Clique e assine por apenas 4,90/mês

Mercadinho São José pode fechar as portas a qualquer momento

Dono do ponto, o INSS, que move ação desde 1993, quer retomar o imóvel. Proprietários de bares e lojas já estão de sobreaviso

Por Rafael Cavalieri - 19 jun 2017, 13h29
GoogleMaps/Reprodução

Uma batalha judicial que vem sendo travada nos bastidores desde 1993 pode fazer com que o Mercadinho São José, tradicional ponto boêmio que reúne arte, cultura e gastronomia, feche as portas a qualquer momento. Dono do imóvel localizado em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, o INSS deseja retomar o espaço que foi tombado em 1994 como patrimônio da cidade – o que impede obras tanto na fachada como na parte interna.

A decisão deixa preocupados os donos de bares e restaurantes do local. Casas como Bar do B, Espeteria Gaúcha, Pisco Gastrobar e Botero Bar estão de sobreaviso. O último, criado pelo chef Bruno Magalhães, já buscou um novo endereço: um casarão bem pertinho do antigo ponto, na Travessa Euricles de Matos.

O imóvel inicialmente funcionou como senzala de uma fazenda localizada na altura do que hoje é o Parque Guinle, na época do império. A ideia de transformar o lugar em um mercado com boxes veio apenas em 1942, por ordem do então presidente Getúlio Vargas. Além de exposições, eventos culturais e dos próprios bares, foi no Mercadinho que foi fundado o tradicional bloco de carnaval Imprensa que eu Gamo.

Publicidade