Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Museu do Amanhã será patrimônio histórico da humanidade, diz Dilma

Obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi inaugurado nesta quinta (17) pela presidenta da República, Dilma Rousseff

Por Agência Brasil Atualizado em 5 dez 2016, 11h36 - Publicado em 18 dez 2015, 13h35

Um dos destaques turísticos da revitalização da zona portuária do Rio, região também conhecida como Porto Maravilha, o Museu do Amanhã, obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi inaugurado nesta quinta (17) pela presidenta da República, Dilma Rousseff. De acordo com a presidenta, o museu é um patrimônio histórico que em pouco tempo será também patrimônio histórico da humanidade.

+ Trânsito muda para abertura do Museu do Amanhã

+ Inauguração do Museu do Amanhã tem evento gratuito de 36 horas

“Este museu é um museu feito para o meu neto, para o neto de todos nós. Este museu é um museu para os nossos filhos e também feito para nós. Quando entrei na sala em que mostra o início do Universo, e a gente chega até a nossa situação, e a grande capacidade que nós temos, que é o pensamento, e, portanto, a nossa capacidade de criar cultura, o que nos distingue como humanidade, fiquei estarrecida com uma coisa: o tempo é muito curto e ao mesmo tempo é muito denso todos os conceitos que são externados, e aí fica claro o poder da arte”, afirmou.

Dilma disse ainda que se comoveu ao percorrer as instalações do museu, porque notou, ali, a competência de artistas brasileiros como Fernando Meirelles, diretor do filme de realidade virtual exibido no Portal Cósmico, a quem saudou. A presidenta ressaltou que o espaço, que também vai discutir a preservação do planeta, foi inaugurado pouco tempo depois em que foi assinado o acordo global do clima, a COP21, semana passada em Paris. “Este é um museu que está plenamente no ritmo do que deve ser o amanhã”, disse.

Para Dilma Rousseff, o Museu do Amanhã vai transformar a região portuária da capital fluminense em um grande local para expressar a história do país. “O Rio tem a trajetória da nossa vida política também e ela deve ser preservada”. A presidenta elogiou o prefeito Eduardo Paes que, segundo ela, tem uma enorme capacidade de trabalho e boas ideias. “Você mostra aqui uma competência especial e um talento para transformar uma cidade que você ama”, afirmou.

Após Dilma deixar o local, o prefeito Eduardo Paes disse à imprensa que a presidenta está feliz com a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o rito do processo de impeachment contra ela. Para Paes, a decisão do Tribunal acalma um pouco o processo político. “A política brasileira precisa dialogar. Em Brasília, principalmente, o grau de radicalização de conflitos está muito acima daquilo que é aceitável. Isso prejudica o país. Se a gente já vive uma situação de dificuldade econômica, essa dificuldade econômica é muito agravada por esta crise política. Acho que se botou um pouco de água na fervura hoje”.

O arquiteto espanhol Santiago Calatrava, que assinou o projeto, espera que os cariocas tomem o museu como seu e que realmente ele sirva não apenas às gerações atuais, mas as que estão por vir. Ele revelou que, visitando o Rio com a família, o filho disse ser a capital fluminense a cidade mais linda do mundo. “Meu filho crê, e isto é mais importante que eu, e creio que ele tem mais critério do que eu”, comentou sorrindo.

O Museu do Amanhã estará aberto ao público a partir deste sábado (19), quando ocorrerá o Viradão do Amanhã, uma programação com 36 horas de atividades das 10h de sábado às 18h de domingo (20). Entre as apresentações estão o cantor Diogo Nogueira, o bandolinista Hamilton de Holanda e a Orquestra Sinfônica Brasileira. A entrada é gratuita.

Continua após a publicidade
Publicidade