Clique e assine por apenas 4,90/mês

Ministério Público aponta falha no projeto da Ciclovia da Niemeyer

Erro, descrito em laudo do Ministério Público, teria causado desabamento de trecho da ciclovia em São Conrado

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h21 - Publicado em 29 abr 2016, 18h17

Pouco mais de uma semana após o desabamento de trecho da Ciclovia da Niemeyer, em São Conrado, o Ministério Público apontou rachadura e falha na concepção e/ou na execução do projeto. O laudo, assinado pelo promotor Vinicius Leal Cavalleiro, afirma ainda que “o acidente teria sido causado pela ação de fortes ondas sobre lajes apoiadas por pilares sem qualquer tipo de ancoragem”.

+ Comitê Olímpico Internacional cobra fiscalizações nas obras olímpicas

No mesmo dia do desabamento peritos do Grupo de Apoio Técnico Especializado (Gate), do MP, fotografaram o pilar 49 (que, assim como os pilares 48 e 50, sustentaram o trecho que desmoronou) com uma rachadura. As afirmações integram o inquérito civil público para apurar os responsáveis pelo acidente e atos de improbidade administrativa da contratação do consórcio Contemat-Concrejato pela Fundação Geo-Rio (vinculada à prefeitura).

+ Americanos criam cinco mascotes para representar a Rio 2016

Rio 2016

Nesta quinta (28), o Comitê Olímpico Internacional cobrou às autoridades brasileiras que sejam estabelecidas garantias nas obras olímpicas. O pronunciamento ocorreu dois dias após ser confirmado o número de mortes de trabalhadores nas obras dos Jogos Olímpicos desde 2013: onze vítimas. Nos Jogos de Londres, em 2012, nenhum caso foi registrado.

+ Consórcio da Niemeyer pode pagar multa de até R$ 9 milhões

Publicidade