Clique e assine por apenas 4,90/mês

Museu da moda brasileira vai virar aplicativo para celular

Público poderá ver 100 itens das coleções do museu, entre vestidos, leques, pinturas, gravuras, louças, carnês de baile e porcelanas

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 5 dez 2016, 11h43 - Publicado em 28 out 2015, 16h54

 

Antes mesmo de ser inaugurada, a Casa da Marquesa de Santos /Museu da Moda Brasileira, em São Cristóvão, já poide ser acessada on-line. O local que passa por um processo de renovação conceitual que visa fortalecer sua importância histórica pretende se tornar um espaço cultural autêntico. A construção de 1826 abrigava o Museu do Primeiro Reinado e, após reforma e restauro, será transformado no primeiro museu nacional dedicado à moda. Enquanto as obras estão em andamento, o público pode conhecer o acervo, o bairro que foi sede da corte imperial e personagens importantes da história nacional por meio do aplicativo disponível para Android e iOS. O aplicativo Casa da Marquesa de Santos /Museu da Moda Brasileira apresenta 100 itens das coleções do museu, entre vestidos, leques, pinturas, gravuras, louças, carnês de baile e porcelanas do casamento de D. Amélia com D. Pedro I. Além disso, os usuários poderão responder a um quiz sobre a história do Império brasileiro, tirar selfies escolhendo as molduras para fotos idênticas às existentes no acervo do museu. O app traz também o guia São Cristóvão Cultural, um mapa interativo do bairro imperial com suas instituições de cultura e lazer e seus pontos de interesse.

De acordo com a Secretaria de Cultura, o objetivo do museu é apresentar a moda como elemento importante da identidade cultural do país, de maneira integrada com a arte, as ciências, a tecnologia e a educação. O bairro de São Cristóvão abriga um arranjo produtivo local de empresas relacionadas a moda e os têxteis  e a Casa da Marquesa de Santos será um local especializado na conservação, pesquisa, formação e difusão da moda do Rio de Janeiro e do Brasil. O acervo do Museu do Primeiro Reinado será mantido na Casa da Marquesa. O espaço também vai abordar a história da casa que testemunhou o romance entre D. Pedro I e Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, a participação da mulher na história nacional, hábitos e convenções sociais e a moda brasileira, além de exposições itinerantes. O imóvel, de inspiração neoclássica, é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC).

Paralelamente, a Casa da Marquesa/Museu da Moda Brasileira passa por um processo de renovação conceitual que visa fortalecer sua importância histórica como lugar de memória e que celebra sua mais ilustre residente, tornando-se assim um espaço cultural autêntico,  comprometido com sua história e as demandas museológicas contemporâneas.

 

Publicidade