Clique e assine por apenas 4,90/mês

Incêndio criminoso ameaça 15 mil metros quadrados de reserva no Rio

Fogo teria começado depois que homem pôs fogo no próprio carro

Por Agência Brasil - 29 jul 2020, 10h23

O Corpo de Bombeiros de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, trabalha para controlar um incêndio de grandes proporções que atinge desde segunda (27) a Reserva Biológica de Araras, no alto da serra.

A equipe, que conta com o apoio de órgãos ligados ao meio ambiente, está dividida entre as áreas do Cobiçado, na entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, da Reserva Biológica de Araras e do Vale das Videiras. O helicóptero do Corpo de Bombeiros está sendo usado para deixar os homens na área de mata e fazer o lançamento de água em pontos estratégicos da região.

+Fátima Facuri: ‘O que faz o Rio perder eventos é o poder público’

Por terra, as viaturas seguem trilhas combater as chamas. “Eram cinco anos sem um incêndio dessa proporção na Reserva Biológica de Araras. As chamas começaram na beira da estrada, em uma zona de amortecimento, chegando até a área da reserva”, contou a chefe da reserva biológica de Araras, Isabela Bernardes.

Continua após a publicidade

O prefeito Bernardo Rossi disse que determinou hoje pela manhã o apoio da Defesa Civil e da Guarda Civil na força-tarefa. “Amanhã, mais dez homens da prefeitura estarão disponíveis para ajudar neste trabalho de combate ao fogo, dando todo o suporte necessário aos bombeiros.”

+Coronavírus: escola de samba São Clemente dispensa 50 funcionários 

Participam também da operação equipes da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, Guarda Civil, por meio do Grupamento de Proteção Ambiental, Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e de técnicos do Ibama.

O comandante do quartel do Corpo de Bombeiros em Petrópolis, Gil Kempers, disse que ontem eram 10 mil metros quadrados de área queimada. “A nossa estimativa é que esse número suba para 15 mil metros hoje.”

Continua após a publicidade

+Rio: comércio de rua teve perda de 80% nas primeiras semanas de julho 

De acordo com os bombeiros, nos últimos dois meses, foram registrados 120 incêndios florestais em Petrópolis. No ano passado, entre abril e setembro, foram 196 casos. “Segundo nossas estatísticas, 98% das queimadas na cidade são causadas pelo homem, ou seja, são situações que podem e devem ser evitadas”, disse o comandante dos bombeiros em Petrópolis.

A força-tarefa conta com 72 homens, 19 viaturas e uma aeronave. Mais de 10 mil metros quadrados – o equivalente a 10 campos de futebol – já foram consumidos pelo fogo, que começou na madrugada desta segunda-feira. O responsável pela queimada foi identificado e preso ontem por policiais civis da 106ª DP, em Itaipava.

Crime

Continua após a publicidade

O responsável pelo incêndio foi preso, depois de ter colocado fogo, no próprio carro, para receber o seguro do veículo. De acordo com o delegado titular de Itaipava, João Valentim, o suspeito compareceu à delegacia para registrar o roubo do carro e apresentou uma versão que gerou desconfiança na equipe policial. Durante as investigações, os policiais foram informados que o incêndio de grandes proporções foi provocado por um veículo incendiado.

O delegado, após ouvir testemunhas e analisar câmeras de vários postos de combustíveis, verificou que o suspeito comprou, no dia anterior, um galão de gasolina no município de Três Rios. O material foi usado para atear fogo no veículo.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

A investigação apontou que o autor do crime tinha como finalidade receber o seguro do veículo com um sinistro, que na verdade não ocorreu “acabando por ocasionar um crime de grandes proporções, o maior registrado em Petrópolis em 2020, de acordo com o laudo pericial”, informou o delegado Valentim.

Continua após a publicidade

O autor do crime, de 66 anos, foi autuado por tentativa de estelionato e por crime ambiental. Ele foi preso encaminhado à Justiça para a audiência de custódia e depois aguardará julgamento num presídio do Estado.

Reserva

A Reserva Biológica de Araras protege a área que fica no limite entre o município de Miguel Pereira e o município de Petrópolis. A princípio, essa área havia sido reconhecida como floresta protetora da união, pelo Império do Brasil. Em seguida passou a ser considerado Horto Florestal até se tornar Reserva Biológica. Em 2010 a reserva foi ampliada com contribuições técnicas da equipe do Instituto de Terra e Preservação Ambiental, passando de 2.131 hectares para 3.862 hectares.

 

Publicidade