Continua após publicidade

Polícia investiga suposto envenenamento de cães em condomínio na Barra

Agentes fazem perícia, ouvem depoimentos de tutores dos animais e tentam descobrir qual produto foi usado por empresa de dedetização

Por Da Redação
20 set 2023, 14h29

A Polícia Civil investiga a suposta intoxicação de animais em um condomínio na Barra da Tijuca. Entre dezembro do ano passado e setembro deste ano, 20 ficaram doentes e três morreram com sintomas de envenenamento. Os investigadores da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) já haviam realizado uma perícia no começo do mês, mas vão realizar novos exames para esclarecer outros pontos. O objetivo é saber produto foi usado pela empresa responsável pela dedetização do lado de fora dos prédios.

+ Com temperatura acima dos 40 graus, Rio é a capital mais seca do país

“Na semana passada, a Polícia Civil apreendeu minhocas no asfalto do condomínio. Temos o vídeo das minhocas fugindo do canteiro. Normalmente, minhocas procuram terra, mas, neste caso, elas estavam saindo do canteiro e em busca de asfalto. É porque ela encontrou algo nocivo para a saúde dela. Pode ser que, naquele canteiro, tenha um veneno muito poderoso. Ainda não sabemos por que o laudo não saiu”, destacou o delegado Wellington Vieira em entrevista à TV Globo. A empresa Akron Controle Profissional de Pragas, no entanto, afirmou que o produto que utiliza contém uma substância amarga, que previne que pessoas e animais façam a ingestão. E que o possível envenenamento não tem relação com a empresa.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Os agentes já ouviram o depoimento dos representantes dos condomínios da região, dos tutores dos animais e outras testemunhas. Os agentes querem saber quais produtos foram utilizados nos jardins e se eles podem ter provocado a intoxicação dos animais. O Condomínio Oceano Pacífico afirmou que não há certeza de que o possível envenenamento tenha ocorrido nas dependências do local. De acordo com o condomínio, mais de 200 animais vivem em suas dependências, mas apenas dois cães teriam sido envenenados. E que não é possível afirmar que esses envenenamentos tenham ocorrido na área.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.