Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Ipanema e Leblon registram a maior ocupação hoteleira durante o Carnaval

A região registrou o maior percentual de quartos ocupados acima da média (70%), seguida de Leme/ Copacabana (64%) e Flamengo/ Botafogo (63%)

Por Agência Brasil Atualizado em 19 fev 2021, 12h48 - Publicado em 19 fev 2021, 12h46

Sem folia nas ruas, a média de ocupação hoteleira na cidade do Rio de Janeiro foi de 63% durante o período do carnaval 2021. No mesmo período do ano passado, a ocupação média ficou em 93%. A informação foi dada nesta quinta (18) pelo Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio de Janeiro (Hotéis Rio).

+ Projeto para armar a Guarda Municipal do Rio será encaminhado à Câmara

A região de Ipanema/ Leblon registrou o maior percentual de quartos ocupados, acima da média (70%), seguida de Leme/ Copacabana (64%) e Flamengo/ Botafogo (63%). A região da Barra/ São Conrado/ Recreio e o centro da capital fluminense apresentaram ocupações de 60% e 56%, respectivamente. No período de 12 a 15 de fevereiro, alguns hotéis chegaram a registrar picos de ocupação de 65 a 80%, com variações de até 100%, informou o Hotéis Rio.

+ Xô, Covid-19: Búzios zera número pacientes internados com a doença

O presidente da entidade, Alfredo Lopes, comentou que o balanço foi positivo. Segundo ele, o resultado da ocupação “reflete que, mesmo sem a grande festa de carnaval, a cidade do Rio, suas belas praias e diversidade de atrativos turísticos fizeram a diferença para a hotelaria carioca neste ano sem folia”.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

De acordo com o balanço divulgado, cerca de 95% dos visitantes eram procedentes do mercado nacional, sendo os principais emissores os estados de São Paulo, Minas Gerais, o próprio estado do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Em sua grande maioria, os hóspedes são formados por casal ou família. Do mercado internacional, os 5% dos turistas foram oriundos dos Estados Unidos, Argentina e Chile.

Continua após a publicidade
Publicidade