Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Prefeitura do Rio derruba prédio na Vila Autódromo

Com cerca de 200 agentes da Guarda Municipal, a prefeitura do Rio de Janeiro derrubou nesta quarta (24) o prédio da associação de Moradores da Vila Autódromo, na Baixada de Jacarepaguá

Por Agência Brasil Atualizado em 5 dez 2016, 11h28 - Publicado em 24 fev 2016, 16h06

Com cerca de 200 agentes da Guarda Municipal, a prefeitura do Rio de Janeiro derrubou nesta quarta (24) o prédio da associação de Moradores da Vila Autódromo, na Baixada de Jacarepaguá, em uma área situada entre o Parque Olímpico e a Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

Os agentes chegaram por volta das 6h e cercaram o local. Eles isolaram os moradores e a derrubada ocorreu em menos de uma hora sem que houvesse qualquer resistência. Além do prédio, também foi ao chão um bar.

A ação atendeu a decreto de desocupação assinado em março pelo prefeito Eduardo Paes. A área vinha sendo alvo de disputa judicial envolvendo a Defensoria Publica do estado, contrária à demolição. Moradores da Vila Autódromo realizaram ato de protesto denunciando “as seguidas violações de direitos” cometidas, segundo eles, pela prefeitura.

Para Altair Antunes Guimarães, presidente da associação, “a prefeitura tem usado uma série de estratégias para tentar nos expulsar da área, do corte de serviços básicos como água e luz ao uso da força por meio da Guarda Municipal, que ocupa permanentemente a entrada da Vila. Nós consideramos estranha essa decisão da Justiça e a impotência da Defensoria Publica em reverter a decisão, uma vez que a Vila é uma legalmente constituída”.

+ Entidade divulga dossiê sobre violações aos direitos sociais em obras olímpicas

Continua após a publicidade

Revolta

Para o presidente da associação, a luta vai continuar, pois a associação, apesar da derrubada de sua sede, ainda continua de pé. “Essa é uma comunidade legal, documentada, mas os governantes estão aí atendendo aos interesses do poder econômico e do capitalismo. Mas eles derrubaram somente um prédio, que nós já havíamos esvaziado e a associação continuará de pé e vai funcionar na Igreja Católica da comunidade”.

“A defensoria tentou de todas as formas derrubar essa liminar sem conseguir. Alguma coisa de muito estranha está acontecendo. A comunidade não é ilegal, ela é considerada área especial de interesse social e tem documento concedido pelo governo do estado. São famílias que possuem títulos concedidos pelo governo e que são colocadas na rua com seus filhos em nome de ‘jogos’ que vão durar apenas 17 dias”, protestou.

Em nota, a Defensoria Publica informou que defensores estão na Vila Autódromo tentando impedir novas demolições. “A Defensoria Pública do Rio de Janeiro tenta derrubar a liminar [que permitiu a derrubada] e que concede imissão de posse de duas casas da Vila Autódromo. Desde o início da manhã, o coordenador do Núcleo de Terras e Habitação (Nuth), João Helvécio de Carvalho, está na comunidade, onde acompanhou a demolição da Associação de Moradores e Pescadores local, conforme determinou a Justiça”, diz o documento.

Acrescenta que a Defensoria usou de todos os recursos possíveis para impedir a demolição do prédio da associação, “uma das últimas trincheiras de resistência da Vila Autódromo contra as desapropriações para a construção do Parque Olímpico”. Já sobre as liminares determinando a imissão de posse e demolição das duas casas que saíram no fim da noite de ontem, a expectativa é de reverter a decisão”, conclui a nota.

A comunidade da Vila Autódromo está consolidada na Baixada de Jacarepaguá há mais de 40 anos. A área, em sua maioria, é considerada de interesse social e a maior parte dos moradores tem o título de concessão do direito real de uso. “É uma terra regularizada e há muitos anos vem sendo alvo de tentativas de remoção por interesses imobiliários. Agora, usam a questão das olimpíadas para atingir seus objetivos, uma vez que ela fica entre o Parque Olímpico e a Vila dos Atletas e a prefeitura utiliza o fato de que ela estaria na passagem de ligação entre as duas instalações para atingir seus objetivos”, disse Guimarães.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 12,90/mês