Clique e assine por apenas 4,90/mês

Filho de Cabral é denunciado por visitas irregulares ao pai

Deputado Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ) é acusado de abuso de prerrogativa parlamentar. Ação também cita ausências não descontadas em sessões da Câmara

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 17 out 2017, 17h44 - Publicado em 17 out 2017, 16h41

O deputado federal Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ), filho do ex-governador Sérgio Cabral, foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) do Rio por improbidade administrativa. Segundo documento da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Marco Antônio teria visitado o pai 23 vezes usando prerrogativa parlamentar. De acordo com os procuradores do (MPF), o abuso foi ainda maior: o deputado teria feito 33 visitas fora dos dias e horários determinados, o que caracteriza o excesso.

Em um trecho da ação, o MPF ainda cita a página eletrônica da Câmara que informa a frequência dos deputados federais para acusar Marco Antônio de faltar sessões legislativas por conta das visitas. Procurado pelo MPF, o presidente da Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), informou que não foram encontrados registros de descontos relativos às ausências de Marco Antônio Cabral.

Na mesma ação, há ainda o pedido de bloqueios de bens de Marco Antônio no valor de R$ 337.630, mas o juiz responsável  negou a liminar e deu 15 dias para ele se manifestar antes da possívela abertura do processo.

O deputado federal afirma que a acusação é falsa e que nunca faltou sessão para visitar o pai. O ex-governador Sérgio Cabral foi preso em novembro do ano passado pela Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato.

Publicidade