Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Pedido oficializado: Flamengo quer 21 000 torcedores no Maracanã

Documento foi enviado na quarta (28) para análise da Prefeitura; proposta sugere apresentação do comprovante de vacinação ou teste negativo de Covid

Por Luiza Maia 29 jul 2021, 14h22

Mesmo com apenas 24,7% da população carioca vacinada com as duas doses contra a Covid-19, um novo pedido para retorno do público aos estádios foi apresentado pelo Flamengo à Prefeitura nesta quarta (28). O documento pede que o Maracanã tenha abertura de 30% de sua capacidade – ou seja, mais de 21 000 torcedores presentes.

+ Frio, muito frio: tarde mais gelada do ano pode ser nesta quinta (29)

A proposta do clube é baseada em procedimentos já aplicados em Belo Horizonte e Mato Grosso, diz o G1. Para entrar no estádio, os torcedores deverão apresentar o comprovante de vacinação com as duas doses, ou dose única, recebida pelo menos quinze dias antes da partida.

Outra opção seria o espectador apresentar um teste negativo de Covid-19 realizado 72h antes do jogo. Entre as demais recomendações, estão o distanciamento de um metro entre os assentos, o não comparecimento de quem apresentar sintomas da Covid, abertura antecipada em 3h dos portões e desinfecção do estádio após a disputa.

+ Rio tem 4º pôr do sol mais bonito do mundo, diz site; E a reação de Paes?

O recebimento do documento foi anunciado pelo prefeito Eduardo Paes na tarde de quarta (28) através do Twitter, após uma troca de farpas na rede com o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz. 

A discussão virtual começou em uma publicação de Paes que comemorava o retorno da vacinação na cidade, logo rebatida com ironia por Braz: “Que legal! Agora podemos jogar no Maracanã com público?”, perguntou o dirigente rubro-negro. 

A frente fria chegou: como doar agasalhos a quem precisa no Rio

Em resposta, o prefeito afirmou que até então não havia sido feita uma consulta formal do clube sobre o retorno -e ainda deu uma alfinetada: “Gritaria pelo tweet não funciona”.

+ De Adriano Imperador para Simone Biles: ‘Não deixe te crucificarem’

Na final da Copa América, disputada em julho no Maracanã, a prefeitura autorizou a presença de 10% da capacidade do estádio. Os protocolos, no entanto, foram desrespeitados durante a partida de Brasil e Argentina, implicando em 54 000 reais de multa para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade