Clique e assine por apenas 4,90/mês

Isolamento: Flexibilização na capital prevê volta do futebol

Na terceira fase da abertura gradual da quarentena, a Prefeitura prevê até que o público pode voltar aos estádios

Por Agência Brasil - 2 jun 2020, 11h45

Os centros de treinamento das equipes de futebol podem voltar a funcionar na cidade do Rio de Janeiro. Por decreto, que será publicado na próxima terça (2), a Prefeitura começa plano de seis fases para reabrir as atividades no Rio. Na primeira etapa, os CTs já estão autorizados a retomar as atividades, mas sem a presença de público e da imprensa. Além disso, atividades esportivas no calçadão das praias estão liberadas. No mar, o surfe e qualquer outra prática individual também podem recomeçar.

+Fiocruz: ainda não é momento de relaxar isolamento social no Rio

A ideia do prefeito Marcelo Crivella é avançar de fase a cada 15 dias, após avaliar os leitos hospitalares diante dos próximos números de casos do novo coronavírus (covid-19). Na segunda etapa deste processo está prevista a volta dos jogos, mas com portões fechados. Em julho, na terceira etapa, o público até pode voltar aos estádios, mas ocupando apenas 33% dos lugares disponíveis nas praças esportivas.

O Maracanã, por exemplo, poderia receber 22 mil torcedores para acompanhar uma partida. O Campeonato Carioca está parado desde meados de março e os clubes divergem quanto à volta da competição. O Ministério Público também fez uma recomendação contrária à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e à própria Prefeitura quanto ao retorno do futebol neste momento.

+Covid-19: favelas cariocas já concentram mais de mil casos de infectados

A Secretaria de Estado de Saúde divulgou, no fim da tarde desta segunda (1), que o Rio registra 54 530 casos de coronavírus, com 5 462 mortes. A capital lidera o número de infectados pela doença, com 30 014 casos e 3 671 óbitos.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade