Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Ações para reduzir criminalidade são implementadas em Ipanema e Copacabana

Bem sucedido no Méier, onde houve queda de 35% dos crimes de rua, Conjunto de Estratégias de Prevenção (CEP) chega agora à Zona Sul

Por Da Redação 13 Maio 2022, 16h36

Após experiência bem-sucedida no Méier, a prefeitura do Rio leva o Conjunto de Estratégias de Prevenção para Ipanema e Copacabana. Conhecido como CEP, o programa de segurança pública foi criado com o objetivo de reduzir os índices de criminalidade. E, no caso do bairro da Zona Norte, foi responsável pela redução de cerca de 35% dos crimes de rua ocorridos na região.

+ Construído nos anos 60 em Ipanema, Hotel Everest fecha e terá novo destino

Nos bairros de Copacabana e Ipanema, o perímetro do programa abrangerá a Avenida Rainha Elizabeth, as Ruas Joaquim Nabuco e Francisco Otaviano nos trechos que vão da Avenida Vieira Souto até a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, além das vias desse entorno, como a Bulhões de Carvalho e Conselheiro Lafaiete. O programa tem foco na redução dos chamados crimes de oportunidade, aqueles em que o criminoso identifica nas vulnerabilidades do ambiente as chances para cometer delitos, como os roubos e furtos a pedestres.

“Acreditamos muito no programa, uma vez que ele é administrado com base em dados e evidências. Isso nos dá segurança para seguir pensando em seu aprimoramento e expansão. É mais uma forma de o município ajudar efetivamente na segurança pública, especialmente através da prevenção”, destaca o secretário de Ordem Pública (SEOP), Brenno Carnevale.

+ Upcycling: arquitetos transformam móveis e acessórios que iriam ao lixo

Continua após a publicidade

Para a concepção do CEP Copacabana/Ipanema foram implementadas ações em quatro esferas de atuação. Na primeira, “Patrulhamento”, foi elaborado um plano pela Guarda Municipal do Rio para ação 24h no perímetro. Além disso, os 61 agentes que fazem parte do efetivo do programa passaram por capacitação em que receberam instruções sobre policiamento comunitário, uso gradativo da força, produção de dados, acompanhamento de indicadores sobre a localidade, estratégias para mediação de conflitos, prática de policiamento e procedimentos operacionais.

Na segunda esfera, “Requalificação Urbana”, foram feitas intervenções na área com objetivo de reduzir vulnerabilidades, como a poda de árvores na Rua Joaquim Nabuco, manutenção de toda a iluminação e sinalização de trânsito, como a recolocação de placas, resultando em mais de 70 ações feitas pela CET-Rio, Comlurb e Defesa Civil. As duas últimas esferas também são fundamentais para o bom andamento do programa, o “Monitoramento Remoto”, com equipes atuando no Centro de Operações (COR) e a “Estrutura de Governança”, feita com ação conjunta de vários órgãos para promoção de reuniões periódicas com a SEOP e a Guarda Municipal a fim de avaliar e acompanhar a atuação das equipes nas ruas.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O CEP foi concebido a partir dos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), analisados entre os anos de 2015 e 2019. A análise do período aponta que aproximadamente 2% do território concentram 25% dos chamados crimes de oportunidade, como roubos e furtos de rua: a transeunte, de celular e de bicicleta. Com base nesse levantamento, a Secretaria de Ordem Pública e o Centro de Ciência Aplicada à Segurança Pública da FGV realizaram um diagnóstico e concluíram que esses dados não se modificam ao longo do tempo. Essas microrregiões possuem características em comum: são áreas com alta movimentação de pessoas e bens, locais próximos a pontos de ônibus, terminais rodoviários, estações de metrô e trem e centros comerciais, como shoppings e galerias.

Os anos subsequentes não foram incluídos pela natureza de exceção provocada pela pandemia do novo Coronavírus, que diminuiu o fluxo de pessoas nos espaços públicos. Por isso, o projeto-piloto foi implementado em parte do Méier em novembro de 2021.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado, com Blogs e Colunistas que são a cara da cidade.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

App Veja para celular e tablet, atualizado mensalmente com todas as edições da Veja Rio

a partir de R$ 12,90/mês