Clique e assine por apenas 4,90/mês

Policial cria boneco “Crivillão” para protestar no Rio

Everton Gomes, 37 anos, reclama de um buraco na Avenida Sete de Setembro desde setembro do ano passado, mas a prefeitura não resolve

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 9 jan 2018, 20h09 - Publicado em 9 jan 2018, 19h51
Divulgação/Divulgação

No trajeto entre o trabalho e o restaurante onde costuma almoçar todos os dias, o policial civil Everton Gomes, de 37 anos, passa pela Avenida Sete de Setembro, no Centro, onde um buraco enorme ao lado dos trilhos do VLT dificulta a passagem dos pedestres. Depois de reclamações consecutivas desde agosto do ano passado através do Portal 1746 da prefeitura, todas ignoradas, ele decidiu tomar uma atitude. Foi ao mercado popular do Saara e desembolsou 150 reais na compra de camisa, calça, cinto, sapatos e um manequim. O material foi usado na construção do “Crivillão” (acrônimo de Crivella com vilão), um boneco com o rosto do prefeito Marcelo Crivella. Gomes colocou o sósia dentro do buraco, nesta terça (9), por volta das 19h. “As pessoas riam, xingavam o Crivella e até tiravam foto. Eu já caí nesse buraco e vi outras pessoas tendo problemas também”, conta o policial.

Em setembro, Gomes e mais quatro amigos fizeram uma festa de aniversário para a falha no calçamento, com direito a bolo de chocolate. A prefeitura chegou a respondê-lo dizendo que o problema havia sido resolvido, mas, no dia seguinte, lá estava o buraco. “O prefeito disse que cuidaria da cidade na campanha, mas só fica viajando”, protesta.

O próximo destino do Crivillão deve ser a Ilha do Governador, onde Gomes mora. De acordo com ele, o bairro tem problemas de iluminação, asfaltamento e drenagem de água da chuva. “A cidade piorou muito desde que o novo prefeito assumiu. Estamos abandonados”, completa.

Publicidade