não farmacológicas são semelhantes às de Covid-19, dentre elas manter o distanciamento social, uso de máscaras e higiene das mãos com álcool 70% ou, quando possível, água e sabão.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade