Clique e Assine a partir de R$ 3,90/mês

Polícia faz ação em Madureira por suposta venda de vacina de coronavírus

Outra razão é a suspeita de fake news. Polícia Federal e Anvisa também investigam a história, que viralizou nas redes sociais nesta semana

Por Carolina Barbosa 23 dez 2020, 12h19

Diante das postagens que viralizaram nas redes sociais neste início da semana, com uma suposta vacina contra o novo coronavírus sendo vendida por camelôs em Madureira, a Polícia Civil do Rio abriu um inquérito para investigar a informação. Agentes da Delegacia do Consumidor (Decon) fizeram uma ação na região em busca da suposta mercadoria, que não foi encontrada. Os investigadores suspeitam que o conteúdo, que relatava de que o produto estaria à venda por R$ 50 mais R$ 10 para aplicação, seja mais um caso de “fake news” (leia-se falso).

+ Crivella: prefeito do Rio vai cumprir prisão domiciliar

Identificado como Jones MFjay, o autor de uma das publicações, no entanto, alegou ter feito o post “mais para brincar com algo inusitado  do que realmente levantar suspeitas de um crime”.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Polícia Federal (PF) apuram o caso. Em nota, sem detalhes sobre a investigação, a Anvisa informou que qualquer comercialização ou aplicação de vacina de Covid-19 no país atualmente é uma atividade irregular e fruto de falsificação, já que não há vacinas autorizadas no Brasil, por enquanto.

+ Esquema de corrupção no Rio desviou R$ 50 milhões de reais

Continua após a publicidade
Publicidade