Continua após publicidade

Partiu cachoeira! Parque Nacional do Itatiaia tem duas novas atrações

Áreas privadas foram adquiridas pelo ICMBio e disponibilizadas aos visitantes. Regularização fundiária no parque já abrange 90% dos imóveis particulares

Por Redação VEJA RIO Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 30 mar 2023, 18h09 - Publicado em 30 mar 2023, 18h07

Situado entre os estados do Rio e de Minas Gerais, o Parque Nacional do Itatiaia conta novos atrativos para os visitantes. Espaços que eram particulares na primeira reserva florestal do país foram adquiridos pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e agora estão à disposição dos visitantes. São eles: a Cachoeira Itupi e Poço Espelho do Céu, localizados na parte baixa do parque.

+ Que Páscoa salgada! Alimentos típicos do feriado estão até 43% mais caros

Desde 2009, o parque passa por um processo de regularização fundiária que já abrange 90% dos imóveis particulares situados em seu interior. O processo também alcançou 60% das áreas desapropriadas. De acordo com o Ministério Público Federal, 369 processos administrativos estão hoje em tramitação, de 458 propriedades do parque. Outras 57 propriedades particulares já foram adquiridas pelo ICMBio, que correspondem a uma área de 3 200 hectares.

Esses dados foram repassados pelo ICMBio ao Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) e atendem ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelas instituições em 2014. O TAC tem o objetivo de adequar a unidade de conservação às normas ambientais, desapropriando as áreas privadas no parque. O termo prevê indenizações com o valor do terreno e das edificações construídas antes da entrada em vigor do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), em 2000, e rejeita a indenização de obras realizadas em área de preservação permanente. O ICMBio afirma que dispõe de R$ 4,2 milhões para fins de desapropriação.

Compartilhe essa matéria via:

Para o MPF, a regularização fundiária “é condição essencial para a efetiva implementação da unidade de conservação, pois, com a consolidação do seu território, é possível ao poder público adotar medidas para preservar o patrimônio ambiental”. O processo também permite que áreas de possível interesse público, seja para pesquisas científicas ou turismo, tenham livre acesso, como no caso dos dois atrativos.

Para chegar aos locais, os visitantes que saem do Rio devem seguir pela Via Dutra até Itatiaia (saída 318), e depois seguir por mais 5,5 quilômetros pela BR-485 até a portaria da parte baixa. Na região, há ainda atrações como a Piscina do Maromba e as cachoeiras Véu da Noiva e Itaporani. Já a parte alta, com acesso pela Rodovia das Flores, tem o Maciço das Agulhas Negras, a Cachoeira das Flores e a Trilha dos Três Picos entre os atrativos. O parque tem ingressos entre R$ 4,00 e R$ 43,00, que podem ser adquiridos pelo site.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.