Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Parque da Tijuca pode multar em até 10 mil reais infrações de visitantes

No último fim de semana, setenta pessoas tiveram seus documentos listados para abertura do processo de multa

Por Bruna Motta 27 jul 2020, 17h03

Cariocas e turistas que desrespeitarem as regras de segurança e isolamento social no Parque Nacional da Tijuca podem desembolsar até R$10 mil de multa. Esta medida mais dura do Parque vem com o objetivo de evitar a proliferação do novo coronavírus. Desde o dia 9 de julho quando foi reaberto, o espaço recebeu um grande número de pessoas sem máscara, reunidas em grupos com mais de dez membros, entre outras infrações.

+Coronavírus: 500 pessoas são retiradas das praias no fim de semana 

Além das multas que variam entre R$ 500 e R$ 10 mil, o parque poderá apreender equipamentos e materiais que estejam com os infratores. Neste fim de semana, setenta pessoas tiveram a documentação listada para abrir processo de multa.

A reclamação constante de quem prática exercício tem sido o uso da máscara. Segundo o professor de educação física, Iago Santos, é preciso levar em consideração que não dá para praticar a mesma intensidade de atividades usando a proteção. “No início, até se acostumar com ela, é importante pegar mais leve”, explica. Outra dica do professor é levar uma segunda máscara de reserva, “porque com trinta minutos suando, o efeito protetor vai diminuindo”, disse.

Segundo o parque, o flagrante da ausência de máscara pode resultar em penalização.

Continua após a publicidade

+Volta às aulas no Rio: Prefeitura e Estado não chegam a consenso 

As fotos publicadas em redes sociais do próprio usuário (onde ele assume publicamente o comportamento em desacordo com as regras do parque) ou imagens denunciadas por e-mail (denuncia.pnt@icmbio.gov.br) poderão ser utilizadas como provas no processo de autuação e de multa.

Todas as informações e regras do que é permitido no Parque da Tijuca, maior floresta urbana do mundo, estão disponíveis no site do parque e em todas as redes sociais da unidade de conservação.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade